terça-feira, maio 30, 2006

PARTIDO COMUNISTA VS MOVIMENTOS CIVICOS TEORIA E PRÁTICA















As
imagens mostram o movimento da Flor
da Mata/Pinhal Frades em 2000, e uma inédita manifestação contra a politica da Câmara do Seixal acções e movimentações mal digeridas pelo PCP local.

Se
há hipocrisia na vida politica portuguesa, então o PCP e seus sucedâneos batem aos pontos qualquer outra força politica. Vem deste inicio de semana dois exemplos. Um foi a convenção dos Verdes, aquela aberração do espectro partidário português que per si dá razão de existir à coligação mais fraudulenta da nossa história democrática.

Apesar do duro revez que foi na véspera a deserção de uma das suas fundadoras, Isabel Castro , os Verdes aí estão pungentes na sua inutilidade e falsidade a começar pelas intenções “vai ser debatida de forma muito intensa a situação ecopolitica a nível nacional e internacional” segundo referiu Heloísa Apolónia que continua “ vai ser discutido o agravamento profundo das questões sociais e ambientais, fruto das sucessivas politicas de crescimento sem ter em conta a nossa própria sustentabilidade” e conclui “ ...a nossa visão de desenvolvimento alternativo em que a componente ambiental deve ter uma forte expressão. Este modelo económico que predomina no mundo contribui muito para comprometer as questões sociais, mas também para a delapidação dos recursos naturais. E isto é perfeitamente insustentável para quem tem uma perspectiva de futuro”

Como discurso, nada mais vazio , torpe e inconsequente , como são belas estas intenções de tal forma inconsequentes que na prática, pergunto à senhora deputada ; - Porque razão não são elas aplicadas a autarquias onde os verdes têm supostamente representatividade (pelo menos foram eleitas sob o simbolo da CDU) por exemplo na Margem Sul e onde a senhora Heloísa desempenha também um cargo autárquico?






Depois na imprensa deste fim de semana lá vem a deputada Helóisa afirmar " se o partido confinasse a sua acção e os seus projecto às questões de ambiente então não fazia sentido existir" ora carissima deputada, como nem em questões de ambiente este partido é visivel... o melhor é mesmo seguir o exemplo de Isabel Castro.

E para concluir o vazio da mensagem já não deste “clube satélite”, mas do próprio PCP na figura do seu líder ao apelar aos portugueses que “lutem pelos seus direitos”, deveria pelo menos ter sido mais concreto, deveria ter dito aos portugueses “que lutem pelos seus interesses, mas desde que esses interesses não colidam com os interesses do próprio PCP” é que quando isso acontece é toda a máquina do PCP que lhes cai em cima um exemplo:

É notorio - e estranho - a teimosia e o interesse do PCP, pelo menos do PCP local, ou melhor dizendo, dos dirigentes do PCP Seixal, na betonização da zona protegida no PDM, da Flor da Mata - Pinhal dos Frades e à qual a população se opõe (ver imagens).

Não o fosse e não seria tão escandalosamente notório o boicote à participação cívica (real - não a instrumentalização feita sobre a forma de movimento civico por exemplo no caso do Hospital) já não digo sequer na forma como as leis são contornadas, ou mesmo no acesso à informação. Falo em coisas tão simples que é o negar à população o direito à indignação consubstanciada nos cartazes de certa forma "naives" que ao longo dos anos os cidadãos têm posto, quer em defesa daquela àrea , quer substituindo-se à autarquia na informação que nega aos cidadãos.

Logo assim que estes são colocados é ver diligentes funcionários da Junta de Freguesia a ir eliminar os "focos de agitação" e qualquer forma de revolta popular, ao melhor estilo Fascista.

Exorto pois os Seixalenses e em particular aos residentes em Pinhal dos Frades e Flor da Mata, tal como os que defendem a Mata de Santo António , o consignado na Lei e na Constituição e assim levando à letra Jerónimo de Sousa "As populações que se organizem em movimentos tomem os seus direitos nas suas mãos e que os defendam...Existe democracia para além da democracia representativa : a democracia participativa. “ e para concluir o slogan “Se não se luta perde-se sempre”

Resta agora saber se os cacíques locais na Margem Sul vão acatar o seu líder , se esta é uma nova postura ou corrente dentro do PCP, desde sempre avesso a estes actos de cidadania, a menos que devidamente infiltrados e por si manipulados, ou se pelo contrário é mais um exemplo da hipocrisia politica do Partido Comunista.


___________________________________________

No Ambio uma excelente entrevista sobre o "ilegitimo negócio do caos" clique!

14 comentários:

Anónimo disse...

Há muito que a Margem Sul é um território à parte, só comparável com a Madeira nos tiques ditatoriais e nas máfias instaladas.

Maria disse...

É mesmo, tanta hipócrisia do poder local no Seixal, destes senhores que se dizem democratas e defensores do povo e do ambiente. Não podem ver uma árvore em pé... que caos urbanistico no meu concelho, uma vergonha, tudo às 3 pancadas, sem qualquer planeamento. A obra que se vê é só betão. Que miséria.

Espero que seja boato a destruição da FlôrdaMata, para construção de prédios

Que Deus nos acuda se fôr verdade

Robert disse...

Eu se fosse dos verdes, tinha vergonha. É absurdo que continuem com esta denominação, e ao mesmo tempo a compactuar com verdadeiros atentados ao meio ambiente. E casos como o de Pinhal de Frades passam-se aqui, como em toda a Península de Setúbal.

