sábado, julho 16, 2005

SEIXAL - PERIGOS URBANOS O DESLEIXO COLECTIVO


Verdadeiras armadilhas espreitam as crianças no Seixal - Na imagem lagoas de naftas da Siderurgia junto as quais se construiu há quatro anos um bairro social sem quaisquer preocupações de integração .

No Seixal o desenvolvimento urbano tem levado a que os perigos se multipliquem para os jovens e crianças, não se trata só dos problemas socio-ambientais da exclusão social, dos problemas de integração étnica , da toxiciodependência,da criminalidade crescente. Trata-se também de problemas relacionados com a má qualidade do projectado e do construido, do desrespeito pelas mais básicas normas de segurança.

São exemplos os já aqui mencionados ontem, mas há um sem numero de locais e situações que de um momento para o outro podem descambar em tragédia. Há as ravinas dos areeiros desactivados , nestes locais para além das ravinas há a retenção de àguas em lagoas com os perigos , não só de afogamento mas por essas mesmas àguas conterem substâncias nocivas. Nesse mesmo âmbito temos as lagoas de hidrocarbonetos da Siderurgia Nacional como a imagem mostra e a legenda descreve, ali ao lado foi construido um Bairro Social onde nada mais existe, uma escola, um café, uma mercearia... e é uma tentação para os jovens um mergulho "lá em baixo nas lagoas" .

Depois há as "praias" , a construida mesmo frente aos Paços do Concelho e a da Ponta dos Corvos, também conhecida como Praia dos Tesos. Um perigo para a saúde publica quanto à qualidade das areias e da àgua onde são despejados esgotos sem tratamento.

Há também os lamentáveis casos mortais, o do jovem motociclista que viu a sua vida ceifada por um cabo de aço em S.ta Marta do Pinhal, (numa via aberta ao público) sem que ninguém assumisse qualquer responsabilidade, e finalmente temos a da criança que caíu na rede publica de esgotos, por esta ter um colector de esgoto destapado.

Espera-se, embora se duvide, pelo comportamento da advogada da CMS no fim da sessão da leitura da sentença, que a Câmara do Seixal passe a exercer uma maior humildade no trato dos seus municipes e assuma de forma mais elevada as obrigações para com estes. É que este caso teve reprecurssões nacionais , sendo já um marco na história judicial portuguesa.

A imprensa amplamente divulgou o caso, jornais regionais do Minho à Madeira fizeram amplo tratamento do caso, tal como os principais jornais nacionais, dos quais destacamos os seguintes. Bruno Alves no Publico, publicou um escelente artigo (14/7/7) , fazendo um paralelismo dos valores das indemnizações em Portugal e em Espanha questionando "Quanto vale uma vida em Portugal", também no Publico se dá ênfase ao facto do Tribunal ter responsabilizado o municipio enquanto entidade colectiva, e fazendo um dossier com outros casos.

O Diário de Noticias fez também um grande tratamento noticioso da sentença do Seixal, com a transcrição da decisão fazendo notar da sentença, que o municipio "descurou um perigo eminente". Quanto ao Correio da Manhã este sublinha que a unica posição humanamente aceitável da autarquia foi a do vereador Ricardo Ribeiro que declarou que a câmara deve assumir as suas obrigações ressarcindo os pais da criança conforme determina a sentença. O advogado da familia vai mais longe e defende que o presidente da autarquia, Alfredo Monteiro ,deveria ter pedido a demissão à data da morte da criança.

Outros meios de comunicação mais "efémera" fizeram também amplo tratamento noticioso, caso da TSF, da SIC , e da TVI .

Para o dia seguinte à leitura da sentença e certamente como forma de lançar uma cortina de fumo sobre esta decisão histórica, a Câmara do Seixal anunciava com pompa e circunstância a promoção do Seixal a destino turistico de "Milhões de potenciais turistas" tendo sido "ressaltado um peso crescente da França, Reino Unido, Espanha e Alemanha" e um mercado alvo na Àrea Metropolitana de Lisboa de 2,5 milhões de habitantes. Voltaremos em breve à análise desta anedota depois de "melhor esclarecidos" pelo Boletim Municipal.Posted by Picasa

7 comentários:

Anónimo disse...

