terça-feira, maio 02, 2006

ELOGIO AO CIDADÃO JOSÉ SÁ FERNANDES


José Sá Fernandes (foto arquivo DN) um autarca que não se fica pela sua Capital e estende a sua luta ambiental à Margem Sul.

Quando foi eleito vereador independente à Câmara Municipal de Lisboa - eleito nas listas do Bloco de Esquerda - aqui no A-Sul lamentámos duas coisas, apesar de satisfeitos pela eleição por quem temos estima e amizade, lamentámos , primeiro que essa eleição a acontecer não tivesse sido ao serviço de uma autarquia da Margem Sul , segundo que ao ser por Lisboa, não tivesse sido eleito Presidente, o partido que o elegeu aqui é perfeitamente irrelevante (nem se trata de comparar com Carmona, Carrilho ou Ruben Carvalho).

Óbviamente que não imagino José Sá Fernandes muito longe daquele escritório Queirosiano e sem luxos, onde nos enterramos naqueles maples que há muito perderam as molas e a base de sustentação. É por isso que é com satisfação que o vemos de novo a abraçar causas um pouco mais longe da Rua do Crucifixo e da Praça do Municipio , atravessando mais uma vez o Rio - Lembra-se que se deve a Sà Fernandes o arquivar da tristemente famosa "Via Turistica" (4 faixas) em plena Mata dos Medos na Costa da Caparica - para ser a pedrada no charco no processo da Mata de Sesimbra,

José Sá Fernandes avançou agora com uma providência cautelar para suspender o plano de pormenor da Mata de Sesimbra , com o argumento que a informação disponibilizada durante a discussão pública foi insuficiente.

Citado pela Agência Lusa referiu “ Esta discussão pública não deve ser considerada válida porque a informação disponibilizada foi insuficiente. É preciso esclarecer todos os impactos que os empreendimentos turisticos e os campos de golfe vão ter na cidade de Sesimbra, nas estradas e nas praias”.

José Sá Fernandes faz aquilo que nenhum autarca eleito pela Margem Sul fez até agora, alertar que para aquele projecto, e em termos comparativos teremos um índice de construção “maior que o da cidade de Viseu” , Augusto Pólvora não está de acordo (que se conteste este projecto!!!) e o presidente da Câmara do Seixal ? Acha que isto não lhe diz respeito, o que vai ser da já engarrafada a qualquer hora estrada 378, Fogueteiro-Sesimbra ?


3 comentários:

Anónimo disse...

Se todos os autarcas fossem como o Dr.Sá fernandes isto não estava o lodaçal que está, na Margem Sul o lodo de vale de Zebro é mais transparente que as autarquias da zuna.

democrata2 disse...

O problema é que o Sá Fernandes só sabe contestar e não construir. Em quantos projectos de alguma coisa já participou. É um fulano mediático, especialista em afrontar o sistema, o que é bom, mas não tem condições para ser presidente de Câmara, uma vez que não participa em nada construtivo, só de protesto. Há quem brinque e diga se o Sá Fernandes fizesse obras em casa embargava a sua própria obra. Por outro lado, o Bloco de Esquerda nunca ganhará uma autarquia na margem sul. Na margem sul só a C.D.U. e o P.S. é que tem condições políticas de ganhar as câmaras. O Bloco é muito de falar e pouco de fazer, é uma características dos esquerdistas, falam que querem um mundo melhor mas são contra a luta de massas- por exemplo não participam em manifestações de trabalhadores (pelo menos como força política).

Mafalda disse...

Pois é meu caro democrata, esta divisão:
Esquerda -
Democrata.Impoluta. Defensora dos grandes principios humanitários.
Direita-
Autocrática,Corrupta.Capitalista.Desumana e exploradora.
Esquece que as sociedades são formadas por pessoas,diferentes,
com heranças genéticas e culturais distintas.
Nós somos seres humanos não somos massas. Cada um de nós tem uma estrutura própria.
Podemos partilhar entre nós interesses comuns,pontualmente ao longo da vida.
Nunca todos.
Nunca a vida inteira.
É exactamente por isso,que neste caso, eu que sou tão diferente do dr Sá Fernandes,tenho a mesma preocupação, e subscrevo a sua atitude.
E, meu caro democrata:
O sr está totalmente esclarecido?
Essas Eco-cidades, que se pretendem construir, e que vão possibilitar a quem as constroi, o acesso a fundos comunitários além do dinheiro dos compradores representam de facto um benefício para as regiões, e para o país?
Acredita mesmo nessa ideia dos anos sessenta, agora hàbilmente recuperada pela Pelicano/B.E.S.?
Se é dos que acredita, eu só lhe peço que se informe sobre as anteriores construções da Pelicano.
Sobre o Montijo Residence, que esteve embargado após uma inspecção do L.N.E.C.,que detectou anomalias estruturais graves. E que nem assim foi concluido correctamente, obrigando os compradores a recorrer a advogados
e tribunais para defender os seus direitos.
E que dizer de Palmela Village,onde se sucedem os atropelos à lei.
Onde,desde a privatização de uma estrada pública, até ao loteamento e venda de parte da Reserva Ecológica Nacional, passando pela alteração dos projectos à revelia dos compradores, e pela construção deficiente que conduziu à degradação de moradias antes de serem utilizadas,tem havido de tudo.
Em consciência, acredita que é o bem público, que move esta empresa?
Em consciência, acredita que a autarquia ao permitir tudo isto, foi apenas negligente?
Ou acredita que todos aqueles compradores, são uns malditos capitalistas e como tal devem ser punidos?
Eu respondo-lhe.
Não são.
Grande parte, vendeu a casa onde morava, para comprar aquela. Muitos estão a pagar empréstimos ao B.E.S.
Que segundo recentes informações, hipotecou as casa a um banco espanhol.
Pelo que os compradores se arriscam a ficar sem casa, sem dinheiro e a pagar ao B.E.S. o empréstimo que contrairam. A troco de nada...
Meu caro democrata.
É-me indiferente que todas estas pessoas sejam da dita esquerda, direita, centro ou coisa nenhuma.
É-me completamente indiferente,se têm muito ou pouco dinheiro.
O que aconteceu no Montijo; O que está a acontecer em Palmela com a conivência da Democrática autarquia é uma enorme desonestidade.
E, se me permite a pergunta...
Porque diabo não pode o dr Sá Fernandes ser Presidente de Câmara?Não tem competência?
E qual é o currículum dos outros presidentes de Cãmara antes de o serem?
A avaliar pelo que se passa, de norte a sul do País, não me parece que os currículuns sejam brilhantes.
A avaliar pelo seu distrito...
Mafalda