sexta-feira, agosto 24, 2007

SEIXAL SEMPRE EM FESTA



Pode não haver no Seixal uma sala de exposições, mas há foguetes quase todos os dias.


Pode não haver no Seixal ciclovias, mas temos concertos pimba quase todas as semanas.

Pode não haver qualidade no espaço urbano e construído, mas há terreiro de festas montado em qualquer ponto do concelho todos os meses.

E claro há sempre uma ajuda na Festa durante o Verão...

Agora são as de Corroios ,mas já Foram as Festas da Amora, as do Seixal, as de Paio Pires, as da Torre da Marinha, e antes o 25 de Abril, o 1º de Maio, tudo com música e foguetório a rodos.

Sobre as Festas de Corroios o "press released" anuncia "Um mini-Festival de Música Moderna abre na sexta-feira as Festas Populares de Corroios, orçadas em 300 mil euros, que se prolongam até dia 2 de Setembro e prometem atrair milhares de turistas e forasteiros àquela freguesia do Seixal." .

Gosto dos "MILHARES DE TURISTAS E FORASTEIROS" ... mas acho ainda mais piada aos orçamento de 300 MIL EUROS!!! O que leva a questionar, qual o orçamento anual para festas, festivais e acessórios.. no Concelho do Seixal? Quem paga?

E sugiro:

- Que tal um ano, não digo sem festas, mas, deixem ser o POVO a organizar as Festas Populares (à sua medida) , quanto ao dinheiro que a Câmara dispenderia , que tal construir algo mais útil e perene como arrajar e criar espaços verdes (A autarquia podia ter accionado Direito de Preferência comprado por 25000 contos (clique) , oito hectares na Flor da Mata para Parque ambiental em 2000...

Trezentos mil euros, o orçamento da festa de Corroios são 60 mil contos!!!).


Sesenta mil contos, o orçamento só da Festa de Corroios permitiria comprar fogos para os mais carenciados, entre os milhares á venda por todo o concelho...


Sessenta mil contos , o orçamento só da Festa de Corroios daria para criar uma rede de ciclovias em todo o concelho...


Sessenta mil contos, o orçamento da Festa de Corroios permitiria instalar duches, limpar e criar pontos de apoio e lazer nas abandonadas praias do Seixal...


São três exemplos de aplicações na àrea do lazer e do bem estar das populações em que 6o MIL CONTOS (300 MIL EUROS) seriam melhor empregues que em mais umas Festas e Propaganda pré Festa do Avante, com a agravante que são pagas pelos contribuintes e não pelo PCP!


Mas ficaria ainda mais contente que para as sugestões aplicadas, abdicassem dos foguetes e do fogo de artificio por um ano, o que permitiria fazer muito mais pelo Seixal e pelos Seixalenses...

É que quem não tem dinheiro não tem vicíos!!! E foram eleitos autarcas, não mestres de cerimónia!!!

9 comentários:

Papoila disse...

A maior festa do concelho ainda está para acontecer. Quer gostemos ou não do conteúdo, o Avante trás muita gente de todo o país ao Seixal e movimenta muitos meios humanos e materiais.

Luis Eme disse...

Fiquei curioso em saber de onde vinham os tais 300 mil da festa, mas isso são contas de outros rosários...

É triste e obsceno, o que esta gente faz com o nosso dinheiro.

O problema é que a maior parte deles nem sequer se preocupa com o facto de estarem a representar as populações, de governarem para o bem comum, ao seu serviço.

o jose disse...

Esta festivalada toda acontece porque faz falta manter as pessoas distraídas. A democracia em Portugal (que inclui a Margem Sul, por muito que no-lo queiram fazer esquecer) tem mais de 30 anos, mas ainda se tratam os cidadãos como se fossem crianças de berço: da-se-lhes um brinquedo e uma chupeta para elas não darem trabalho.
O que tem mais piada é que havia uma célebre frase, que marcava fortemente a ideologia que os dirigentes da MS representam, e que criticava a religião como sendo o ópio do povo. A ironia da coisa está em que, nestes tempos de hedonismo e falta de crença, trocou-se a igreja pelo centro comercial, e a oração pela festa fogueteira e desmiolada, tal não mereçe qualquer crítica, e é até incentivado com orçamentos, ao que parece, tão elevados como se se andasse a distribuir droga pelo povo.

Anónimo disse...

Festa é Festa.

no tempo de salazar nao havia festa como esta porque não podia haver festa . A unica "festa" era a despedida dos soldados para a guerra e fatima .

quem nao gosta de pimba e arraial vai para a noruega ou para filandia .

Anónimo disse...

Não há nada a fazer não acertas uma...
O orçamento são 300 mil euros de despesa, mas não menos importante é que as receitas poderão exceder os 3oo mil euros, como sucedeu no ano anterior, portanto fica respondida a questão de quem paga ou ainda tens dúvidas?
Em relação à CMS vai para aqui uma grande confusão as Festas são organizadas pela Junta de Freguesia de CORROIOS e não pela CMS.
A CMS não investe rigorosamente nada nestas Festas.
Por fim "o nosso dinheiro" não entra nestas contas como se pode fácilmente depreender.

Anónimo disse...

A Câmara Municipal gasta mais com a Festa do Avante do que com a festa de Corroios!!

Anónimo disse...

Só aqueles que resumem a sua acção em "prol da comunidade" aos posts e comentários neste blog, é que podem dizer tamanhos disparates.

Quem paga as Festas de Corroios, organizadas pela Junta de Freguesia de Corroios, são os feirantes, os carroceis e os empresários que marcam todos os anos presença. Gastam-se 300 mil, mas as receitas são um pouco mais que esses 300 mil.

Vou então fazer uma reflexão clarificadora para algumas mentes. Sem gastar os 300 mil nas Festas, não haveriam os 300 mil de receitas. Simples, mas nem para todos.

Ponto Verde disse...

Clarificador ao anónimo anterior será a propaganda da Câmara que se cola com noticias de orçamentos que depois vistos numa óptica despesista são quando criticados, como é o caso, logo enjeitadas.

A Câmara no press release que emitiu não referiu que o orçamento era suportado pelos privados A + B + C , apresentou o evento como organizado pela autarquia e orçando em 300 mil euros que ao que parece , são mesmo mal empregues.

Anónimo disse...

Como pode ter a câmara feito um press realese sobre uma iniciativa que não é organizada por eles?

Antes de entrarmos no debate autarquico, temos de saber distinguir uma Junta de Freguesia de uma Câmara Municipal. São orgãos independentes um do outro.

Impresionante como não se valoriza a capacidade de uma Junta de Freguesia conseguir organizar as maiores Festas Populares do Distrito de Setúbal, uma das maiores do país. Só mesmo quem usa umas palas poderá diminuir este trabalho.