terça-feira, setembro 13, 2005

ESGOTOS DO SEIXAL O DESPEJO PARA O RIO CONTINUA




















Seixal, manobras de propaganda escondem os verdadeiros problemas e carências do município, um município onde mais de metade dos esgotos não são tratados.
Na imagem a vermelho o esgoto não tratado concentrado no ponto assinalado e despejado no ponto de intersecção com a linha verde, àgua tratada proveniente da ETAR de Fernão Ferro situada cerca de 500 metros a montante dalí. É para isto que se constróem ETARS?

Menos de cinquenta por cento é a percentagem de esgoto tratado que é despejado no Tejo, o restante são efluentes não tratados que são depositados em fossas ou despejados directamente para o Tejo no Municipio do Seixal.

O Municipio do Seixal pretende no entanto passar a imagem de que é um município de vanguarda na qualidade de vida dos seus residentes, para o conseguir usa e abusa dos meios de comunicação e propaganda próprios e alheios, nos quais imagens ou opiniões como as que aqui se têm mostrado não têm espaço.

Associado a esses meios mediáticos, temos uma politica de "sempre em festa" e muito foguete para dissimular a ausência de politicas viradas para o dia a dia do cidadão, há assim uma esquizofrenia politica reinante que afasta as atenções dos verdadeiros e reais problemas das pessoas.

Dentro dos mais básicos parâmetros de desenvolvimento temos o caso paradigmático dos esgotos, no Seixal mais de metade dos esgotos que são despejados no Tejo não são tratados , e neses ultimos quatro anos nada se evoluiu na correcção deste indicador, noentanto o concelho tem crescido exponencialmente (de 30000 hab em 1974 para 160000 actualmente) , ao mesmo tempo que em vez de revelar que há uma maior carga de efluentes a correr para o Estuário, faz passar a ideia peregrina de recuperação da Baía... o que é completamente falso.


Imagem - o Tanque de esgoto onde é concentrado o efluente de Pinhal dos Frades e não tratado é despejado na àgua que vem da ETAR de Fernão Ferro.

Um caso caricato é o que envolve a ETAR de Fernão Ferro, uma ETAR que parece funcioinar bem, pelo menos o aspecto da àgua que corre à sua saída assim o indica, mas essa água só corre limpa no Rio Judeu cerca de quinhentos metros, porque depois, nela é despejado esgoto sem qualquer tratamento que é concentrado num tanque onde são concentrados os efluentes de Pinhal dos Frades, ou seja , o dinheiro gasto na ETAR de Fernão Ferro foi dinheiro deitado ao esgoto...literalmente.











Imagem, este é o ponto em que a àgua não tratada proveniente de Pinhal dos Frades é despejada no Rio Judeu na àgua limpa proveniente da ETAR de Fernão Ferro

O Rio Judeu assim contaminado corre cerca de cinco quilómetros até desaguar alegremente e poluído junto à Ponte da Fraternidade na Baía do Seixal, antes passa por zonas residenciais, comerciais, rega hortas e é ainda alimentado por uma vacaria... Duvido que este tema tenha sido debatido ou apresentado no âmbito da iniciativa que o Seixal tão bem promove denominada "Seixal Saudável" ... mais uma manobra de propaganda pois então... a "saúde" no Seixal , real, é bem diferente

12 comentários:

Anónimo disse...

Parece que esta noticia calou os defensores do Seixal Saudável, do betão do crescimento urbano.Gostava de saber o que a CMS acha de ter investido na construção de uma ETAR e depois despejar esgoto não tratado na àgua que dela sai e o que achará a Comunidade Europeia quando contribui para projectos deste tipo, depois desbaratados desta maneira.

Meistre disse...

A CMS não irá dizer nada, tal como faz com outros assuntos, foge aos assuntos onde tem culpa...

flamingo disse...

O assunto está bem argumentado e documentado,como outros que aqui li,mas como não dá para pegar e dar a volta,nem comentam, palavras para quê?

Anónimo disse...

Simarsul investe 187,4 milhões de euros no tratamento de águas residuais
2005-03-18 04:32:21
A Simarsul, concessionária da gestão e exploração do Sistema Multimunicipal de Saneamento de Águas Residuais da Península de Setúbal, investirá entre 2004 e 2008 187,4 milhões de euros, segundo o plano de actividades da empresa aprovado, a semana passada, na assembleia geral ordinária de accionistas.


Entre as infra-estruturas, cujo investimento contará com um co-financiamento em 25% pelo Fundo de Coesão da União Europeia, estão 16 estações de tratamento de águas residuais (ETAR), 61 estações elevatórias, 132 quilómetros (km) de emissários e 54 km de condutas elevatórias. O objectivo é que, «até ao final do ano de 2008, seja atingido um nível médio de atendimento no tratamento de efluentes de 95% na sua área de concessão», refere um comunicado da empresa que integra os municípios de Alcochete, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal.

Actualmente, a empresa já está a operar três ETAR – Quinta do Conde, Sesimbra e Zona Industrial da Auto-Europa – e já lançou os restantes concursos para que, em Julho, comecem as empreitadas.

Além disso, refere a empresa, foi «efectuada a adjudicação das empreitadas para instalação de sistemas de arejadores na ETAR do Afonsoeiro e a empreitada de realização de campanhas analíticas de caracterização das águas residuais para todo o sistema».

