quinta-feira, julho 24, 2008

BARRIL DE PÓLVORA NA QUINTA DA PRINCESA


Há dias pubicou-se aqui um post onde se dava conta que a situacão que todos temos acompanhado na Quinta da Fonte em Loures , potencialmente poderá ocorrer a todo o momento em qualquer lugar da Margem Sul, pois todos os condimentos estão reunidos.


O Correio da Manhã noticiava no passado domingo que:

¨O bairro da Quinta da Princesa , na Cruz de Pau , tem sido palco nas últimas duas semanas de uma operação policial de larga escala. A PSP quer acabar com os constantes ataques a carros-patrulha ocorridos naquele Bairro Social (...)

Assim nas últimas duas semanas agentes da esquadra da Cruz de Pau, auxiliados por elementos das equipas de intervenção rápida, têm-se deslocado diáriamente ao bairro para realizar mandados de busca a viaturas e residências e revistar pessoas. Várias detenções e apreensões de droga já foram efectuadas (CM 20/7/2008) ¨

Esta noticia e as imagens que temos visto nas últimas semanas, é a prova de que de que , e ao mesmo tempo que no Porto se opta por demolir o Bairro do Aleixo , de uma vez por todas é urgente acabar com a construção destes pesadelos urbanos , estes guetos racistas onde é constatemente posta em causa a autoridade do Estado e literalmente se goza com os cidadãos cumpridores , com o contributo dos quais (impostos) se criam tetos , mas não se resolvem problemas sociais e muito menos se integra.

Não há direitos adquiridos nesta politica errada, há sim que aplicar a lei, e aqui elogia-se o papel da PSP na Quinta da Princesa e há que acabar com a criação destes ¨depósitos de pobres¨ com os quais uns ganham panfletáriamente, votos , e outros muitos milhões de euros.

9 comentários:

Anónimo disse...

Este bairro como muitos outros, até estão excelentemente colocados, estavam arranjadinhos, asseados e até aos primeiros realojamentos tudo corria pelo normal. Ora bem então qual o problema? todos nós sabemos, não adianta esconder a verdade (parece que existe medo), são mesmo as pessoas que lá habitam, não tentem arranjar desculpas para algo que não tem culpa.

EMALMADA disse...

Nestas questões governantes e autarcas parecem andar a brincar com os cidadãos cumpridores.

j.a. disse...

Aquele bairro podia ter um supermercado e outros acessos, o governo é que não deixa porque está a impedir o desenvolvimento daquele local e impede que a alternativa à EN 10 prossiga . O Estado não faz , nem deixa a autarquia fazer.

Daniel Geraldes disse...

Realmente construir mais um supermercado é um ideia de desenvolvimento da Quinta da Princesa de iluminado.


Aquele bairro não precisa de um supermercado ou de uma estrada nacional que tem de ser alternativa independetemente de existir ou não á Quinta da Princesa.

O que aquele bairro necessita é de uma autarquia que os promova para sair enclausuramento, que lhes crie oportunidades e que os trate por igual nos direitos e deveres, ou seja, que lhes crie condições.
Não tráta-los por coitadinhos e fingir que nada se passa.

Mas o descontentamento popular traz votos ao PCP e isso não interessa mudar.

Anónimo disse...

Verdade qq dia tambem assistimos a ataques racistas de pretos a ciganos, ou a brancos.

Filipe de Arede Nunes disse...

A frase do dia é: "Aquele bairro podia ter um supermercado e outros acessos, o governo é que não deixa porque está a impedir o desenvolvimento daquele local e impede que a alternativa à EN 10 prossiga."

Nem faço comentário!

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Anónimo disse...

Era pô-los a morar no bairro dos ricos, na Verdizela e Aroeira :)
Era mesmo fixe, os Bernardos, Afonsos e os Gonçalos a jogarem golfe todos cheios de dinheiro e o pessoal no green a ouvir kuduro, a sacar peões com o carro e a vender roupa de marca da Trotlemany ao Lelo na psicina do Doutor Arquitecto Professor da treta.
Resolvia-se assim os problemas dos bairros sociais.

hkt disse...

Bem, a Quinta da Princesa até poderia ter um hipermercado e um viaduto... o problema é e será sempre "o governo central".
Então falemos da Cucena: não se poderia arranjar maneira de limpar aquele bairro? O amontoado de lixo que se vê da estrada é assustador. Se os serviços da câmara não limpam, e se os moradores sujam ter-se-á que encontrar forma de resolver o problema, não?
Essa é competência da CMS. Se nem isso conseguem fazer ...

Anónimo disse...

Falando na quinta da princesa, também se pode falar nouto bairro do seixal, a cucena (paio pires) a GNR devia imitar a PSP e fazer lá umas operações...Falando na Cuçena, foram construidas lá habitações sociais para imigrantes dos palops, com o intuito de remover alguma escumalha da Arrentela, mas em duas semanas aquilo tornou-se num autentico faroeste africano...depois ainda a câmara do seixal fala em mover os coitadinhos, porque eles vandalizaram e estragaram aquilo que lhe deram, para a flor da mata, seixal. Realmente isto dá que pensar