domingo, julho 01, 2007

AQUI MORA...UM BOM EXEMPLO




Vimos aqui ontem que há um elevado grau de endividamento nas autarquias portuguesas, e sem que na maioria dos casos tal se traduza numa melhor qualidade de vida da população.

Na margem sul o caso mais grave e que não mostrará toda a gravidade do problema é o Seixal, apesar de ser o concelho da região com mais fogos em construção e da destruição acelerada dos espaços naturais para serem rentabilizados em chorudos projectos habitacionais e industriais..


No caso do Seixal a situação representa uma gravidade ainda maior porque os números do deficit não traduzem as ultimas manobras que são, através de leasing passar para as próximas gerações o ónus de politicas de pura vaidade politica, como é o caso das oficinas da Câmara ou dos futuros Paços do Concelho também a serem construídos pelo mesmo construtor em ajuste directo (Grupo A.Silva & Silva) e que será pago pelas futuras gerações por um mau acto de gestão e que denuncia a subserviência ao maior grupo com interesses imobiliários locais.

Mas há bons exemplos não muito longe do Seixal, exemplos que demonstram que não é necessário arrasar florestas, destruír espaços verdes ou endividar a câmara, para construir equipamentos culturais e sociais. Há exemplos de uma orientação pela qualidade de vida, pela educação ambiental e pelo desfrutar da natureza, exemplos de tirar partido das (poucas na óptica de autarquias como as da margem sul) potencialidades da sua região , tendo a visão de construír mais valias para a região e para o país que atraem fluxos turisticos de qualidade e numa óptica pedagógica.





O exemplo que pretendo aqui trazer vem de Mora, Mora é uma autarquia de maioria CDU, mas onde não vemos prédios, onde não vemos fogos e mais fogos á venda, onde não vemos condomínios fechados... vemos sim um exemplar aproveitamento dos recursos um desenvolvimento sustentável e em equilibrio com a natureza , vemos sim, a construção de um equipamento de Excelência em qualquer parte do Mundo, refiro -me ao Fluviário.


O Fluviário estará para os rios, como o Oceanário de Lisboa está para os oceanos, e curioso, a construção desta estrutura não implicou a construção de prédios em volta , foi construído por uma autarquia com poucos recursos mas com uma grande visão, aquela que não se tem em concelhos cheios de prédios.






Fica aqui o elogio (também à praia fluvial ao lado) e sublinhar que vale a pena conhecer. a pouco mais de uma hora da margem sul.

5 comentários:

ex-militante disse...

Parabéns ao meu ex camarada Zé Sinogas, há ainda gente no PCP que não se deixou levar pelo facilitismo e pelo dinheiro dos patos bravos, aqui no Seixal as coisas são diferentes e há outras responsabilidades em alimentar o Partido, mas atigiu-se o exagero .
Comparar os apoios da praia fluvial de Mora com as do Seixal é o dia da noite. Assim se vê o que por estas bandas contam as pessoas.
Dr Paulo "Borga" continuo sem conseguir explicar ao meu filho porque é que eu dizia que tinhamos de proteger o pinhal e de um dia para o outro um capitalista arrazou-o todo, o que digo á criança? O que dizemos às nossas crianças do ambiente que os senhores CDU-Verdes lhes deixaram?

Anónimo disse...

É curioso, um site "anti-comunista ressabiado" que publica elogios a autarquias CDU, as que merecem! Textos do Avante e programas da CDU e que com isso aborrecem a CDU da margem sul??? Interessante!!!

np disse...

Eu próprio visitei o fluviário há 3 semanas, dado o interesse da criança da casa e devo referir que é merecedor de todos os elogios. Embora pequeno na dimensão, é de uma grandeza qualitativa muito boa, além de ser extremamente lúdico para as crianças.
Seria de facto interessante na nossa orla litoral (almada, seixal ou outro caso qualquer)ter equipamentos lúdicos desta ou de outra dimensão.

Infelizmente nem um parque florestal temos e parques urbanos como o da Paz, das Paivas ou do Serrado deveriam ter mais três ou quatro réplicas de dimensão condizente coma (muita) procura que têm

Papoila disse...

Caro Ponto Verde

Não se constrói em Mora como no Seixal, porque simplesmente lá não há pessoas, não há grande investimento. Infelizmente o governo central afasta as pessoas do interior, fecham escolas, maternidades, postos de saúde,... Sei do que falo pois também eu sou alentejana e vejo o peso da interioridade. É claro que o fluviário é uma boa aposta, no sentido de cativar visitantes ao concelho, mas estes não ficam muito tempo, talvez um dia,...
Não se pode comparar o Seixal com Mora porque as realidades são por demais distintas.

Anónimo disse...

O novo edifício dos Paços do Concelho irá permitir centralizar futuramente todos os 39 serviços actualmente dispersos pelo Seixal.
Dados os contornos da relação entre a Câmara e o grupo A. Silva & Silva, gostaria de saber se alguém já sabe qual o destino a dar aos imóveis (/terrenos???) entretanto desocupados?