sexta-feira, fevereiro 01, 2008

A MORTE ANUNCIADA DO ESTALEIRO DE PAULO DA GAMA



Ía abordar o tema da destruição do estaleiro de Paulo da Gama, mas encontrei-o exemplarmente descrito no blogue Baía do Seixal, pelo que com o intuíto de divulgar mais este atentado, fica a citação e a referência associando-me desta forma à luta pela defesa do património que está a ser levada a cabo contra mais esta insensivel delapidação do nosso património historico-cultural :

«No passado dia 24 de Janeiro, em debate na Antena 1 com o senhor Presidente da Câmara Municipal do Seixal (click aqui para ouvir), para além de ter estado em cena um triste e pouco honesto comício, numa das poucas oportunidades que tive de participação, confrontei o senhor Presidente com a triste realidade da demolição do Estaleiro da Quinta da Fidalga - o único dos antigos estaleiros edificados em alvenaria, provavelmente no local onde há mais de 500 anos Paulo da Gama comandou a construção de quatro caravelas que chegaram à India.

O espaço deste estaleiro - situado nas proximidades da Quinta da Fidalga, até há muito pouco tempo coberto com vegetação, agora envolto em redes para a continuação das tão atrasadas obras de reconversão da frente ribeirinha - é um dos marcos indiscutíveis da cultura marítima regional, carecendo de um profundo estudo histórico e arqueológico que, naturalmente, poderá levar à sua classificação como património. Nada disso será possível com a sua demolição!

Ainda que seja um obstinado defensor da cultura marítima, neste contexto, considero não só estarem em causa as memórias do Tejo mas, sobretudo a falta de coerência, honestidade e integridade no cumprimento das promessas do Plano Estratégico para o Desenvolvimento do Turismo onde, a preservação dos estaleiros é um dos ícones que nos venderam repetida e insistentemente no respectivo documento que, seguramente, terá custado uma fortuna aos contribuintes.

Apelo a todos aqueles que ocupam cargos políticos para não deixarem que prossiga a demolição do espaço exigindo que o mesmo seja estudado e consequentemente restaurado. »

25 comentários:

Anónimo disse...

Excelente post publicado no melhor blog da margem sul: antoniodotelhado.blogspot.com:

A Sul é que é caminho

Li e reli e não percebi nada do que um individuo parecido com uma papeleira anda a escrever num pasquim com o nome de a-sul.blogspot.com, até o título é original, principalmente na parte do blogspot.com. Ele é o antónio para aqui, é o antónio para ali, irrrrrrrrrrrraaaaaaaaaaaaa, chato do caraças. Vê lá se arranjas uma namorada.

Mas depois de perceber que este ser sofre de esquizofrenia pontiaguda coronária (para não usar termos moiteiros) da aorta direita na sufaslégica esquerda, entendi e percebi que devo ser eu a mostrar o caminho. É a sul camarada, a sul. Passas por Alcácer do Sal e continuas, quando chegares a Albufeira continuas, sempre, sempre em frente e paras no tswana Botswana. Vais te sentir em casa porque é muito a sul e podes atacar o poder local, os gafanhotos e as renas (existem renas porque eu já as vi).

O lugar de um ambientalista como tu é ali, ou então, em alternativa podes ir para barrancos alegrar a Malta em Agosto.

Um abraço e cuida da tua sonosplatica engefórmica pedestre.

Anónimo disse...

Possivelmente este edificio não se encontra classificado pois o poder autárquico deste concelho é de visões, passando por destruir todo o património histórico exceptuando a Mundet...vá-se saber pq!!

Velas do Tejo disse...

Efectivamente o edifício está tão classificado quanto estudado.

E o facto de não estar classificado é o argumento fácil do senhor presidente da CMS o que, na realidade, é completamente obtuso.

Vejamos, temos o direito de demolir tudo o que nos apaeteça só porque não está classificado?!

Para além disso tem de haver o mínimo de coerência com o Plano Estratégico que esta autarquia tanto embandeira. Neste, a protecção dos estaleiros navais assim como das embarcações tradicionais são conceitos chave usados insistentemente. Na práctica, essa pretensão resume-se à demolição para dar lugar a mais um "aquário" como aquele que se encontra em frente à Mundet.

Obrigado A-Sul por se juntar a esta batalha!

Anónimo disse...

Restaura,re-aproveitar...

Paulo Edson Cunha disse...

