sexta-feira, fevereiro 08, 2008

O LADO NEGRO DO MAR DA PALHA ( O DESMANTELAMENTO DE NAVIOS 1)

Entranha-se a história da Radioactividade na Siderurgia Nacional , mas estranha-se que os mesmos deputados que nos trazem esse alerta ignorem a actividade de desmantelamento de navios na Moita (Alhos Vedros) , que é feita em termos tecnológicos, de protecção ambiental e de higiene e segurança no trabalho, quase ao nível do Bangladesh.

A actual geração de navios que agora termina o seu ciclo de vida utiliza materiais cuja sua composição química traz problemas graves para o ambiente , para quem manuseia esses materiais e gera uma qua
ntidade de resíduos perigosos cuja forma de armazenamento e neutralização desconhecemos.

Relembra-se que toda
esta actividade decorre em "mar aberto" em pleno Estuário do Tejo, num estaleiro caótico , com deficientes condições de armazemnamento das sucatas e bem perto para fazer sentir os seus nefastos efeitos, da Reserva Natural deste estuário.

A autarquia considera que aquela activid
ade é "necessária", tendo posto sómente à APL questões sobre a sua localização e pretendido a sua deslocalização para o Seixal onde o sucateiro teria a continuidade da sua actividade garantida , a que parece ser uma das principais preocupações da autarquia ...

Entretanto diáriamente aquela actividade altamente poluente continua , sem que tenhamos enquanto cidadãos, quer por parte da autarquia, quer da CCDR quer da APL , garantias de monitorização no que se refere à libertação desses mesmos poluentes e controlo das suca
tas geradas quer ao nível da radioactividade quer dos isolantes, das tintas e também do amianto , usado em massa na construção desta geração de navios em idade de desmantelamento.

E a saúde dos trabalhadores ?


_______________________________________________

Imagens da India, Paquistão e Bangladesh , uma referência nesta actividade, com protestos da Greenpeace à mistura :











3 comentários:

ex-militante disse...

Devemos ser na Europa o mais parecido com o terceiro mundo.

the punisher disse...

O ponto verde é radioactivo, tem a forma de uma nuvem de estupidez

Velas do Tejo disse...

Este é, de facto, um dos grande cancros do Tejo.

Mais é de lamentar o facto de estar mesmo de frente com a praia fluvial do Rosário, provávelmente uma das prais fluviais com mais potencial do arco ribeirinho sul.

Obrigado por ter contemplado esta matéria no seu blogue... isto é serviço público de qualidade!