terça-feira, julho 12, 2005

ALCOCHETE VIVE A BETONIZAÇÃO


Alcochete não aprendeu - (near the new Vasco da Gama bridge the tipical village of Alcochete is turning in a suburb without architectural quality)

Mete dó aventurarmo-nos por Alcochete a partir da Beira Tejo pois a perspectiva é de uma repetição do que aconteceu ao Seixal...Almada...Montijo... a paisagem que começa a ser a imagem de marca está documentada acima, o modelo suburbano do costume... a publicidade é, "viva a 20 minutos de Lisboa"... portanto...compre, more , mas viver...

Era de prever que com a construção da Ponte Vasco da Gama o pior viesse a acontecer, de inicio ainda foram aprovadas leis de contenção, publicitaram-se intenções, mas o que se vê é betão, guindastes e obras por onde quer que nos viremos, dos campos agricolas às ruas mais proximas do centro como a imagem mostra.

Entre 1991 e 2001 (ainda com o efeito Expo recente e as "medidas de contenção" em vigor, Alcochete aumentou 26,2% em numero de habitantes , um dos maiores em aumento relativo, só superado por Sesimbra e Seixal na àrea Metropolitana de Lisboa, e nos ultimos quatro anos esse aumento foi exponencial até em termos de àrea comercial com o efeito Freeport.

Na freguesia do Samouco o contraste do construido nos ultimos anos é total, com blocos de apartamentos a invadirem literalmente campos agricolas. O mais grave é que a pressão urbana, e as mais valias geradas pela construção, considerando ainda que se está a construir de raiz sobre verdadeiro "filet-mignon" , não se está a acautelar a qualidade urbana dos espaços,que a geomorfologia e a qualidade dos solos permitia. Os edificios encavalitam-se, sem espaços verdes entre si, as ruas são feitas para circularem e estacionarem automóveis que se multiplicam (as deslocações para Lisboa onde se trabalha assim obriga) e não se vê nas novas urbanizações nem lojas, nem espaços sociais (tirando os clássicos cafés forrados a azulejo de casa de banho e mobiliàrio de cervejeira). Vias para circularem bicicletas mais uma vez não existem , os passeios esses são disputados ao centimetro com os automóveis.

O unico constrangimento juridico que poderá bloquear os intentos dos patos-bravos é a Reserva Natural do Estuàrio do Tejo onde nidificam aves de outras espécies mais integradas no ecossistema, mesmo assim os atentados são ou visiveis ou conhecidos. Visivel é o abandono a que a Reserva parece estar em alguns locais votada, com despejos restos de obras, o conhecido, com conspiração ou não é o caso Freeport, uma megalomania tal que pouco tempo passado já é ameaça a insolvência do projecto dos cinemas.

Caso para dizer que não se aprendeu mesmo!Posted by Picasa

2 comentários:

flamingo disse...

Porque está Portugal a ficar tão feio?

NP disse...

Fica provado que a pressão é tão grande que a coisa não é só por ser a CDU, nesta caso ALcochete é PS desde 2001 e nem por isso resistiu a tanta vontade de construir.

Só me faz confusão como não há um instituto ou organismo público que não permita construção em áreas agrícolas, mesmo que hajam alterações de PDM's e planos de pormenor locais.
Não haverá um organis
mo independente neste país que faça umas cartas tipo e que só vá mudando o local e a data e as envie para a Comissão Europeia em Bruxelas, com umas fotos ?

Se calhar se comecassem a chover multas os governos apertavam de vez com estes autarcas incompetentes.