sexta-feira, agosto 31, 2007

SE UM BLOGUE INCOMODA MUITA GENTE... NAS AUTARQUIAS INCOMODA MUITO MAIS!



Pelo que lemos dos comentários ao anterior post, no caso português não há a preocupação quer da imprensa escrita, quer do poder central sobre a capacidade de mobilização da internet e da penetração da opinião construída na blogosfera.


Os primeiros estão seguros com os seus jornalistas a recibo verde e nas outras actividades que os grupos de media encerram, os segundos, apesar da candidatura de Manuel Alegre ter abanado o sistema, acham que basta o SIS e a Judiciária a controlar e uns computadores do governo a alterar a wikipédia para a coisa se manter tal como está.

Quem não parece nada seguro com a blogosfera é o chamado Poder Local , primeiro porque este fenómeno surgiu quando andavam ainda às aranhas com a perda do controlo informativo monopolista hiper e totalmente dependente das autarquias que era (é) a maioria da imprensa local.

A imprensa local, à parte casos pontuais, seria (é) tudo, menos contestatária ou critica da "obra" do poder local que a alimenta , mudou ligeiramente este cenário com o advento de alguns jornais de distribuição gratuita que contornaram o controle exercido pelas autarquias e pela sua teia de interesses.


Depois passou a haver uma imprensa electrónica , actualizável em tempo real e que ultrapassava os básicos sites camarários que funcionavam como complemento do sempre elogioso elemento de propaganda, pago pelos contribuintes, o "Boletim Municipal".

Ora com o aparecimento dos Blogues e com a sua explosão por facilidade de acesso e construção de há cerca de três quatro anos a esta parte, sobretudo com a seriedade e profundidade como muitos são constrídos, com suporte de imagem e documentos, muitas das negociatas, despotismos, abusos de poder , tráfico de influências e corrupção até então só expostas em "sessão de câmara" , aparecem ao acesso de literalmente todo o mundo.

Desde então o sistema de democracia participativa mais cristalizador, monopolizador e oligárquico do sistema politico, não mais foi o mesmo, finalmente podia-se desmascarar e divulgar o que não era tomado em consideração e não interessava à imprensa local, nunca teria lugar num boletim municipal (onde a participação dos cidadãos e criticas não tem espaço) e nunca chegava à imprensa nacional, a não ser que houvesse algum acessor de imprensa ao serviço da oposição que se interessasse pelo caso em apreço.

A blogosfera tornou-se assim no meio local mais democrático de debate, logo demonstrativo do descontentamento geral numa margem sul alheada da participação publica e que por esse meio permite que uma força politica se eternize , em maioria , no poder com escassos milhares de votos, em certas freguesias densamente povoadas, por escassas centenas.

Logo, pela sua capacidade mobilizadora (veja-se a manifestação ontem em Atenas organizada na blogosfera ou na margem sul a recente Conferência da Moita sobre politica de solos) assustou os autarcas, o que é ridiculo é que não só tem assustado a maioria no poder, como também boa parte das oposições nestes concelhos da margem sul.

Será que têm medo que os bloggers passem neste timing eleitoral, para o papel de candidatos e por isso uns fazem de conta que ignoram e outros fazem os possiveis por censurar ?

5 comentários:

Anónimo disse...

Uma tomada de posição verdadeira este artigo. O facto de desmistificar atitudes e preconceitos dos pseudo comunistas no poder, também a oposição(?) deve ter o devido raspanete por se ater ao poder de outra forma que é o aproveitamento das benesses advindas de se terem encostado ao poder CDU. Nem tudo fazem mal, claro, mas algum bem por eles feito é muito pouco para as necessidades, mesmo que mitigadas, das populações desta região.

cidadao disse...

-Este post acerta na mouche do problema municipal, primeiro, é mais fácil derrubar um primeiro ministro do que um presidende de câmara.
-Depois o papel quase inexistente da oposição, no Seixal, não fosse a JSD e uma certa irreverência e parece que vivemos em partido único com os cartazes do PCP todo o ano nas esquinas.
- depois ainda a capacidade de mobilização dos cidadãos que aumentou exponencialmente com a internet e que caso os politicos não se interessem pelos problemas dos cidadãos, os substituem e com vantagem.
-Um exemplo veio em 1999 aqui de Pinhal Frades, já nessa altura conseguimos um abaixo assinado com 4000 assinaturas para que não destruissem o pinhal. Ora com 4000 assinaturas se constitui um movimento para se concorrer a eleições.
- Fica o alerta, se os politicos não fazem sua a palavra e os desejos da população, para quê precisamos então deles?

cidadao disse...

continuando

È que em Pinhal Frades voltamos a estar apreensivos com o que se está a preparar para o pinhal. Primeiro a "desmatação legal" feita com máquinas de arrasto e grande porte, que nunca se utilizam numa desmatação.
Agora anda por aí um empreiteiro a dizer que tem a empreitada para a construção de um bairro de realojamento e de um Leclerc!
Já percebemos que andam por cá a atirar o barro á parede a ver se pega, mas não iria por aí senhores da maioria e da oposição.

ex-militante disse...

Andamos andamos a ver onde é que isto pára, querem lá ver que vamos ter nova manif á porta da Câmara um dia destes.Pensam que andam a gozar conosco ó Silva da Sorefame?

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Parece inacreditável como um jornal de prestígio como o "Estado de S. Paulo" compra uma pretensa guerra que só poderá perder...até porque penso que não seja função de nenhum blogue substituir-se aos jornais;

Ainda que, como refere e bem, ao nível local ( e se calhar até ao nível nacional) muita imprensa se limita a ser apenas uma correia de transmissão das câmaras municipais, tudo aceitando, nunca questionando, nunca criticando...tudo parecendo disposta a aceitar para não "melindrar" quem governa.

Em relação à blogosfera, será o tempo e apenas este, a ditar a separação entre "o trigo e o joio"; agora que não haja mesmo ilusões. Há quem está nisto de corpo e alma e não se irá calar por nada. Não há volta atrás...

A revolução já começou e passa por aqui...pode não nos conduzir aonde desejamos, mas não tenham ilusões que não será interrompida a meio!