Há a Praia da Velha onde passa agora a desaguar um esgoto. Local de muita afuencia de pessoas pobres e não só foi contemplano com um cano de descargas mesmo no lugar onde se colocavam as toalhas dos banhistas.
Será que vai servir para tratamento das águas da praia? Sendo assim será de louvar.

Joao Soares disse...

Realmente há autarcas que ultrapassam e pisam as medidas legais, éticas e de respeito para com os seus concidadãos.
Em parte porque ainda muito "povinho" que agora têm mais de 60 anos e alguma faixa jovem ( um pouco acrítica mas rapidamente filiada nos 2 grandes partidos PS e PSD) com ideias muito conservadoras (invelja, dinheiro e poder a todo o custo), cultivam valores como futebol, fado e fátima,comida à fartazana, festinhas com fogo de artifício
nutrem simpatia/compaixão por "lideres" género Rui Rio, Avelino Torres, Valentim Loureiro,Isaltino Morais, Fátima Felgueiras, consoiderando-os vitimas quando são verdadeiramente atacados pela suas acções ilegais.

Impedem, por isso, grandemente a desconstrução do discurso extremamente demagogico destes autarcas.
http://bioterra.blogspot.com

Anónimo disse...

vim aqui há poco e regressei para reler a contra informação posta pelo PÊCÊPÊ? CMS? ??? vejo que foi retirada e bem! Não erem comentários com o minimo de referências ao texto, ao tema ou ao ambiente e qualidade urbana.É notoria a contra informação, a esquizofrenia do pensamento unico, a raiva de outros poderem expor as suas opiniões. VIVAM OS BLOGUES !!! Contra estes resquicios do passado Estalinista exetamente igual aos tempos do fascismo. CONTINUEM A-SUL!

Anónimo disse...

Este ultimo comentário é "exetamente" igual à inteligência de quem o escreveu. Por estas e por outras é que as notas a Português andam pelas ruas da amargura...

Anónimo disse...

Sem dúvida que o Presidenet da Câmara se devia demitir em sequencia do caso da morte da criança. Era o minimo que deveria fazer. A advogada da cãmara de modo até algo provocador achou que a Câmara deveria recorrer, e se calhar com razão a nível formal, mas a nível moral ficamos com a certeza absoluta que não reside na Câmara do Seixal qualquer resquicio e se é que alguma vez houve. E atenção, esta situação não é caso único, tb uma criança morreu em instalações camarárias com a queda de uma baliza no Parque do Serrado( circuito de manutenção). E responsabilidades??
Quanto ao comentário do João se calhar devemos estar a falar das hipocrisias do Bloco de Esquerda que defende um adoutrina em que a China e a Coreia são o exemplo acabado. Nem que para atingirem esse objectivo prescrevam as teorias mais liberais do "laissez-faira, laissez-passe". Vejamos liberalizamos a droga, liberalizamos o aborto, liberalizamos a entrada de imigrantes, acabamos com a prisão preventiva, não à autoridade, que os pais não mandem nos filhos...
e depois vemos o resultado dessa politica na nossa escola paulo da Gama onde os indices de insegurança nunca foram tão grandes com asneiradas publicas que tem vindo as er cometidas. Era disto que falava senhor João???

Anónimo disse...

E já agora de quem foi a ideia de criar uma praia mesmo junto ao Seixal??? Há dez anos nada disto existia de um momento para outro forma-se uma praia. E estudo de impacto ambiental???? E para cúmulo este ano ainda foi alargada

analopes-79 disse...

Pois é! já se passaram mais de 10 anos que fiquei sem o meu irmão que tinha 10 anos e faleceu a brincar.(no parque do serrado)
Responsablidades?! o que é isso no nosso pais!quais camara, quais carapuça! até ao dia de hoje, ninguém se designou a uma única palavra, nem mesmo para com a minha mãe, que ainda hoje e sempre vamos sofrer.Também tenho muito a agradecer desde já , á nossa grande justiça!