segunda-feira, novembro 12, 2007

ÁGUA BENTA



No passado domingo, na rubrica Discurso Directo, o presidente do S.L.Benfica deu uma entrevista na TSF
(audivel aqui, clique) , durante essa entrevista foram analisadas questões internas do Benfica, de jogadores, de empresários, de resultados as quais não me sinto minimamente qualificado , nem pretendo comentar.

O que me chocou, como cidadão foi a forma sobranceira e até mal-educada como o Sr.Luis Filipe Vieira (LFV) responde ao jornalista quando este aborda a dívida do Benfica à Câmara do Seixal, textualmente o que foi dito foi logo a seguir a ter falado de um não reconhecimento de um passivo de 300 Milhões de Euros, porque segundo LFV 80 Milhões de Euros "não são exigíveis" (!?), que construíu um Estádio e um Centro de Estágios "sem dinheiro" (!?) o jornalista tem o desplante de pôr a seguinte questão:


Jornalista : A Câmara Municipal do Seixal queixa-se de uma dívida do Benfica de 170 mil euros, queixou-se disso esta semana...

LFV: A Câmara Municipal do Seixal? Não deve ter sido a Câmara do Seixal...

Jornalista : A Câmara Municipal do Seixal , segundo a Lusa, deliberou enviar para execução fiscal, parte da dívida do Benfica, uma dívida de 170 mil euros...


LFV : Não quero entrar muito em pormenores nisso, mas poderei dizer que a nível do Benfica...


Jornalista : ...referente - já agora - à água do Centro de Estagio...

LFV : Eu sei, eu sei, eu sei o que se passa, mas a nível tanto do Benfica como da Câmara do Seixal, portanto eu, da parte do Benfica eu e o Sr Mário Dias temos estado em diálogo com a C.M. do Seixal quando essa notícia apareceu e de certeza que não é preciso dizer que brevemente vai haver noticias e a CM do Seixal certamente que dará noticias sobre o mesmo, aliás eu, mas isso é algo que o Benfica e a Câmara estão dialogando , falando (...)

O que resulta deste curto diálogo?

Um grande embaraço, não sobre uma dívida, mas sobre a divulgação da noticia dessa divida, divulgação essa que " Não deve ter sido a Câmara do Seixal"... Isto demonstra :


- A forma como uma Empresa , SLB, cotada na Bolsa, tem funcionamento privilegiado face a outros empregadores , geradores de riqueza e cidadãos no Seixal .

- A forma sobranceira como o presidente de um clube de futebol trata orgãos representativos e eleitos pelo povo e a forma como impõe que o património de todos seja gerido a seu favor.


- O Secretismo como é gerido o bem público com a concessão de privilégios e mordomias já demonstrado na aprovação da mega urbanização para validar e rentabilizar o Benfica e a construção do Centro de Estágios...

6 comentários:

ex-militante disse...

Nem mais, clubismos à parte o Benfica é desejado por capitalistas chineses e até pelo Joe Berardo, por isso é uma empresa capitalista. Como é que uma câmara comunista apara estes jogos? É para isto que não querem a privatização da àgua?

Anónimo disse...

Gostava de ver o João Afonso ou o Paulo Sila a comentar esta divida, já que os vereadores CDU ou não sabem escrever ou não têm password do partido para aparecer.

João Afonso disse...

Qual é o problema da divida?... A Câmara forneceu água, a mesma não foi paga, a Câmara executou a divida! 100% Correcta a atitude da Câmara, quem duvida é um mentecapto... Mas todos já sabemos que a inteligência não abunda cabeça do ponto verde, deve ser do etilico...
Perdoa-lhe Deus, mas ele não sabe do qu fala...

Anónimo disse...

voces estão é todos á rasca porque o benfica este fim de semana deu mais um passo a caminho do titulo.

despeçam mas é o treinador da lagartagem com tranquilidade e não andem a inventar . ouvi dizer que os vereadores do PS e do PSD são todos do Sporting .aproveitem a embalagem e despeçam-se também.

Anónimo disse...

Há nova tética, mais uma na concelhia, que pena não terem conseguido abafar a história do calote do Benfica.

Cravo do Seixal disse...

Entao Sr da Comissão de Mercado de valores Mobiliários (CMVM)a SAD e não o Benfica (CLUBE)tem uma divida que não está registada e não fazem nada. Onde esta a autoridadevreguladora?

Então sr ROC onde consta a verificação aos registos contabilisticos, onde estão as "reservas"