Boa noite, respondendo ao apelo que aqui é feito aos responsáveis políticos locais, reafirmo o que aqui disse há uns dias atrás. Os blogues devem ser apenas mais um instrumento ao dispôr das populações em geral e dos responsáveis políticos em particular.
Fazer política de e para blogues´seria desvirtuar o sistema. O perigo é responder-se uma vez, pois cada vez que o não fizermos, essa omissão terá interpretações nem sempre correctas.
A propósito do tema deste post, tive oportunidade de falar directamente com o autor do blogue "Baía do seixal" (muito bom por sinal)e deixei-lhe a promessa de que o PSD vai analisar este assunto, tentando informar-se formalmente e depois tomar uma posição, conforme tem feito noutros assuntos.
Compromissos de ordem profissioanl retiveram-me o dia todo e parate da noite, portanto terei de adiar a análise, mas mantenho a promessa de analisar, estudar o assunto e tomar uma posição oficial.
Cumprimentos,

Nota: deixarei também este comentário no blogue "Baía do seixal", que de facto, também eu aconselho a sua leitura.

www.jsdseixal.com disse...

JSD LANÇA OUTDOOR A EXIGIR REPARAÇAO DE 2 ESTRADAS MUITO DEGRADADAS

"JSD PROPÕE – PCP CHUMBA
Degradação das estradas do Seixal"

"A Forma como o PCP trata os problemas reais da população é no mínimo lamentável. Uma Vergonha"

Tudo em:
WWW.JUVENTUDESEIXAL.BLOGSPOT.COM
WWW.JSDSEIXAL.COM/BLOG

Anónimo disse...

Sai sempre mais barato mandar a baixo para dar lugar a processos de construção modernos. Lamento a decisão da autarquia mas sobre tudo o desinteresse das pessoas do Seixal por aquilo que pertence às suas memórias.

É sem dúvida escandaloso.

Paulo Albuquerque

Mafalda disse...

Não faço a mais pálida ideia de que estaleiro seja esse. Nem sabia que tinham sido feitas carvelas no seixal.

Lenya disse...

é vergonhoso mas ningém se manifesta pela cultura

mariodasilva disse...

"pessoas do Seixal por aquilo que pertence às suas memórias"

Quais pessoas do Seixal?
A sub-urbanização acelerada que foi fomentada em toda a Margem Sul gerou gente apática, pendular de Lisboa, que cá só dorme e pouco mais.

As memórias das "pessoas do Seixal" são antes de outras terras de onde vieram e onde, muitas, esperam um dia retornar.

Em quase todos os eventos de cultura histórica promovidos pela CMS (e ainda foram alguns a que fui) nunca encontrei mais do que 5% ou 10% de moradores do concelho, por serem promovidos discretamente e com pouca verba; contráriamente aos eventos espectaculares massificados e sem nenhuma raíz local -- e nem é preciso falar da Festa do Avante.

O mesmo se passa no Montijo e até em Alcochete, mas menos. E na Moita já derrubaram a Cadeia de Alhos Vedros e se mais património ainda não foi ao chão é porque é pouco e ainda não há muitos "emigrantes" recentes... mas veja-se o que se passa na Baixa da Banheira em que até membros do PCP reclamam com a falta de cuidado de preservar algo da sua história, mesmo que seja uma história com menos de 100 anos.

Até mais.

Velas do Tejo disse...

O Ecomuseu Municipal do Seixal que - ainda que gerindo uma magra verba muito batalhada pela sua coordenadora - muito faz pela cultura maritima e particular pela preservação das memórias do Tejo.

A dura realidade é que parte da população do Seixal não tem aqui as suas raízes - o mesmo não acontece na Moita - razão pela qual se está tudo nas tintas! Por exemplo, o estado do bote "Gaivotas" não interfere com o bem-estar de quase ninguém. Já na Moita, constroem-se "Canoas do Tejo" no meio da rua, se for preciso!

Há uma diferença clara na estrutura da população, no entanto, como deverá saber o senhor Mário Silva, as raízes criam-se, os laços estabelecem-se e, para tal, é fundamental o contributo das intituições.

Não será com o apagar das memórias do passado que se criarão laços com o futuro.

luis lopes disse...

Ponto Verde,sou um leitor diário do seu blog;por isso sinto-me no direito de lhe pedir que me elucide através do seu comentário esta notícia que li no Destak de ontem:A SECIL,EMPRESA QUE INICIOU RECENTEMENTE,A QUEIMA DE RESÍDUOS PERIGOSOS NA ARRÁBIDA,CONVIDOU A QUERCOS A INTEGRARA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO AMBIENTAL DA ACTIVIDADE DA EMPRESA,CONVITE QUE FOI RECUSADO.
Antecipadamente grato pelo seu esclarecimento.

luis lopes disse...

