quinta-feira, fevereiro 07, 2008

E A RADIOACTIVIDADE NA SIDERURGIA DO SEIXAL ?


No Verão passado fomos abanados com um alerta dos deputados do PCP na Assembleia da República por meio do seguinte despacho da Agência Lusa que a seguir se transcreve:

« Lisboa, 29 Jul (Lusa) - O PCP exigiu hoje que o Governo apure a eventual utilização por parte de uma empresa do Seixal de sucata com níveis de radioactividade superiores ao admissível nos fornos de produção.

"Há uma inquietude por parte da população e também dos trabalhadores da empresa quanto à utilização de sucata com níveis de radioactividade superiores aos admissíveis", disse à Lusa o deputado comunista Francisco Lopes.

A empresa em causa, Ecoretas, situa-se no parque da Siderurgia Nacional, no Seixal, e é uma associada da SN Seixal, que produz aço, de acordo com o deputado.
Como matéria-prima poderá estar a ser usada, nos fornos de produção, sucata radioactiva que é importada, descarregada no cais do Barreiro e transportada para a empresa no Seixal.

"É necessário que o Governo faça um apuramento rigoroso sobre o que se passa, se há radioactividade, em que níveis, que tipo de controlo existe, não só na empresa mas durante o transporte e que medidas foram tomadas para proteger os trabalhadores", afirmou Francisco Lopes.
O deputado quer igualmente saber "no caso de ter sido usada sucata radioactiva no processo produtivo quais foram os efeitos nos equipamentos e o que foi feito do produto final".

Para o parlamentar comunista, "um esclarecimento da empresa não é suficiente", e tem de ser o Governo a investigar a situação.
Nesse sentido, os comunistas enviaram um requerimento aos ministérios do Ambiente e Economia, dos quais exigem uma "resposta urgente".

Ainda em relação às mesmas empresas, o deputado dá conta das queixas da população de Paio Pires, localidade contígua ao parque da Siderurgia Nacional, sobre "emissão de partículas que se colam como goma aos edifícios, veículos e à roupa".

Estas emissões têm como causa, segundo o deputado, "a existência de um depósito de escórias a céu aberto" quando, acrescenta, "há outras soluções de acondicionamento" alternativas. »

Desde então e já lá vão cerca de seis meses, nem mais uma palavra sobre o assunto que temos aqui relembrado.

O tema é muito sério para ter simplesmente caído no esquecimento mediático, mas muito mais sério é ter caído no esquecimento dos senhores deputados que em Julho davam conta que...

"Há uma inquietude por parte da população e também dos trabalhadores da empresa quanto à utilização de sucata com níveis de radioactividade superiores aos admissíveis" , ora perante tal alarme, perante tal caos em Paio Pires estranha-se os posteriores seis meses de silêncio para uma situação que a ser verdade teria consequências graves no tempo e no espaço.

O que se passou então ?

a) Os senhores deputados quiseram simplesmente protagonismo à custa de como é hábito na propaganda do PCP criar uma farsa numa temática demasiado séria e perigosa... relembro a história do Pedro e do Lobo...

b) A situação face ao projecto de requalificação da Siderurgia foi recomendado ser silenciada ? Se sim, por parte de quem ?


c) Os alertas são verdadeiros e têm consistência mas ninguém ligou aos senhores deputados ?

Qualquer uma das opções é demasiado séria e merece uma explicação por parte de alguém de direito, a começar pelos senhores deputados do PCP e pela autarquia CDU (PCP+Verdes).

12 comentários:

Paulo Edson Cunha disse...

Vejam e comentem em http://pauloedsonc.blogspot.com/
requerimento apresentado pelo Deputado Luís Rodrigues sobre sapal de Corroios.

antonio do telhado disse...

Estamos prestes a terminar mais um grande ano de carnaval e este ano foi em cheio, muita alegria e diversão, parece que para os nossos opositores não foi bem assim, porque como todos sabem, eles andam nervosos e acima de tudo desesperados, é que eles dão-se mal com a verdade e quando nós dizemos a verdade eles ficam aborrecidos, não gostam, o que os desespera ainda mais é não saberem que nós somos, mas pronto assim vão continuar.

Vamos então ao que importa, as notícias de carnaval, pois é, muitas novidades, estivemos a observar os nossos opositores e os seus copiadores de texto, tudo por razões científicas, para continuarmos o nosso estudo sobre doenças mentais.

O ponto verde mascarou-se de ecoponto e acabou recolhido por um camião da amarsul, no entanto quando o tentaram reciclar, jogaram-no na lixeira porque ele não tinha nada de jeito para ser reciclado. Entretanto o deputado ficou muito aborrecido, porque não tinha ninguém para copiar os seus textos.
Foi assim mais um estrondoso Carnaval com muita alegria e diversão.

ana disse...

É urgente o "ressuscitar deste tema, lembro-me de o ter acompanhado na altura e de desde essa altura me perguntar qual tinha sido o desfecho, se efectivamente era mais uma daquelas rebates falsos ou se existia alguma verdade e já tinham "morrido" todos e não havia ninguem mais para contar.
Agora no entanto verifico que não passou de um grande carnaval, será que é este o único comentário que merece a saúde de cada um de nós?

aldeia pp disse...

Este é um assunto que para mim nunca morreu e que continua a merecer toda a atenção, pelo que aqui leio, parece que teria sido preferível o PCP não terá dado ouvidos aos problemas levantados por trabalhadores e população, mas ainda bem que o fez. De facto a saúde de todos nós, mas neste caso em particular principalmente a dos trabalhadores e da população da Aldeia de Paio Pires merecem mais atenção do que a lacónica resposta do Ministério do Ambiente.