Entre os trabalhos já encetados pela Simarsul encontra-se o projecto de investigação para a reutilização das lamas da ETAR, a preparação de estudos prévios e estudos de impacte ambiental para a construção das novas ETAR Barreiro/Moita e Seixal, projectos de execução dos sistemas de drenagem e elevatórios dos subsistemas e empreitadas de levantamento topográfico e prospecção geotécnica.

A Simarsul é uma sociedade anónima constituída pelo Grupo Águas de Portugal (51 por cento) e pelos municípios de Alcochete, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal (49 por cento), sendo concessionária, por um período de 30 anos, do Sistema Integrado Multimunicipal de Saneamento de Águas Residuais da Península de Setúbal. A sua constituição foi aprovada em Conselho de Ministros, a 11 de Setembro de 2003.

4 camaras cdu 4 camaras ps e a de sesimbra conta com a colaboraçao da cdu.

Anónimo disse...

Se a CM do Seixal com o comment anterior está a sacudir a àgua do capote, pergunta-se ,Já que faz parte da SIMARSUL, porque não resolveu em dois anos fora quase os outros vinte...este problema aqui apresentado? Por querer urbanizar toda aquela àrea protegida? É que os projectos de urbanização para alí contemplavam a bombagem dos efluentes para aquele mesmo tanque... Ou está à espera de conceder alguma parceria, muda a letra do PDM, permite ali construção agora vedada e assim se finge resolver o problema?

De que serve fazerem ETARS se depois na àgua limpa despejam esgoto não tratado?

Anónimo disse...

Boletim Municipal

Apenas Factos

O Boletim Municipal é uma publicação quinzenal, com a tiragem de 65 000 exemplares por número.
A última publicação datada de 9 de Setembro de 2005 era composta de 32 páginas. Nessa mesma edição aparecia por 11 vezes a fotografia do actual presidente de Câmara e candidato autárquico pela CDU. A partir daqui, e para quem gostar de estatistica, é só fazer as contas.

Saiba mais em: www.vivernoseixal.blogspot.com

Anónimo disse...

Agora já não somos nós a mandar. Pois, não conseguimos resolver o problema em 30 anos, e estes agora é que podem e devem ser responsabilizados por ainda não o terem resolvido em um ano e poucos meses. Poxa... bela lógica!! È o exemplo acabado de falta de competencia.

João Afonso disse...

O Ponto Verde esgotou os assuntos e a imaginação, este post é cópia de um que saiu à cerca de dois meses. O de ontem sobre o Centro de Estágios do Glorioso trata um assunto que já havia sido tratado em 16 posts anteriores. Isto demonstra o desespero que passa pela cabeça do ponto verde, o qual se limita a repetir as cassetes que já estão gastas...

Ponto Verde disse...

O desespero de ver tratados os mesmos assuntos ...que continuam por resolver, em aberto e logo actuais...é vosso, até poderia repetir até à exaustão a mesma história, se está enfadado meu caro, não apareça!!!

É que vamos voltar a estes e a outros temas as vezes que nos apetecer. O esgoto não continua a correr? Ainda ontem lá estive e não vi lá nenhuma rolha posta por si ou por nenhum Camarada... rolha gostava o senhor de pôr neste blogue, mas não vai conseguir , mesmo que considere ser esgoto o que aqui se escreve

João Afonso disse...

Eu sei que o ponto verde gostava que eu não aparecesse e me calasse para ele poder mentir à vontade. Mas pode tirar o "cavalinho da chuva" que eu vou continuar a ser comentador "residente"!

Anónimo disse...

Caro anónimo #1.600.000, isso não é nada! O Sr. Narciso Miranda edita uma bela publicação em papel de luxo, 78.000 exemplares para deleite dos matosinhenses. No número que comentei, em 24 páginas, eram só 21 fotografias. E digo só, porque já bateu o seu próprio recorde, num outro número acho que contei umas 25 (ou 27).
Eles aprendem todos pela mesma cartilha e afinam pelo mesmo diapasão. Pergunto quanto custará essa propaganda e o que daria para fazer com essa verba.
Caro João Afonso, eu a julgar que a cassete era invenção comunista. Por falar nisso, o senhor quantas vezes já disse que o ponto verde está desesperado?
Essa do comentador residente é boa, uma vez que o ponto verde pode apagar facilmente todos os seus comentários e eventualmente não o faz apenas por "fair play", porque além de negar tudo, ainda não vi escrever de construtivo.
E comentários ao meu comentário no post "SOBREIROS E AUTARQUIAS "VERDES" - INCOMPATIBILIDADES", não há? Tem aí uma oportunidade de esclarecer as pessoas sobre a compostagem e os despejos na baía.
Relativamente ao post propriamente dito, uma vez mais, não é só no Seixal é no país todo, duas vertentes: o desbaratar de dinheiros públicos em equipamentos que não cumprem a sua função (há milhares de exemplos) e a relação entre os poderes e as linhas de água. Não se entende. A riqueza que é uma linha de água, que acaba invariavelmente para servir de esgoto para depositar todo o tipo de porcaria no mar. É um modelo de dito desenvolvimento que já deu o que tinha a dar e foi só asneiras. -- JRF

Anónimo disse...

A culpa não é nossa é da Simarsul dizem os defensores da Câmara!! Mesmo ontem o presidente Alfredo Monteiro, no debate do Setúbal na Rede, prometeu em 2008 a Câmara iria ter "100% dos efluentes tratados". Então ele promete coisas que não é ele que vai cumprir??? Não tem responsabilidades mas para fazer promessas já pode??? Incoerência!!