segunda-feira, junho 11, 2007

"FALTA CUMPRIR PORTUGAL"
















"Cumpriu-se o Mar e o Império se desfez..."


Cavaco Silva revelou, a propósito do discurso do Dia da Portugal, uma preocupação ambiental que já estava presente em Jorge Sampaio. A propósito , Cavaco Silva no seu discurso "inconformista" declarou não se resignar com os “sinais de degradação do ambiente, património cultural”.

Por outro lado revelou ainda que o próximo roteiro presidencial será dedicado às Ciências e Tecnologias do Mar. “É preciso passar à acção”, disse, “tirar partido das oportunidades” geradas pela economia do mar e “enfrentar, com determinação, as ameaças”, nomeadamente a poluição, as alterações climáticas e o desordenamento da orla costeira.

Parece ser um discurso dinamizador na acção e conservador no melhor sentido da palavra quando revela da responsabilidade que temos de passar às futuras gerações o património ambiental e cultural herdado e que tudo deviamos fazer para conservar.

Se às palavras do PR somarmos o local onde foram proferidas com o Sado e a Sagres em fundo, mais ênfase tem o seu conteúdonuma data e em discursos de ocasião que sempre tenderam para campos mais herméticos e saudosista.

Saúda-se pois o conteúdo e o inconformismo que se espere alerte e acorde quem ao nível do Governo deverá pôr em prática estes designios...designios como o contrariar o "desordenamento da orla costeira" que colidirão por exemplo com os PIN... e com o Benidormismo dos nossos autarcas deslumbrados que estão com a máquina de produzir mais valias que têm em mãos...com os malabarismos nos PDM's na REN e na RAN, para já não falar na Rede Natura... neste sistema lusitano resta saber até onde chega a influência do Presidente...


2 comentários:

sérgio disse...

Exactamente falta cumprir Portugal!!!
Realmente em Portugal existem inúmeros atentados ao ambiente, principalmente na orla costeira.
Parece que agora vão atacar a Costa Alentejana, entre Tróia e Sines, enfim vão fazer um novo Algarve!
Depois só fica a restar o meu paraíso, a Costa Vicentina, uma Aldeia Gaulesa, que resiste aos interesses do Betão!

Anónimo disse...

Os maiores atentados em Portugal são à inteligência, e não ao ambiente.