Sobre este assunto podem consultar diversos post por aqui:

http://aldeia-paiopires.blogspot.com/search?q=radioactividade

http://aldeia-paiopires.blogspot.com/search?q=material+radioactivo

Ponto Verde disse...

O que não se compreende caro Aldeia é que o PCP tenha cartazes em todo o concelho renovados quase que semanalmente incitando sistemáticamente contra medidas nacionais do governo e não utilize uma folha A4 para tratar questões locais e informar os cidadãos, ainda mais depois de ter instalado o pânico , ao que parece injustificadamente.

Ponto Verde disse...

Para o Aldeia o "tema não morreu"...mas o "Aldeia" é o PCP ou a autarquia, ou algum deputado ???

Se calhar é !!!

aldeia pp disse...

Não sou deputado, não pertenço a nenhum executivo autárquico, não sou funcionário público, sou habitante da Aldeia de Paio Pires e militante do PCP, acho que tenho o direito de ter opinião, mas não deixa de ser curioso que o ponto verde que preza o anonimato se mostre tão preocupado em saber quem sou, pela parte que me toca não estou minimamente interessado em saber quem és, nem quem te paga.

Anónimo disse...

A desconversa do costume...palavras para quê?

ex-militante disse...

Parece que a inquietude do Aldeia é mais em relação ao Ponto Verde, o aldeão teme mais o a-sul que a radioactividade hehehe!!!

Paulo Edson Cunha disse...

Sobre este tema, já aqui anteriormente deixei a intervênção do PSD na Assembleia Municipal, aqundo da discussão do Plano de Reconversão da Siderurgia. Se entenderem ser pertinente, volto a publicar.
Cumprimentos

ex-militante disse...

Encontrei este post no blogue Aldeia-PaioPires.blogspot.com penso que se dirige ao a-sul:

"Esta será uma excepção, mas respondendo a algumas questões que aqui são colocadas e mesmo tendo a certeza que nada disto preocupa o autor do blog, mas como, por aqui interessa e muito, pois desde há muito que alertamos para os problemas causados pela SN Seixal (Aldeia de Paio Pires) e é um assunto ao qual temos dado muita atenção, pois sabemos o ruído que muitas vezes se faz sentir de madrugada, sabemos que as poeiras e resíduos muitas vezes se colam nas roupas, edifícios e carros, sabemos que os trabalhadores denunciaram os constantes disparos das sirenes de alarme, que por coincidência diminuíram após a denúncia feita pelos deputados do PCP.

Quanto à questão levantada sobre a radioactividade na SN Seixal foi dito pelo governo aos deputados do PCP que os pórticos de detecção de material radioactivo estavam a funcionar à entrada da empresa, como tal era impossível entrar material radioactivo na empresa e sempre que os alarmes dispararam o material que continha pouca radioactividade foi identificado, como é óbvio o governo fez fé nas afirmações da empresa e adiantou que seriam instalados brevemente pórticos de detecção no Barreiro, mas este brevemente já tem alguns anos, mas a radioactividade não é só o que preocupa os paio pirenses e o PCP na SN Seixal no que diz respeito à questão ambiental, as poeiras e o ruído vindo da SN Seixal também nos preocupam e muito, mas não preocupa o governo que em resposta às preocupações levantadas pelo PCP, pela CM do Seixal, pela Junta de Freguesia e diversos habitantes da Aldeia de Paio Pires que a titulo pessoal fizeram queixa desta situação, todos receberam como reposta que tanto as poeiras, como ruído vindos da empresa estavam dentro dos padrões normais, gostaria de convidar um desses senhores a viver dois ou três meses já não digo na rua Fernando Sousa que dista cerca de 100 metros da SN, mas na Seixeira, ou mesmo quem mora para os lados da Courela.

Como o senhor desconhece a realidade da Aldeia de Paio Pires, ou só a conhece através da comunicação social julgou que somente os deputados do PCP fizeram queixa desta situação, felizmente que nesta ocasião a comunicação social deu algum espaço aos deputados do PCP que puderam alertar para os problemas existentes, mas há já algum tempo que CM do Seixal, a Junta de Freguesia da Aldeia de Paio Pires, os trabalhadores e a população da Aldeia de Paio Pires vinham denunciando os problemas existentes.

Também os deputados do PCP fizeram uma proposta na Assembleia da Republica para que se iniciasse a o processo de resolução do passivo ambiental na área da antiga Siderurgia Nacional, mas essa proposta foi também recusada pelo PS.

Também considero a resolução do passivo ambiental da antiga Siderurgia Nacional uma questão importante e que merece resposta, infelizmente o governo continua a adiar a mesma, já a explicação dada pelo governo quanto à SN Seixal também não me convenceu e se quanto à radioactividade ainda se pode dizer que o problema poderá vir a ficar resolvido, já os outros problemas parece que os ministérios do Ambiente e Economia não os consideram como tal, mas a verdade é que eles persistem e os paio pirenses pretendem que sejam resolvidos, basta que a SN Seixal adopte as mesmas medidas que tomou na sua unidade na Galiza."

Anónimo disse...

Não deixa de ser caricato ver o PCP tão preocupado com a radioactividade e a actividade industrial do Parque da SN quando, são os próprios autarcas (PCP) a mostrarem grande interesse no projecto imobiliário dos terrenos norte da SN.

Será que os ventos não correm para norte? os barulhos só incomodam Paio Pires? a radioactividade espalha-se apenas para sul?

É incrível a falta de espinha dorsal destes senhores...