segunda-feira, maio 05, 2008

"OS VERDES" UM MITO URBANO



Um dos dossiers sobre ambiente, publicados na passada semana na imprensa , a propósito do Dia da Terra , o Diário de Notícias do dia 21 de Abril, voltou a publicar um artigo sobre a formação politica fictícia denominada "Os Verdes".

Mesmo depois de desmascarado publicamente, objectivos, fundamentos e realidades desta fraude eleitoral, por uma das suas criadoras, a antiga mlitante do PCP , Zita Seabra , a imprensa dita séria, continua a dar cobertura e a produzir verdadeiras peças de lavagem da realidade , um facto, que também ele , é razão do afastamento cada vez maior dos jovens da vida política e que neste caso leva também a um afastamento da defesa do ambiente e da realidade .

Temos aqui defendido a protecção do ambiente como valor transversal a todos os partidos e não exclusivo de um partido ecologista , sobretudo por um que nem partido é , um ¨partido ecologista" que nunca concorreu isolado a eleições e que continua, com cobertura mediática como a maior farsa viva da politíca portuguesa, confirmando que continuam actuantes as células do PCP nos orgãos de comunicação.
Citando a própria criadora , Zita Seabra, e na primeira pessoa :

" O PCP ia criar um partido verde para se aliar a si próprio, o que além do mais trazia outras vantagens politicas (...) estas eram questões que mobilizavam os jovens. Por isso tinhamos que registar o nome rápidamente. Registámos a correr as duas palavras essenciais : ecologista e verde.

Controlada directamente pelo camarada Cunhal para esta tarefa de criar o Partido Ecologista «Os Verdes», meti mãos à obra. O José Casanova tratava dos aspectos logisticos (...). Pediu-se a todas as organizações distritais para procurarem camaradas firmes que se interessassem por coisas verdes, ecologia, natureza, etc. Mas que fossem firmes (...) De Setúbal veio Maria Santos, que foi depois deputada durante vários anos e que abandonou «Os Verdes» ao mesmo tempo que eu abandonava o PCP (...) .

Veio também Herculano Pombo , ligado a organizações da natureza do Norte de Portugal, que saíu com Maria Santos para o PS e foi vereador em Sintra.
Criaram-se «Os Verdes» em 1983, integrando primeiro a APU e, com a saída do MDP, a CDU. O PCP deixou de fazer coligações com o que restava do MDP, verdadeiramente em extinção, para se aliar a este novo projecto que achávamos cheio de perspectivas para o futuro. No entanto « Os Verdes» nunca conseguiram descolar desse selo inicial e nunca foram um movimento ou um partido autónomo capaz de trazer gente diferente e nova para uma aliança com o PCP, nem de enriquecer a esquerda com uma frente de causas ambientais.

O PCP tinha medo que lhe fugissem ao controlo, mas se assim não fosse nunca representariam qualquer mais valia para a esquerda portuguesa. Os Verdes portugueses em nada se comparam com os verdes alemães (...).


«Os Verdes» elegeram logo no início , dois deputados, como acontecia com o MDP, e o seu funcionário passou a ser o funcionário do grupo parlamentar . Dois era o número mínimo de deputados para terem estatuto de Grupo Parlamentar na Assembleia da República.
Uma vez que eles não tinham experiência parlamentar, fui então, além de sua controleira, co-redactora de iniciativas legislativas verdes. »

É pois incompreensível que num Estado de Direito , num país de imprensa livre , que se faça tábua rasa da realidade e se continue a alimentar esta farsa.
Aliás, basta ír fazer uma pesquisa na Internet , na wikipédia, para verificar que a própria coligação CDU, supostamente formada por três partidos , nem mesmo se deram ao trabalho de criar um perfil fictício à Intervenção Democrática (o tal terceiro partido) , quanto aos verdes a definição está aqui (clique) .


Esta e outras farsas também afastam os jovens da politica e retiram credibilidade à Politica e aos politicos !

24 comentários:

EMALMADA disse...

É mais uma faceta negativa da "Política à Portuguesa" que muitos instalados a viverem à conta do orçamento, consideram "politicamente correcto" para sossego das suas "tranquilas consciências".

Anónimo disse...

Oh Ponto Verde, não tinha ninguém digamos mais credível a quem recorrer, homem? Então a Zita Seabra!!!!!!!!!! Tenha dó!

