sexta-feira, novembro 02, 2007

ALMADA - A FALTA DE DIGNIDADE NA MORTE


A falta de dignidade na morte atinge patamares inadmissíveis no cemitério de Almada-Feijó, o que era prometido (e é a imagem vendida) de que é, mais do que um cemitério, um espaço verde aprazivel e para que todos o desfrutem, não passa de uma mentira ou de uma boa intenção.

A promessa não passou do talhão junto á entrada, uma infíma parte do cemitério de Almada-Feijó, tudo o resto atinge os patamares do terror e do mau gosto.

Primeiro que tudo há a considerar que os caixões, depositados directamente na terra, não têm depois uma superfície rígida (lage) á superfície , tal implica duas situações, a necessidade de uma manutenção constante dos monticulos de areia frágeis e instáveis que constituem as campas e uma vistoria diária e em tempo real, sobretudo quando chove, para tudo não ser arrastado pela enxurrada, e sobretudo para repor terra quando os caixões abatem e fica um buraco ... em vez do tal montículo.

Óbviamente que se trata de uma questão politica e economicista, poupa-se na relva, na sua manutenção, mas o que temos é um cemitério de cidadãos de segunda , um espaço degradante para a raça humana , um espaço mortuário como só nos países muito pobres ou campos de batalha se encontra igual.

Depois há outra situação intolerante que resulta daquela opção arquitectónica, quem pretenda manter os montinhos de terra, tem que pagar, essa é uma fonte de rendimento livre de impostos para os coveiros perfeitamente permitida pela autarquia para compensar os maus salários pagos a estes profissionais, quem não paga, a menos que se muna de uma colher de pedreiro e de um carregamento de saibro, bem pode ver a ultima morada do seu ente querido degradar-se, esboroar-se e abater sobre o caixão quando este finalmente ceder.


Não se compreende que uma autarquia que se diz campeã das boas contas, que anuncie investimento atrás de investimento, queira atraír cada vez mais gente , não saiba dar o minímo aos seus mortos, o grau zero da civilidade.

4 comentários:

jsd seixal disse...

As CMuncipais de Governação comunista têm uma semelhança:

São boas a fazer promessas e a publicitar as mesmas. Cumprir é que é já não é com elas.

Um exemplo disso para além deste caso do cemitério do feijó em Almada é o PER no Seixal, vejam mais em:

www.jsdseixal.com/blog
www.juventudeseixal.blogspot.com

o jose disse...

Pois eu percebo bem a dor de corno que leva a que os indigníssimos autarcas desprezem desta maneira o cemitério e desrespeitem os sentimentos de quem lá deixa os seus queridos: É que os mortos são concorrência no que toca à ocupação de terrenos para edificação. Se não fosse o cemitério do Feijó, situado junto a uma "via rápida" e muito próximo do "fórum almada", já pensaram quantos prédios é que já se podiam ter alí mandado erguer? Pois é... é por isso que este tipo de coisas acontece, provavelmente para "incentivar" o uso dos crematórios, (havendo a impossibilidade de obrigar ao uso das valas comuns à Estalinismo) e eventualmente o recambiamento dos falecidos para as suas terras de origem (lembremo-nos que grande parte da população da margem sul agora acima da faixa dos 60 anos é proveniente de outras partes do país, onde, aliás, o respeito pelos mortos é indubitavelmente maior).

Anónimo disse...

Meninos do JSD seja lá isso o que for..
As Cãmaras do PSD ainda são piores amigo: Veja o seu amigo Rui Rio, o destruidor do Porto..
Como ficou a Camara de Lisboa com o PSD?? NA RUÍNA!!
Mas isso já não interessa não é??
E a de OEIRAS?? Entre muitas outras Câmaras do PSD que envergonham o nosso Pais!!
Dava jeito urbanizar e betonizar o Parque da Paz não dava??
Peçam € à Somague o vosso patrocinador oficial.
Pense antes de falar..

Anónimo disse...

Peçam € à Somague o vosso patrocinador oficial.
Pense antes de falar.

Já ia para dizer para pedirem ao Grupo Silva, mas lá me lembrei que esses financiam o PC no seixal....