Já agora ponto verde, que tal mais atenção ao escandâlo da construção na Mata de Santo António, na Costa de Caparica ?

Outra. Para quando um contínuo urbano de Almada até à Costa da Caparica ? Já faltou mais!

Se isto não fosse tudo tão grave até me daria vontade de rir. Maior desgoverno e hipocrisia era difícil.

manuel disse...

Que tal a Câmara Seixal propor-se a organizar um Rock in Rio? É que aquela rapaziada depois do festival plantam milhares de árvores. Assim para compensar o abate sistemático de matas para erguer betão, tinhamos aqui no concelho do Seixal plantação de milhares de árvores à conta.

m.salvador disse...

Caro manuel árvores não interessam;
-árvores não dão votos
- àrvores não pagam impostos
- àrvores não vão aos hipermercados -árvores não conduzem carros
- árvores não se intimidam com a sua democracia musculada
- árvores morrem de pé, o que é complicado para quem não tem coluna vertebral.

Manuel disse...

Caríssimo Salvador, infelizmente essa é a mentalidade de muitos dos nossos autarcas. Basta olhar para a obra feita.

Não se rouba apenas dinheiro e outros bens materiais. Essa mentalidade rouba qualidade de vida às pessoas e rouba qualidade do ar e da atmosfera. Infelizmente se faz tábua rasa a tudo isto.

Roberto dias disse...

Vim para o Seixal viver em 1984 fugindo da Pontinha, escolhi o Seixal por ser Comunista e pela fama que as Câmaras Comunistas a Sul do Tejo tinham, qualidade de vida , não cedência aos interesses dos especuladores imobiliàrios e patos-bravos.

Era de facto uma maravilha, entretanto tudo mudos, até os Comunistas já não parecem ter a mesma politica. Parece que quem manda são os Patos-bravo, casas e mais casas sem qualidade. Nos anos 80 o sitio considerado pior e mais massificado era Miratejo, hoje Miratejo é uma perola comparado com os sitios novos como santa Marta do Pinhal. Só Betão sem qualidade, esse betão alastrou por todo o concelho e o ar é irrespirável, as estradas intransitáveis, problemas sociais, insegurança, bairros sociais degradados.

Por minha vontade voltava a mudar, o Seixal de agora é bem pior que a Pontinha dos anos 80.

João Afonso disse...

O Roberto Dias pode mudar à vontade pois pessoas como ele não fazem cá falta. Por mim gosto do Seixal e continuo a entender que é o concelho da Area Metropolitana de Lisboa onde as pessoas têm maior qualidade de vida. Digo e repito esta afirmação neste blog, e até ao presente ninguém me apresentou argumentos que me fizessem repensar tal afirmação.

Robert disse...

João Afonso diz: "Por mim gosto do Seixal e continuo a entender que é o concelho da Area Metropolitana de Lisboa onde as pessoas têm maior qualidade de vida" --> LOL !!

Obrigado por me fazer rir logo de manhã :)

Paulo silva disse...

ahahahahahah, já cá temos uma anedota, logo de manhã. Gostava de saber quais os indicadores de qualidade de vida do joão afonso. Condições aqui na Amora, no Seixal, Miratejo...não nos faltam para ter um concelho de top. Mas o que se vê é só "obra feita" betão, betão e por incrível que pareça mais betão.

João Afonso disse...

Gostei dos argumentos apresentados, são dignos das anedotas que os escreveram...

lampião disse...

O senhor Afonso quer argumentos?

Mas os seus argumentos são aqueles que não têm nenhum suporte a não ser, se não votas CDU, se contestas as opções da CDU, então "pode-te ir embora que não fazes cá falta".

Ora isto é um pricipio errado, um principio xenófobo e racista, é por eu ser mestiço? Isto é só para Arianos e de concepção marxista? Nem um nazi faria melhor afirmação.

O Senhor Afonso não anda de transportes publicos pois não, nem faz autoestrada em direcção a LIsboa quando o trabalho a isso obriga (sou motorista), em virtude do aumento da população está impossivel, o mesmo à tarde no Fogueteiro.

As escolas estão superlotadas e cheias de problemas porque não há inserção nem face a tanta gente de haver para os jovens ocupação nos tempos livres, depois há os bairros que nos dão e não fazem obras e são longe de tudo.

Estão a ocupar o espaço verde que resta e sendo privado dá ar para todos e não só para os seus donos para construir e enriquecer alguns. O Betão que se saiba não dá ar puro.

O Senhor Afonso só está a pensar no próprio umbigo, não deve ter filhos nem netos porque se assim pensasse não achava que está tudo bem.

Os indicadores do ozono mostram que não há qualidade no ar que se respira e depois outros assuntos remeto-o para outros temas diáriamente aqui tratados, claro que o senhor diz que é tudo mentira, mas esta Câmara é que está cheia de mentirosos, basta ver o DVD que anda a circular pelo concelho para ver que se apanha mais fácilmente um mentiroso que um coxo.

Roberto dias disse...

Ó lampião, não se preocupe, não é questão de raça, é questão de opinião, esta gente não presta mesmo foi por isto que deixei de votar neles. já não enganam ninguém, é só esquemas.

carlos disse...

eu acho que vivemos num concelho que é dormitório. O que vejo é pessoas que trabalham e dormem, mais nada. é como eu, e no fim de semana fico em casa porque não tenho sitios para ir com os meus filhoe e mulher passear, a não ser às compras ao continente. isto é alguma qualidade de vida?
Tou aqui na Cruz de Pau à 13 anos e tenho visto como isto tem crescido só em prédios, uma loucura