Anónimo disse...

Credíveis para este anónimo só são aqueles que vão ficando no PC até à extinção total, debandada após debandada.
Se ficam são considerados credíveis, se sairem deixam de ser.
Tal está a lógica da moral!

Ponto Verde disse...

Considero credível um discurso feito na primeira pessoa, publicado em livro ("Foi Assim"-Altheia Edit) e não refutado ou desmentido pelo PCP.
Não sei o que é credível para o anónimo das 12.25.
Credível não será por exemplo o politico local (Seixal) que analisaremos no post de amanhã.

Anónimo disse...

Pode ser que isto que vou aqui deixar agora, a propósito ou não de credibilidade (esta coisa da credibilidade dá para tudo: para os que gostam ou para quem serve, é credível; para os que não gostam, ou não serve, não é credível. Dá para tudo!), não tenha nada a ver com a matéria em causa. Ou pode ser que até tenha tudo a ver com essa matéria.

Então é assim: reproduzo um comentário meu noutro espaço, a propósito da liberdade de expressão e de opinião na blogosfera.

Disse, noutra ocasião, isto:

"Tenho uma grande novidade para todos vocês! Grande mesmo!

Então não é que o Eurico resolveu (finalmente?) revelar a sua verdadeira faceta? É verdade! O Eurico passou a censurar o seu blog! O tal que se chama "Triângulo da Ramalha"! Agora só com a aprovação dele é que podemos, todos, os que estão com ele e os que não estão - notem bem, são todos, ele decide por todos - é que são publicados comentários ao que ele resolve publicar!

Para democrata, cidadão empenhado no bem comum, defensor dos direitos das pessoas, não está nada mal! Nada mal,mesmo! Salazar foi a primeira coisa que fez: impedir que os que não pensavam como ele - mas também alguns (muitos) dos que pensavam como ele - pudessem expressar livremente as suas opiniões. Foi o que Salazar fez, é o que o Eurico está a fazer. Bons mestres dão bons discípulos ...

A mim, apenas uma dúvida me assalta: será, de facto, a blogosfesra (pelo menos esta blogosfesra ...) um espaço de liberdade? Será mesmo?

Sabem porque é que ele introduziu a censura no blog de que é "dono" (dono é uma maneira de falar, porque o espaço em que escreve não é dele ...)? Porque se sentiu insultado! Imaginem só, insultado! Ele que insulta tanta gente, sentiu-se insultado por alguns. Vai daí ... censura! Pois claro!

Por mim, desde que o sr. Eurico tomou esta decisão, já lá deixei quatro ou cinco comentários. Criticando, naturalmente, a decisão que ele tomou. Se se derem ao trabalho de ir lá ver, nem uma ainda ele publicou. Ofendi-o, está visto! Coitado do Eurico. Apesar de tudo, tenho pena dele! Muita pena! (que, aqui para nós, é o sentimento mais reles que se pode ter por alguém!). Mas vou continuar a deixar-lhe comentários, pelo menos ele lê-os, de certeza!

Mas vejam lá, participantes neste blog. Cuidado, muito cuidado! Se a moda pega ... lá se acabará, de vez, a blogosfera!"

Depois disto, no espaço em que o publiquei, já houve desenvolvimentos (o autor deste blog, o Ponto Verde, até já comentou um desses desenvolvimentos ...), mas por agora não importa. O que importa agora é saber o que é que o dono deste blog, e os que por aqui vão colaborando, pensam desta atitude cesória (porque é disso que se trata, não é de moderação!) do sr. Eurico Marques no "seu" blog. É isso que me importa agora. Façam favor de opinar ...

PS: os quatro ou cinco comentários referidos no meu texto já vão em mais de uma dezena e meia. Nenhum (!) até agora foi publicado ...

Anónimo disse...

Ponto Verde,

O "Mein Kampf" (conhece?) foi escrito na primeira pessoa, publicado em livro (desculpe, desconheço a editora original), e esse sim, não foi refutado pelo partido nazi...

Quanto às teses da srª Zita Seabra, não são refutadas pelo PCP? Consulte o site do PCP, homem, ninguém o "castiga" por isso, e informe-se. Veja lá se são ou não refutadas. Coisa diferente é esse refutar ser do conhecimento mais alargado dos portugueses. Mas isso são contas de outro rosário ...

Anónimo disse...

Boa tarde!

