sexta-feira, janeiro 11, 2008

QUE TURISMO PARA A MARGEM SUL? (5) A REALIDADE - IDEIAS SIMPLES





Há realmente, face aos estudos da Universidede de Aveiro /Câmara do Seixal ou face à proposta da construção de um Parque Temático, muitos outros trabalhos podem ser feitos em prioridade e até no imediato, que mais que atrair visitantes à Margem Sul , criariam condições melhores para os residentes, a maioria sem a possibilidade de outros horizontes turisticos.

É óbvio que os trinta anos de politicas CDU foram de regressão , regressão em termos urbanos, em termos de qualidade de vida dos residentes, de destruição do património natural e na conservação do património construído.

Na Costa de Caparica parece que finalmente e graças ao Polis vai haver finalmente um face-lift que traduzirá uma imagem de melhor qualidade para uma zona privilegiada, embora com algumas soluções que considero francamente erradas porque unicamente demagógico/politicas tal como a mudança dos Parques de Campismo para o Pinhal do Inglês.

Nos restantes Municipios continua-se a não dar a devida importância às praias fluviais , no Seixal ignora-se em absoluto os milhares de pessoas que no Verao ocorrem diáriamente às praias do concelho não criando o minímo de condições para o seu uso balnear com qualidade e evitando as àguas poluídas ou resduzindo os seus impactos.

SUGESTÃO A-SUL 1 : Já sugerimos aqui a instalação de piscinas e de outras estruturas desmontáveis e de... simples duches, limpar regularmente ás areias ou recolher os lixos ou não permitir o campismo selvagem.

Continua-se a destruír a paisagem escamoteando que ao mesmo tempo que se privelegiam alguns com alterações abusivas do uso do solo há perdas ambientais e patrimoniais que prejudicam todos, perfeitamente incompatível com uma orientação para o Turismo e para um ambiente sustentável.

Continua-se sem construír ciclovias
que para além de uma vertente utilitária em alternativa ou complemento individual de transporte , poderiam associadas ramificações de lazer e turismo para uso inclusivé de residentes em Lisboa que utilizando outros transportes públicos fácilmante se deslocariam à Margem Sul.

SUGESTÃO A-SUL 2: Proporia também que a par dos circuítos propostos para o Seixal fosse acrescentado um outro que tem a ver com um turismo rural também possível ainda no Seixal e que realçaria o património das Quintas Agricolas e de lazer da Margem Sul - Quinta da Princesa (a verdadeira) - Paço do Infante - Quinta da Fidalga - Quinta da Trindade (a verdadeira) - Quinta do Alamo - Quinta Grande - Quinta da Palmeira (recuperada da Siderurgia) .


SUGESTÃO A-SUL 3: Esse circuíto do Seixal Rural poderia, ser integrado num outro mais alargado, com caracteristicas florestais e rurais que poderia ser um corredor verde que poderia integrar um futuro Parque Ecológico /Quinta Pedagógica já proposto pela Sociedade Civil para a zona protegida da Flor -da-Mata , Pinhal dos Frades , corredor verde esse que se entrosaria com a Zona Rede Natura 2000 de Fernão Ferro - Lagoa de Albufeira com requalificação da Varzea do Rio Judeu , e manutenção também dos terrenos dos Lanifícios da Arrentela onde se deveriam manter e até incentivar (pela sua grande importância económica e social) a criação de pequenas hortas.


SUGESTÃO A-SUL 4 : Porque nao
ligar estes pontos em ciclovia ?

Tudo isto é possível e exequível com pouquissimos custos ainda durante esta vereação, sobretudo se há de facto uma preocupação ambiental e uma orientação turistica sustentáveis.

É obvio que com o Aeroporto na Margem Sul, os planos de turismo existentes terão que ser revistos perante uma oportunidade unica para requalificar TODA a Margem Esquerda.

Mudar de politica é URGENTE! Mudar de politicos , necessário!



5 comentários:

ex-militante disse...

Se o ridiculo matasse , então os responsáveis pela campanha demagógica e propagandistica porque um bando de flamingos voltou á Baía do Seixal extrapolando paro reconhecimento das politicas CDU é de morrer a rir.

cidadao disse...

Excelentes propostas estas de uma cintura verde com percurso cultural, ligadas por ciclovia e com um Parque Ambiental na Flor da Mata.

Já defendemos essa solução junto da Câmara do Seixal.

Reine o bom senso como aconteceu com o novo aeroporto.

j.a. disse...

Orientar o turismo no Seixal para um circuito às quintas latifundiárias , exploradoras da classe camponesa e feudais só mesmo da cabeça do ponto verde, esses monumentos à exploração deviam ser arrazados pela vergonha que representam para um concelho que evoluíu e agora nos honra a todos.

hkt disse...

Obrigado ao J.A. por confessar o inconfessável! De facto, confirma aquilo que já se suspeitava e temia: a destruição do nosso património resulta de claras opções ideológicas. Não se pode ser mais explicíto.
Reescreva-se então a história!!
Ignoremos, arruinemos, arrasemos(!!!) tudo o que existiu neste concelho antes de "Abril".

Como se vê o patrinmónio ambiental/edificado deste concelho está em perigo.

As ideias que o Ponto Verde propõe são boas mas, como se vê, falta vontade política para as implementar. Ideologicamente o forno da Siderurgia (veja-se o simbolismo da metalurgia na rev. soviética) deve ser preservado mas, as quintas (edifício espaço envolvente) são para "arrazar". A destruição do património natural e edificado não é obra do acaso, é planificada de acordo com os imperativos de uma ideologia.

Sem mais comentários...

outsider disse...

Avante Camarada Avante

Caro j.a.

Não se esqueça que por cada Quinta Latifundiária que o partido acabou no concelho, apareceram 3 ex-camaradas "pato-bravos" que as substituíram por "urbanizações de qualidade".

A propósito, não se esqueça de alguns "monumentos" da gestão colectivista e evoluída, autorizados e glorificados pela gestão APU/CDU: O Continente Seixal, O Centro de estágios da Caixa Geral de Depósitos, Santa Marta do Pinhal e o seu complexo habitacional de excelência entre outras pérolas.

O pior disto tudo é que ainda há quem acredite mesmo sendo constantemente lixado.