terça-feira, julho 31, 2007

CIDADANIA VERSÃO (A ABATER) MARGEM - SUL




















Aos "fiéis-jardineiros" que ousam desafiar e denunciar a corrupção e os interesses instalados.


Do Jornal Rostos a posição oficial do PCP sobre o Movimento de Cidadania da Várzea da Moita , se não fosse trágico o que se pretende passar e a forma como o PCP tem moldado esta região impunemente há mais de trinta anos e seria hilariante a observação exterior dos tiros nos pés e no desmascarar dos procedimentos anti-democráticos e neo-feudais do PCP!

____________________________________________________

Sem mais, o PCP por ele próprio, contra a cidadania :


PCP Moita:

“PCP não reconhece legitimidade moral aos que o renegaram”

“O PCP defende e incentiva, as mais das vezes isoladas no contexto partidário português, as iniciativas, os movimentos e as organizações populares. Contudo, nunca o PCP se eximiu à sua responsabilidade, enquanto Partido de classe, com a sua identidade ideológica e os seus princípios, a valorar os propósitos, explícitos ou encapotados, de qualquer movimento. É que o rótulo “movimento de cidadãos” não constitui por si qualquer tipo de caução – afinal, tão cidadão era o antifascista, como o bufo que o denunciava.” – refere em comunicado o Executivo da Comissão Concelhia da Moita do Partido Comunista Português.

Divulgamos o texto integral do comunicado enviado pelo Executivo da Comissão Concelhia da Moita do Partido Comunista Português:


LIÇÕES (I)MORAIS

O Sr. António Ângelo solicitou à Comissão Concelhia do PCP uma reunião, que se veio a realizar no passado dia 5 de Julho, onde compareceu com quatro acompanhantes.
O Sr. António Ângelo entregou-se à habitual diatribe contra... o Plano Director Municipal, a Câmara, os autarcas, enfim, contra (quase) tudo e (quase) todos, concluindo com uma colecção de “recomendações” / “recados” ao PCP.
Alguns dias depois revela-se o real propósito da reunião, na publicação de um escrito em “O Rio” onde o Sr. António Ângelo se dedica a “relatar” a dita, conforme a sua conveniência, e sem que o jornal se tenha preocupado no esclarecimento da outra parte, neste caso o PCP.
O Executivo da Comissão Concelhia do PCP considera que deve aos incautos leitores de tal peça os seguintes esclarecimentos:

- A “acta” que o Sr. António Ângelo fez publicar em “O Rio” enferma da notória falta de honestidade intelectual que vem demonstrando. Não passa de um pretexto para a reprodução do chorrilho de falseamento de factos, puras invenções, injúrias e dislates que têm servido de base à campanha feroz que está a ser conduzida contra a gestão municipal, os autarcas comunistas e o PCP e a CDU.

- O custo desta campanha é pago em última análise pela população do Concelho, pois o que está verdadeiramente em causa é bloquear o progresso e o desenvolvimento do Concelho.

- O PCP não reconhece legitimidade moral aos que o renegaram para nos darem quaisquer lições – seriam verdadeiramente lições imorais.

- O PCP defende e incentiva, as mais das vezes isoladas no contexto partidário português, as iniciativas, os movimentos e as organizações populares. Contudo, nunca o PCP se eximiu à sua responsabilidade, enquanto Partido de classe, com a sua identidade ideológica e os seus princípios, a valorar os propósitos, explícitos ou encapotados, de qualquer movimento. É que o rótulo “movimento de cidadãos” não constitui por si qualquer tipo de caução – afinal, tão cidadão era o antifascista, como o bufo que o denunciava.

- O PCP reafirma o seu entendimento de que, através da utilização de preocupações e aspirações legítimas de alguns munícipes, se está a promover uma campanha que pretende impor, por todos os meios a que consiga deitar mão, a não concretização das propostas do Programa Eleitoral da CDU que foram maioritariamente aprovadas pela população do Concelho.

- O PCP vê em alguns dos participantes desta campanha um iniludível vezo antidemocrático, explícito na busca de conseguir a imposição dos seus interesses e opiniões particulares.
A reunião decorreu, pensava-se, em ambiente de respeito e de civismo exemplares, mas afinal, com o escrito em “O Rio”, verificou-se que o cinismo e a traição imperaram.

O Executivo da Comissão Concelhia da Moita do Partido Comunista Português

Rostos

30 - 7 - 2007


Aqui a resposta do cidadão visado (CLIQUE) , e aqui o acompanhamento feito pela blogosfera local no blogue Alhos Vedros ao poder de 30 e 31 de Julho (clique) .

Aqui (clique ) , também aqui (clique) , ou ainda aqui o comentário do cidadão alvo (clique). .

6 comentários:

cidadao disse...

- Sei o que são essas tentativas de pressão.

- Sei o que são essas tentativas pela exaustão de reuniões e mais reuniões com elementos da Câmara que se confundem com os elementos do Partido.

-Sei o que são essas reuniões onde interesses privados se confundem com os interesses da câmara e do Partido.

- Sei o que são as tentativas de descredibilização, de mal-dicência, de mentira.

- Sei o desgaste que tudo isso traduz, e sei também que a democracia no Seixa, em Almada, na Moita... deixa muito a desejar.

Por isso cumprimentos ao Sr.Ângelo e às gentes da Várzea da Moita.

Anónimo disse...

E sabe quem é o Sr. Ângelo ou qualquer um ao abrigo do nome de cidadania pode ofender e caluniar?

O Sr. Ângelo é um antigo militante do PCP, a sua esposa foi secretária do Álvaro Cunhal. Actualmente o senhor Ângelo é funcionário da REMAX, pelo que trabalha em especulação imobiliária.

O Sr. Ângelo na última reunião em que participou na Câmara ameaçõu partir coisas e rasgar documentos. É esta a cidadania que defendem? Da ofensa e da violência?

Anónimo disse...

grande confusão vai nessa cabeça colega anónimo de cima, grande confusão...

Anónimo disse...

Olhe que não, olhe que não...

Manuel disse...

Sr. Anónimo não fale do que não sabe. Eu conheci o António Ângelo hà mais de 30 anos não em França mas sim no Luxemburgo, quando ele era funcionário do PCP. Só não passava fome porque os militantes lhe davam de comer. Dormia no sofá da minha casa graças à boa vontade do meu pai, e sabe para quê? Para não fazer despesas ao Partido. Até o mísero salário que o partido lhe pagava utilizava para comprar material de propaganda. Foi uma das pessoas mais honestas que conheci e abnegadas a lutar pelos ideais comunistas. Felizmente abriu os olhos e viu o que vocês valem: NADA. Com essas atitudes estalinistas que não admitem que ninguém tenha opinião diferente da vossa. Para vocês qualquer pessoa que trabalhe para vencer na vida é ladrão e oportunista. Por isso estão condenados a acabar. É uma questão de mais ano menos ano.

Manuel Pinheiro

Manuel disse...

Além disso senhor anónimo, a especulação imobiliária não é feita pelos profissionais do sector. É feito sobretudo pelos autarcas, falsos moralistas, e falsos amigos do povo que recebem milhões para converter terrenos agrícolas em urbanizações. A comissãozita que o mediador imobiliário recebe muitas vezes nem chega para pagar as dores de cabeça que vocês dão.