Só temos que saudar este blog!
O anónimo das 12:25 só nos pode fazer rir! nem pena temos!E já agora para si, anónimo das 12:25, porque não cria um blog para si? Eu não irei lá. Mas pode ser que alguém vá. Para os anónimos que não acham a Zita Seabra credível, para quando a publicação de um livro, ou de um artigo num jornal de referência em que refutem o que a Zita Seabra escreveu? Ficamos à espera; sentados é melhor...

Anónimo disse...

Fico muito satisfeito pelo ponto verde divulgar os cancros da democracia portuguesa.

Para vivermos em felicidade, sem desemprego, sem injustiças, basta acabar com o PCP e CDU e tudo vai ser muito melhor!

Ponto Verde disse...

O comentador anterior engana-se, a mim basta que a honestidade impere, o PCP só tem que fazer como os outros partidos, concorrer como Partido Comunista Português.

A falcatrua está ao esconder-se n'os "Verdes" e na Intervenção Democrática aproveitando o que a lei depois permite, mas defraudando o erário público e a Democracia.

Já agora quem é, quais os principios e conteúdos programáticos da dita ID ?

E os Verdes, onde estão, que lugares de destaque e na prossecussão de uma politica ecológica têm OS VERDES nas autarquias da Margem Sul?

Recomendo a leitura de "Foi Assim", da ex-Camarada Zita Seabra!

________________________________

Quanto ao accionar ou não o selector de comentários na blogoesfera, é o próprio blogger que o permite, está na vontade de cada autor, quem sente que não tem o desejado contraditório, só tem que fazer o seu blogue expondo as suas ideias!

A mim preocupa-me é que os boletins municipais das Câmaras, que custam uma pipa de massa ao herário público não tenham nem a opinião dos representantes dos partidos em minoria, nem dos cidadãos em geral.

Anónimo disse...

Esta questão dos "sub-partidos" já vem de longe.
As grandes marcas internacionais também o fazem, ou seja, criam uma marca nova, com algumas diferenças , para que os incautos, se não quiserem comprar a marca A, podem optar pelas outras sendo que uma delas é a tal "sub-marca".
Nada de novo, e o espanto é realmente andarmos todos no "faz de conta". Isso é que é grave...

Anónimo disse...

Ui e fiam-se no que diz a vira casacas, a opurtunista da Zita para fazer uma reportagem??
Aqela que mal viu opurtunidade de estrelato e dinheirinho abandonou o que ela dizia ter "defendido" durante 24 anos???
Devia acreditar muito naquilo devia..
Sempre pensei que fossem mais inteligentes..
Porque não fizeram a pesquisas pelos próprios meios??
Assim dá menos trabalho, mete uma gaja polémica e sempre se vende jornais e revistas, seja verdade ou não..
Como diria outro hipócrita e colega de partidio da Zita: "BRUTAAAAL"
Emídio Rangel dixit.
Ainda não chegou aqui a censura de escolher comentários de acordo com a vontade do dono do blog???

Ponto Verde disse...

O que é curioso é ninguém aqui ter vindo repôr a "Verdade dos Factos" , nem ninguém aqui veio documentar que Zita Seabra mente!

outsider disse...

A profissão de controleiro, além de estar em vias de extinção em virtude da cada vez menor expressão do PCP na sociedade portuguesa possui um novo desafio: a proficiência tecnológica. De facto ao controleiro moderno não basta apenas intervir na célula designada, na colectividade ou no sindicato ou no grupo de escuteiros da terra. Agora exige-se uma actividade e presença "urbi et orbi", que não se resuma a agitar bandeiras à frente das câmaras, ou a juntar muita gente atrás do líder.

Toda esta introdução da "treta" para dizer que não compreendo a necessidade das pessoas que vêm defender o "sistema" (33 anos de sol no Seixal) gastarem o Latim, pois como compreenderão eu não vejo o site da C.M.S., do PCP ou da maioria das colectividades do concelho pois creio ser informação parcelar. Esta opinião deve-se apenas à pesquisa livre na internet e ao constatar diário de que é viver nesta terra.
A liberdade (valor tão lindo, tão citado em festas do 25 de Abril cheias de cantores de bigode) permite-nos ver o que quisermos e acharmos o que quisermos. (e verdade seja dita, o PCP contribuiu para isso, embora eu possa questionar se verdadeiramente o desejava).