Agradeço que não me responda para eu ir informar-me junta da QUERCOS

Anónimo disse...

Eu só gostava de saber como é que o autor desta polémica teve acesso a esta informação. Isto cheira-me que anda para aqui um rôlo... há aqui qualquer história mal contada.

alegre disse...

ANDAM COM MEDO QUE SEJA LANÇADO UM MOVIMENTO DE CIDADÃOS A SUL?

hkt disse...

As memória do Seixal são passadas por dois crivos: ideológico e financeiro.
Lamento dizer isto mas, constata-se que há memórias/simbolos que não ajudam a criar a imagem "certa" do município. Há memórias que se encontram no sítio certo para fazer avançar o progresso (leia-se, urbanizações, hipermercados...). Ora, dentro do es+írito dialectico de que tudo o que se constrói ... e aproveitamento o gosto do povo pelo´"ópio da propaganda" que o torna apático ...

Anónimo disse...

Depois de ter lido uma entrevista do Senhor Monteiro ao Diário de Notícias de 2002, e de ter ouvido o senhor na Antena 1... o que me ocurre dizer é apenas "Porque no te callas"

Anónimo disse...

Reparai bem, se ao longo dos milénios guardassem as memórias, por exemplo dos povos ribeirinhos do Tejo, a floresta e a mata e o original principio verde?

É uma questão extremamente delicada para se julgar de animo leve, desta forma e se é como diz, estou plenamente de acordo com a manutenção do estaleiro dito de Paulo da Gama

Anónimo disse...

Desculpem rectifico: onde estariam a floresta...Obrigado.

Anónimo disse...

Novo estudo sobre perigos para a saúde pública
«Esse estudo», coordenado pelo professor Carlos Palmeira, conclui que «em qualquer ambiente onde a concentração de dioxinas for elevada, estamos perante um grave problema de saúde pública», disse à Lusa Castanheira Barros.
«Por outro lado, temos estudos da Quercus, da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e de um epidemiologista, que dizem haver um acréscimo de emissões de substância poluentes, entre as quais se incluem poluentes orgânicos persistentes altamente cancerígenos - dioxinas e furanos, cujos efeitos subsistem pelo menos durante 30 anos».
Castanheira Barros referiu ainda que as três autarquias - Palmela, Sesimbra e Setúbal - contam com o apoio de sete professores catedráticos de diversas áreas do conhecimento científico.




http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=911153&div_id=291

mariodasilva disse...

Ao senhor com dúvidas em relação à QUERCUS (com U) aconselho a sua colocação no sítio próprio, que não é de todo o blogo do amigo Ponto Verde:

http://www.quercus.pt/scid/webquercus/defaultCategoryViewOne.asp?categoryID=593

Até mais

mariodasilva disse...

Caro Velas,

Percebeu mal o meu comentário.

"O Ecomuseu Municipal do Seixal que - ainda que gerindo uma magra verba muito batalhada pela sua coordenadora - muito faz pela cultura maritima e particular pela preservação das memórias do Tejo"

Eu sei do trabalho e conheço pessoalmente a pessoa em questão.
Mas uma árvore não faz a floresta e você próprio diz sobre a verba.

O resto do que eu falei é, também, nessa linha.

Não se promove a cultura local e o passado histórico porque não interessa.
Promovesse o sub-urbanismo e o sub-progresso porque interessa.
Promovesse o desinteresse porque interessa ainda mais.

Um Povo educado e alerta não deixa que muita coisa se passe e mobiliza-se.

Veja o blog da CDU criado só para tentar calar e vilipendiar os blogs incómodos. Diz tudo. Em tempos existiram na Moita as "Brigadas Brejnev", hoje existem os Antónios do Telhado e quejandos.

Até mais

Paulo Edson Cunha disse...

Requerimento a pedir esclarecimentos à Cãmara Municipal do Seixal sobre a demolição dos estaleiros da Quinta da Fidalga.
Vejam no blogue "A Revolta das Laranjas".
Requerimento sobre esta matéria pode ser visto em:
http://pauloedsonc.blogspot.com/
Obrigado.

Paulo Edson Cunha disse...

Rectifico: Inquiete

Anónimo disse...

.... eles comem tudo, eles comem tudo e não deixam nada...., depois de comerem tudo vão pras terras de origem fazer dieta, abaixo o governo CDU no poder camarário, estaleiro da fidalga, sempre!!!