segunda-feira, Maio 22, 2006

VOLTA O PROTESTO A PINHAL DOS FRADES - SEIXAL













Na zona de Pinhal dos Frades e Flôr da Mata no Seixal regressaram os protestos contra a construção numa zona protegida no Plano Director Municipal.

Os cidadãos voltaram a tocar a reunir de forma a companhar o desenrolar do processo que contempla a construção de 200 fogos e (espante-se) 181 garagens , para além de 282 estacionamentos exteriores.

Depois conta para memória descritiva, erradamente, com uma área percentual de Pinhal para urbanizar que não corresponde á realidade , e para tal basta contar com a área ocupada pelo traçado do IC 32.

Depois há outro dado no minimo caricato. O projecto contempla que as redes de esgotos serão ligadas às redes residenciais existentes... ora acontece que NÃO EXISTEM redes de esgotos naquele local.

A Câmara do Seixal esté a projectar uma urbanização no século XXI, numa zona protegida no PDM (onde é proibido construir desde 1993) e SEM LIGAÇÃO À REDE DE ESGOTOS!!!

Isto tudo com a assinatura , pelos vistos de cruz, dos responsáveis do INAG e da CCRLVT!!!???

Mas este país existe???????

_______________________________________________











A resposta sobre que país é este, está nesta imagem tiradas do outro lado da estrada da foto acima pelo leitor NP, o já aqui denunciado caso (clique) da central de betonagem/Gravilha instalada sobre uma linha de água - a mesma linha de àgua (Rio Judeu) onde serão despejados os esgotos da urbanização noticiada acima- e junto a uma zona Rede Natura 2000, curiosamente junto ao local onde pretendem construir o Hospital do Seixal.

9 comentários:

m.salvador disse...

O que domina é o Deus Dinheiro, pensava que estas autarquias estavam imunes, que eram um exemplo. nada de mais enganoso!!!

m.salvador disse...

Reiro-me às autarquias CDU, a Margem Sul é um El-Dorado para elas e para o financiamento do Partido, não resistiram, caíram em pecado e em desgraça.

Maria disse...

Ainda não estou restabelecida desta mania de construirem, neste século, um gueto, com estas dimensões.
Boa visão da CDU, neste século, no que se refere ao estacionamento.
Ninguém é perfeito, como estamos ainda no início do século XXI, há "pormenores" que ainda escapam.

Que Deus nos acuda, se isto é mesmo verdade!

Anónimo disse...

Uma urbanização de raiz sem ter ligação à rede de esgotos? Ou com ligação a uma rede que não existe? Mas não se pode processar quem toma essas decisões?

Anónimo disse...

toca a danificar máquinas dos contrutores e propriedade da autarquia. se lhes causarmos perdas económicas eles vão pensar duas vezes, pois eles sõ lá vão com este tipo linguagem

Anónimo disse...

Metro Transportes Sul alvo de processo-crime
arquivo jn

Ministério Público diz que processo foi aberto porque indicia a prática de dois crimes imputáveis à MTS


Ana Fonseca*

or suspeita da prática de ilicitudes na construção do metro ligeiro de superfície da Margem Sul, o Ministério Público de Almada abriu um processo-crime contra o consórcio Metro Transportes Sul (MTS), anunciou ontem fonte judicial. A decisão vem na sequência da denúncia, no passado mês de Fevereiro, de um engenheiro de estruturas que trabalhou numa empresa de projectistas do metro.

De acordo com Moreira da Silva, procurador da República do Tribunal Judicial de Almada, o processo foi aberto sexta-feira, por existir "indiciação da prática de dois crimes imputáveis à MTS", disse à Lusa. Infracção de regras de construção e favorecimento/corrupção são os ilícitos criminais que serão investigados na fase de inquérito.

Recorde-se que na altura da denúncia que apontava irregularidades várias - gastos desnecessários para rendibilização de empresas paralelas, falta de impermeabilização de tabuleiros e insuficiente fiscalização - o MTS garantiu, ao JN, que a qualidade das obras e dos projectos não estavam em causa "Estamos convictos de que a qualidade do projecto e das obras nãoestão minimamente em causa. Os projectos foram feitos por entidades e pessoas qualificadas, incluindo o próprio professor Calisto da Silva (autor da denúncia)". A MTS lembrou ainda que todos os projectos foram revistos por "entidades independentes estrangeiras" e aprovados por todos os organismos competentes.

Na sequência dos alertas lançados pelo engenheiro Calisto da Silva - que também considerou o pilar central de suporte do viaduto ferroviário construído sobre a auto-estrada do Sul, Pragal, em Almada, um risco para a circulação rodoviária -, a Inspecção-Geral das Obras Públicas e o Laboratório de Engenharia Civil (LNEC) abriram, por indicação da secretária de Estado dos Transportes, um processo de averiguações.

Os trabalhos de construção do metro pouco têm avançado desde há dois anos, devido a um diferendo entre o governo, dono da obra e a Câmara de Almada, que se recusa ceder os terrenos no centro da cidade para a construção da linha invocando incumprimento do contrato de concessão (ver caixa). O JN tentou falar com a autarca de Almada mas tal não foi possível.
AINDA BEM QUE A CAMARA DE ALMADA NOS DEFENDE!
Quanto ao ponto verde que tem defendido de forma cega o consórcio, soma mais uma derrota!

Ponto Verde disse...

HÂAA TENHO DEFENDIDO QUEM???

Contra informação CDU a funcionar e a querer sacudir a a àgua do Capote... são fantásticos!!! Fica aqui o registo!

Vamos a ver se alguém põe a boca no trombone no julgamento...se o caso não fôr mais um a prescrever...

João Afonso disse...

E uma maravilha a forma como o ponto verde dá o dito por não dito, no diferendo que opõe a Câmara de Almada ao Metro Sul do Tejo, o Ponto Verde sem se preocupar em ver de que lado estava a razão, tem atacado de forma despudorada a Câmara de Almada e a Presidente da mesma, a quem tem acusado de ser a unica responsável pelo atraso das obras e pelo facto do MST não estar ainda a funcionar. Agora face ao inicio de investigações sobre a prática de ilegalidades pela MTS vem dizer que nuca atacou ninguém e que as investigações não passam de contra informação comunista. Pelos vistos, para o ponto verde, os juizes são comunistas, os procuradores são comunistas, os agentes da PJ são comunistas, os funcionários judiciais são comunistas... O único que não é comunista é o ponto verde!

Anónimo disse...

O problema é que os gajos do INAG e da CCRLVT também são comunas... Aliás todos os gajos que não têm a mesma opinião do ponto verde são comunas...