O Azar da "Kamarada" Zita é que questionou o dogma tardiamente (embora fosse bem mais rápida a mudar de paradigma).

Anónimo disse...

Obviamente que os verdes não existem, são apenas uma ficção criada pelo. Após o desaparecimento do MDP/CDE, era precisa criar uma outra ficção e, na época, estavam na moda a ecologia e os partidos verdes com destaque para o alemão. Daí que o PCP, que de parvo não tem nada, agarrasse na moda e criasse um partido de verdes para depois se coligar com ele e aproveitar as oportunidades de ter simultaneamente 2 grupos parlamentares. Não é ilegal, é apenas ilegítimo e para lamentar. Mas é a política portuguesa no seu estado normal: é o salve-se quem puder e os comunistas não são, nesse aspecto, melhores que os outros.
Quanto ao PCP, quanto mais desemprego, mais probreza, mais desigualdades sociais existirem mais ele está no seu elemento. O PCP só vive e sobrevive nesses meios: terminassem com todos esses cancros sociais e seria vê-lo a definhar. Além disso, como não não é nem será governo, está sempre à vontade para criticar e propor tudo o que lhes venha à cabeça, pois sabem que não terão de levar à prática as suas propostas.

Anónimo disse...

O que é verde por fora e vermelho por dentro??
A Melancia e os VERDES!!

Anónimo disse...

O que é de lamentar é que tendo sido os comunistas portugueses os maiores lutadores contra a ditadura de direita de Salazar, no pós 25 de Abril e se a tanto lhes tivessem dado oportunidade, teriam sido os primeiros a implantar uma nova ditadura desta vez de sinal contrário.
Curioso, é o facto de as personalidades do líder histórico do PCP e do ditador Salazar serem quase idênticas.

Anónimo disse...

No meio de tanto disparate que por aqui é dito (não censurem, por favor, classificar de disparate o que é dito não é insulto!), há uma passagem de um dos anónimos que devo sublinhar. É esta: "Quanto ao PCP, quanto mais desemprego, mais probreza, mais desigualdades sociais existirem mais ele está no seu elemento. O PCP só vive e sobrevive nesses meios: terminassem com todos esses cancros sociais e seria vê-lo a definhar."

Não podia concordar mais! Mas não, certamente, pelas razões que o autor destas palavras pensa.

A luta do PCP, a luta dos comunistas, é precisamente essa: acabar com a miséria, acabar com as desigualdades sociais, garantir que "os cancros sociais" de que o autor destas palavras fala sejam, de facto, eliminados dos dias dos homens e mulheres de todo o mundo.

Esta é a luta histórica dos comunistas. Desde sempre, e permanece hoje. Portanto, como diria o sr. Lapalisse, os comunistas, o PCP e os outros partidos comunistas existem e existirão, enquanto este grande objectivo humanista (e que nos tempos que correm é, também, cada vez mais humanitário) não se concretizar.

Dizem - ou querem, a toda a força - que o marxismo está morto, faz parte do passado, falhou! Mas não é verdade, a realidade demonstra-nos hoje, com demasiada violência, que não é verdade. A fome alastra em todo o mundo, a "crise" é um dado adquirido que nos entra pela casa (e pela vida) dentro, e este sistema não só não é capaz de dar resposta capaz, como agrava, continuadamente, esta realidade.

Por isso, a luta dos povos intensifica-se. E os povos sabem reconhecer quem, ideologicamente, tem propostas concretas para resolver os seus problemas.

Posto isto, resolvidos estes problemas, curados "os cancros sociais" de que fala o anónimo, os comunistas, como todos os outros, passarão a ser outra coisa, que as circunstâncias, as sociedades, os homens e as mulheres, quiserem que sejam.

Agora desenganem-se todos de uma coisa: não será pela força, proibição, repressão, ilegalização, ou outra qualquer medida desse calibre que impedirão os comunistas e os povos do mundo inteiro, de lutarem pela transformação desta sociedade que só provoca os tais "cancros sociais". Nunca aconteceu em parte nenhuma no mundo, mesmo nas ditaduras mais ferozes como a portuguesa de Salazar.

Já agora, não vale a pena dizer tratem lá dos cancros sociais. Tratem quem? É que eles são resultado desta sociedade, portanto de nós todos. Tratemos nós desses cancros sociais! E se o fizermos, todos, e os elimanarmos, estejam certos que na primeira linha do reconhecimento pelo feito estarão os comunistas e os seus aliados. Não duvidem disso!

