terça-feira, novembro 27, 2007

AUTISMO IRREAL - AUTOCRITICA NULA




Este fim de semana reuniu na Margem Sul , em Conferência Nacional ,o Partido Comunista Português, curiosamente num fim de semana onde se comemorava mais um aniversário sobre uma data de fundamental importância para a liberdade e para a democracia, o 25 de Novembro.

Se os ilustres comunistas tivessem in-loco um olhar crítico para a gestão que há trinta anos fazem da margem sul, seriam arrazadores , primeiro ao local aconselhado para estacionar as suas viaturas, o antigo parque técnico da Câmara do Seixal, o tal que está abandonado porque a autarquia se entregou nas mãos de um grande grupo económico e agora arrisca encher-se de betão .

Depois, o local onde a conferência decorreu, um Pavilhão Gimno-desportivo construído sem nenhum enquadramento e pior ainda, podem os comunistas ter observado como nas trazeiras do pavilhão se está a transformar um antigo montado de sobro em mais urbanizações e arruamentos.

Até porque para a A.M.do Porto, o PCP é muito critico, citando Ilda Figueiredo " Hoje, há duas características muito chocantes na Área Metropolitana do Porto – o caos urbanístico e a degradação e abandono do parque habitacional, sobretudo nas duas maiores cidades do Porto e de Gaia" .

Mas não o são, e as conclusões emanadas de tal reunião magna, são o costume... como o Programa – Portugal: uma
democracia avançada no limiar do século XXI – aprovado no XIV Congresso do PCP... olha para o que eu digo...não olhes para o que eu faço:

- Uma "Política (...) concretizada pelo grande capital financeiro e das grandes empresas de construção civil, nas suas múltiplas, variadas e complexas conexões, política que, simultaneamente, não responde às necessidades de habitação dos portugueses, particularmente daquelas classes e camadas sociais que são numericamente dominantes na sociedade, ao mesmo tempo que promove brutais excedentes de habitação (e também escritórios) que se encontram vagos, deixa degradar um número incalculável de fogos, muitos deles com características e interesse histórico, promove o endividamento das famílias e aumenta a nossa dependência financeira face ao exterior.

Políticas e orientações que são identificáveis na legislação sobre reabilitação urbana destinada a favorecer a intervenção do capital financeiro e mobiliário, abrindo-lhe uma nova janela de negócio e lucro, esgotada que quase está a construção para venda nas periferias
."

As palavras não são minhas a criticar a Gestão CDU de Almada, Seixal, Barreiro , Moita...não, são de Jerónimo de Sousa (J.S.) ou melhor, são-lhe atribuídas no site do Partido. Perante todas as incongruências e contradições, das revelações de mais esta reunião doutrinária, destinada a converter os já convertidos, nada de novo... e é pena, pois enquanto J.S. cospe para o ar e :

- "(...)Afirmou que os «trinta anos de políticas de direita e de recuperação capitalista dos governos do PS, PSD e CDS-PP comprometeram o desenvolvimento sustentado do país e deliberadamente desbarataram as possibilidades de construção de um Portugal democrático, independente e próspero"

... Esquece-se que no caso das autarquias da margem sul tem o PCP, no âmbito da CDU, sido ao longo de mais de trinta anos, correia de transmissão dos Bancos, dos Grandes Grupos Económicos e de interesses pouco claros, de tráficos de influência e de decisões que já hoje custam a quem cá habita
"o desenvolvimento sustentado" da região.

Mas é esse o vosso objectivo, não é? Ou são as contradições que abundam também no seio da gestão do PCP, mas são uma desculpa para os mediocres autarcas?

..."
Porque a habitação em Portugal «é bem o espelho das contradições, perversões e lógicas egoísticas e predatórias do capitalismo e das políticas de direita que lhes estão associadas», o dirigente comunista destacou ainda alguns dos problemas do sector, nomeadamente a «excessiva produção de habitações vagas/devolutas»." ... (in Avante)
_______________________________________________________

Como síntese da situação da margem sul, aqui deixo parte de um comentário assinado pelo leitor hkt:

"
(...) o PCP rendeu-se inquestionavelmente ao betão e aos seus encantos capitalistas.

As escolhas foram feitas, ao longo de mais de trinta anos, estão patentes, os problemas estão bem à mostra, não há forma de os esconder.

Em Almada, no Seixal, na Moita, em Setúbal... os problemas avolumaram-se... por outro lado, nestes e noutros municipios PC (os Verdes são ficção)o que está na moda são os condomínios fechados ao abrigo dos olhares da classe operária... mas os problemas estruturais esses continuam por resolver."

46 comentários:

Anónimo disse...

CDU é um buraco negro de contradições, o discurso não foi o JóJó que escreveu de certeza :)

Anónimo disse...

Os sobreiros cortados na Torre da Marinha e na Quinta da Princesa eram Fascistas.
Os condominios fechados da Quinta da Trindade são progressistas.
O Centro Estágios do Benfica, perdão da Caixa Geral de Depósitos são do Povo!!!
Os Pinhais, as florestas, os campos são para pôr betão comunista em oposição à anterior propriedade latifundiária.
O Xavier de Lima é um Democrata.
Os Silvas são amigos do Povo.
Grafiti é arte.
Contradições? Onde?

trabalhador ex siderurgia disse...

