sexta-feira, abril 18, 2008

UM TROLLEY-BUS PARA ALMADA E SEIXAL 3




Entrámos novamente numa maré de betão e de projectos grandiosos, resta saber se serão viáveis e se as futuras gerações que os irão pagar ficarão agradecidas ou antes pelo contrário, mal-dirão desta gente do presente que tão fácilmente empenha o erário público.

Um exemplo exasperante de desperdicio é o Metro Sul do Tejo. É um escândalo ver aquele meio de transporte VAZIO sem que ninguém questione das razões, justifique o dinheiro gasto , ou mova uma palha para o rentabilizar no imediato.

Afinal, o MST foi feito para servir a população, ou para desfilar como uma bela peça de mobiliário urbano?

Mais uma vez aqui se apela , como se tem apelado noutros blogues, para que este projecto seja repensado e integrado com os outros meios de transporte.

A desarticulação actual é visível , mas não parece preocupar seja quem fôr!

Mais uma vez e aproveitando o potencial de alimentação eléctrica construído, reafirmo que seria uma solução rápida e eficaz uma ligação em trolley bus (mais rápida de instalar e a um sexto do preço da solução carris) entre a estação de recolha do MST no Talaminho e pelo menos a Cruz de Pau.


Veja-se na primeira imagem a azul, o percurso desaproveitado em carris entre o Talaminho e Corroios onde se inicia a exploração , apesar de exitirem paragens construídas a montante e o espaço que poderia ser utilizado por autocarros eléctricos não poluentes entre a Cruz-de-Pau e o inicio da linha.



A solução é viável , há até já uma faixa BUS dedicada. É só pôr a linha eléctrica e comprar os trolley-bus.


Na segunda imagem, a vermelho a ligação proposta com este mesmo meio de transporte, entre o interface do Pragal (Fertagus-MST-TST) e o Forum Almada, a verde a ligação que poderia continuar e servir o Feijó, Vale Fetal...

São necessárias e urgentes soluções deste género, não poluentes e que utilizando a estrutura de alimentação eléctrica já instalada , crie linhas onde as pessoas vivem , que ao mesmo tempo faças o que o actual percurso por si só não faz, nem fará, e que é servir a população sendo economicamente rentável.

E não venham cá com a desculpa dos custos , as rubricas desgarradas, avulsas e inúteis de um ano de orçamento da Câmara do Seixal, dariam e sobrariam para instalar várias destas linhas. O Metro a ser instalado na Amadora orça em 11 MILHÕES DE EUROS! as despesas aqui denunciadas no post de ontem , são metade desse valor! Mais , a Câmara da Amadora conseguiu que a superficíe Comercial servida por esse transporte , fosse a principal investidora como contrapartida da construção do Centro Comercial.

E por cá ? Onde andam as contrapartiidas da instalação dos LIDL´s , dos MOSQUETEIROS, dos FEIRANOVA, dos CONTINENTE , dos JUMBO , dos LECLERC ???

9 comentários:

Anónimo disse...

Então e a ligação Pragal - Fórum Almada poderia-se realizar de que forma? Um teleférico?

Um Mega Trolley Bus poderá ser uma solução, mas no âmbito de uma linha mais alargada às zonas periféricas da caparica e charneca.

Quanto ao MST, onde estão essas estatísticas que referem a pouca afluência de pessoas?

ex-militante disse...

Este anónimo deve ter caído de um teleférico. mas que grande pergunta "Quanto ao MST, onde estão essas estatísticas que referem a pouca afluência de pessoas?"

João Afonso disse...

Todos os dias vou vendo o MST a circular com mais gente... O tempo das 4/5 pessoas já lá vai e mesmo fora da hora de ponta já é normal ver-se o MST em Almada como 20/30 pessoas, pelo que em pouco tempo vai-se ver o MST cheio.
Quanto à questão das contrapartidas, pelos vistos as contrapartidas negociadas pelas Câmaras de Almada e Seixal são desastrosas as da Amadora são excelentes. A abertura de grandes superficies em Almada e Seixal é desastrosa, na Amadora, só porque a Câmara não é vermelha, é excelente... Não há dúvida que este ponto verde é ridiculo nos posts que escreve, contradizendo-se constantemente.

Ponto Verde disse...

Não há pior cego que aquele que não quer ver!

Ana disse...

Confesso a minha ignorância para comentar a solução apontada, no entanto tenho a competência suficiente ((Visão) para verificar que sempre que me cruzo com o MST o mesmo vai completamente vazio.
Assim parece que seria interessante contactar a administração do MST, afim de que a mesma solicitando o fornecimento dos números da discordia, nomeadamente, qual a capacidade instalada, e a taxa de utilização.
Penso que estes dados não estão sujeitos a qualquer tipo de confidensialidade já que os vejo divulgados por muitas e boas empresas.

Ana disse...

Rectificaçõea:
-afim de que à mesma seja solicitado;
-confidencialidade

ex-militante disse...

A solução apontada para a Cruz Pau não agrada ao João Afonso porque o objectivo do PCP S.A. é pôr o MST a passar pe Quinta da Atalaia, pelo que não dá jeito um MST ao serviço da população. Já agora o Metro continua vazio ou melhor cheio de lugares vagos.

a.lima disse...

O senhor Afonso reconheceu que os capitalistas fazem melhores negócios no Seixal Hihiii!

Pedro Xavier disse...

Como cidadão do concelho do seixal afirmo que o ponto verde só pode ser alguem de muito valor e uma benção para a população do concelho do seixal. E não vale a pena haver gente a dizer o contrario porque este povo pode ser pouco interventivo mas não é parvo. Bem haja Ponto verde pelo seu trabalho em prol da informação e da verdade.