Anónimo disse...

Oh Ponto Verde, não resisto a esta.

Para ser honesto, o PCP tem que fazer como os outros partidos e concorrer sozinho às eleições? É isso que você entende?

Mas explique-me lá, então, algumas coisas:

1. Todos os Partidos portugueses já participaram em coligações. Todos! Onde fica, então, a honstidade de todos, ou então, quais são os "outros" partidos que o PCP deve copiar?

2. Ou, na sua opinião, as coligações justificam-se e são honestas nuns casos, e não se justificam e são desonestas noutros casos? E se assim é, quais os casos em que são honestas e quais os casos em que são desonestas?

3. Como consequência directa das questões anteriores, os outros partidos (que não o PCP) são honestos?

4. Não é você que tem defendido que o exercício da democracia não pode esgotar-se nos partidos políticos formais?

5. Se é você quem defende isso, porque se questiona tanto sobre o facto de um partido político, neste caso o PCP, aproveitar todos os mecanismos - políticos e legais - que tem ao seu dispor para alargar a sua luta a pessoas que se revêm nos objectivos mas podem não se rever enquanto militantes?

6. Em que é que isso defrauda o erário público, explique lá! Ou é apenas mais uma "desinformação" da sua parte, como aquela dos 72 mil utentes em deficit no MST?

7. Finalmente, o que é que lhe dói tanto na CDU? É que já deixou de ser uma questão de crítica à sua intervenção concreta. Agora já passou para a sua existência formal! O que é que o incomoda tanto na existência da CDU?

Pois é, Ponto Verde, você não se deixou cair na esparrela de um comentador ou uma comentadora mais extremista, que queria era "acabar" com os comunistas e com a CDU. Como disse antes, nem os ditadores mais sanguinários da história conseguiram tal desiderato em nenhum lugar do mundo. E você sabe isso perfeitamente, daí o seu "paninho quente" da honestidade ...

Como eu o entendo ...

Quanto ao seu comentário sobre a censura na blogosfera, é astuto, sim senhor, mas foge ao essencial da questão. O que eu perguntei é se você está de acordo ou não está de acordo. Se o blogger permite ou não permite não me interessa, se fica ao critério de quem quer que seja, menos ainda. O que me importa saber é se alguém que anda nisto, que tem um blog, e que afirma a liberdade de expressão e do tal contraditório em todos os momentos, sim ou não, concorda com esta atitude de censura. Simples, não é?

Quanto aos Boletins Municipais, essa é outra conversa que só é para aqui trazida por si para mascarar a questão que coloco, essa sim essencial. Os Boletins Municipais, em todo o lado sem excepção, são veículos de informação sobre o que se passa no Concelho respectivo, não são órgãos de opinião de quem quer que seja. Não têm a opinião dos partidos em minoria (em lado nenhum isso acontece, e bem!) nem dos partidos em maioria. Têm, naturalmente, textos assinados pelos responsáveis máximos do executivo - os Presidentes das Câmaras Municipais - que sublinham aquilo que de mais importante entendem que devem sublinhar. O que é absolutamente legítimo.

Isto é igual para PCP, PS, PSD, CDS, todos! Sem excepção! É a democracia, são as suas regras!

Anónimo disse...

Caro anónimo das 03:01:00 PM,
Os princípios que enunciou são muito bonitos, mas sabe porque é que não acredito neles ?
Porque ao longo de todo o século XX os comunistas tiveram, em todo o mundo, a oportunidade de mostrar aquilo que valiam. E que fizeram ? Desperdiçaram todas as opotunidades que tiveram. Os regimes ditos comunistas, ou socialistas ou democracias populares ou ditaduras do proletariado, como preferir chamar-lhes, cheios de "boas intenções" implantaram ditaduras umas mais brutais que as outras, que custaram a vida a dezenas de milhões de seres humanos e não conseguiram resolver os tais cancros sociais de que falei. Não só não os resolveram como criaram novos e graves problemas.
Após a queda de quase todos esses regimes, não é de estranhar que o capitalismo tenha saído reforçado e esteja actualmente na fase que todos conhecemos. Esta globalização que aí temos não serve ninguém, ou melhor, serve muito poucos, mas é consequência directa do fracasso dos regimes comunistas.
Portanto, os senhores são co-responsáveis pela realidade capitalista actual.
Mas, onde está a vossa auto-crítica ?
Onde está a vossa assunção de que os regimes ditos comunistas foram um fracasso, que mataram milhões, que não resolveram a maioria dos problemas, tendo mesmo criado novos ? Que o capitalismo actual é uma reacção ao fracasso do comunismo ?
Não existe. Pelo menos não no PCP.
Assim, não posso aceitar as vossas propostas que reitero de demagógicas.
Creio que a esquerda mundial tem de se reinventar, e procurar novos caminhos e o que o PCP propõe é o trilhar de um caminho velho, já gasto e pedregoso e que não leva a lado algum.

Ponto Verde disse...

A CDU é uma FRAUDE eleitoral, aliás é a maior fraude da Democracia portuguesa (claro que considero a APU, a FEPU ...)

Acho piada e saúdo a mudança de estratégia do PCP relativamente ao A-SUL.

A tese sobre os Boletins Municipais é delirante, é notório que quem escreveu o comentário não sabe sistinguir jornalismo de Propaganda.

E não meu caro,não vem mal à Democracia se deixarem de haver Boletins Municipais, sobra é mais dinheiro para por exemlo, combater a pobreza e a exclusão social.

Já agora, o que é "Disparate" é considerar que tudo o que aqui é escrito é "DISPARATE" , mudem a cassete , sejam originais e saibam debater ideias!

Anónimo disse...

O Ponto Verde continua a insistir em não responder às questões objectivas. Diz, afirma, opina, mas as questões objectivas tá bem, tá.

Perguntei-lhe o que o incomoda tanto na existência da CDU em sete (7!) questões muito concretas e objectivas. Responde-me com um liminar "a CDU é uma fraude política". O que, convenhamos, não é resposta. É a opinião do Ponto Verde.

Óptimo, porque na minha opinião, fraude por fraude, ficamos quites. O Ponto Verde é, seguramente, a maior fraude ambiental da blogosfera (não, não estou a reagir ao comentário do Ponto Verde; já afirmei isto mesmo, neste blog, há muito tempo. Este comentário do Ponto Verde apenas confirma ...).

Ah, e continua a não dizer o que pensa sobre a censura ... de facto, quem cala consente!

Anónimo disse...

O Partido comunista não está empenhado em resolver os problemas das pessoas porque se não houvesse problemas sociais os comunistas não tinham onde pregar. Os comunistas não querem resolver problema de ninguem querem é ajeitar as suas proprias vidinhas e vejam a carrada de assessores que têm a enriquecer à nossa custa. Vejam as empresas de capital misto das autarquias se eles as dão a aministrar a algum desempregado que não seja comunista são eles em acumulação de tachos. E os cargos dirigentes entregam-nos aos mais competentes? Não ficam com eles todos mesmo sem competencia para isso é vê-los a trocar de carro e a investir em imobiliario. Pudera a cair-lhe assim o dinheiro do céu. E não sobra nada para ninguem e dizem eles que estão preocupados com os problemas do povo. Estão todos a ficar ricos. Eles comem tudo e não deixam nada (José Afonso).

Anónimo disse...

Ridículo, puramente ridículo.

Desta vez os comunistas ainda ganham com mais maioria. Se é com esta estratégia de meninos da mamã a atirar uma boquitas ...

Anónimo disse...

O "Mein Kampf" (conhece?) foi escrito na primeira pessoa, publicado em livro (desculpe, desconheço a editora original), e esse sim, não foi refutado pelo partido nazi...



Curiosa a típica desonestidade para desacreditar a opinião de.
alguém.

O Mein Kampf foi escrito como a biografia de Adolf Hitler sobre a sua vida e a sua visão do Povo Alemão.
O programa politico do NSDAP[Partido nacionalSocialista dos Trabalhadores Alemães era assente nos 25 pontos da sua doutrina na qual nem o MK nem Adolf Hitler tiveram qualquer contributo.
Anton Drexler,Strasser,Gottfried Feder Dietrich Eckart ou Karl Harrer ou ainda o filosofo Heidegger sim foram os ideólogos do NS na Alemanha,logo não entendo porque compara a situação de o NSDAP não ter contestado o livro biográfico de um seu militante e mais tarde líder,com o facto de uma militante antiga do partido ter dito que inserida no pcp teve como missão a criação do partido fantasma.