Jerónimo de Sousa critica e é contra os projectos de habitação para a Lisnave, para a Siderurgia e para a Quimiparque? Explique-me como se fosse muito burro!

Anónimo disse...

A demagogia, a falsidade, a mentira, a truncagem terrorista não têm limites, de facto, neste blog do Ponto Verde! Ecologista? Onde? Quando?

Investe agora numa de política. Contra o PCP, está bem de ver. E investe mal, porque truncando a realidade, truncando o que é dito de facto, para depois servir os seus interesses pessoais, não se cria nada de construtivo. Apenas se destrói. Mas onde é que eu já escrevi isto? Tenho impressão que foi aqui. E não é que foi mesmo? Pois é, o Ponto Verde apenas destrói! Parvo sou eu que continuo a dar-lhe "corda".

Mas sou mesmo assim, e vou dar-lhe corda uma vez mais.

Registo uma posição política interessante do Ponto Verde, que ao contrário do que parece, revela muito sobre quem verdadeiramente é este Ponto.

Essa posição é a que expressa, logo a terminar o primeiro parágrafo de ódio contra o PCP, sobre o 25 de Novembro. E revela quem é este ponto por uma razão que, quiçá terá passado despercebida de muitos. De facto, alguns (poucos) celebraram de forma saudosista o golpe contra-revolucionário do 25 de Novembro. Sabem quem foi que celebrou? Exactamente, o CDS-PP. Pena é tê-lo feito de uma forma absolutamente desastrada. O líder dos jovens centristas (?) foi ao ponto de revelar um absoluto desconhecimento da história mais recente do nosso país, e ao absurdo de nem sequer ter em conta a idade dos que visou no seu discurso.

Sintomático, portanto, que o Ponto Verde tenha puxado para o primeiro parágrafo, e contrapondo à iniciativa dos comunistas, essa celebração do aniversário da contra-revolução. Não ceio em bruxas, como diz o outro, mas que elas existem, existem!

O seu post, Ponto Verde, é mais uma vez um chorrilho de asneiras e disparates, que não mereceriam, sequer, comentário. Mas não resisti a este aspecto peculiar.

Post Scriptum: e não me venha, por favor não venha, com o discurso do pobrezinho a quem querem (eu quero) cercear o direito e a liberdade de expressão. Como faz no seu último comentário ao que eu digo no post anterior. Essa do coitadinho não pega. Você não pode, seguramente que não pode, reivindicar o direito a dizer o que entende mesmo que sejam barbaridades, e depois acusar os outros de tentarem calá-lo. Sabe que mais? O que me interessa a mim é que você fale muito! Fale cada vez mais! Porque ao contrário do que pensa, não é fazendo calar os outros - como você sempre defendeu nos seus posts, e veja-se o exemplo do que escreveu sobre os graffiters - que se afirma a nossa verdade. Contornos de censor tem você (o que eu compreendo), eu não. Por isso, fale homem, fale à vontade. Quanto mais falar, mais satisfeito eu ficarei! Não duvide disso.

Anónimo disse...

Projectos de habitação para a Lisnave? Oh trabalhador ex siderurgia, informe-se antes de dizer disparates, homem! Não lhe faz nenhum mal saber, conhecer, um bocadinho mais sobre a realidade. Informe-se antes de dizer disparates!

trabalhador ex siderurgia disse...

Mas o que é a realidade, acabou por não explicar, então a "Cidade da Água" não é habitação então o Jerónimo de Sousa não diz que

"a habitação em Portugal «é bem o espelho das contradições, perversões e lógicas egoísticas e predatórias do capitalismo e das políticas de direita que lhes estão associadas», o dirigente comunista destacou ainda alguns dos problemas do sector, nomeadamente a «excessiva produção de habitações vagas/devolutas»

Para o PCP estes fogos são de direita e de lógica egoísta e predatória ou não?

Ponto Verde disse...

Ora essa, então o parágrafo "fim de semana onde se comemorava mais um aniversário sobre uma data de fundamental importância para a liberdade e para a democracia, o 25 de Novembro."

É para o anónimo : "...parágrafo de ódio contra o PCP, sobre o 25 de Novembro."

Passo acitar uma designação ao acaso sobre a data que tanto o incomoda:

em:http://www.citi.pt/cultura/politica/25_de_abril/25_novembro.html

25 de Novembro de 1975

Golpe militar que pôs fim à influência da esquerda militar radical no período revolucionário iniciado em Portugal com o 25 de Abril de 74.

Esta acção militar constituiu uma resposta à resolução do Conselho da Revolução de desmantelar a base aérea de Tancos e de substituir alguns comandantes militares. Os partidários do designado "Poder Popular" ocupam então várias bases militares, bem como meios de comunicação social. Este contra-golpe foi levado a cabo pelos militares da ala moderada, na qual se enquadrava Vasco Lourenço, Jaime Neves e Ramalho Eanes. Consequentemente, o almirante Pinheiro de Azevedo permaneceu no poder enquanto primeiro-ministro do VI Governo Provisório e demitiram-se alguns militares entre os quais Otelo Saraiva de Carvalho.

O 25 de Novembro traduziu militarmente aquilo que a nível político se vivera no Verão Quente de 75 dando origem a uma crescente estabilidade permitida pelo reforço do pluripartidarismo e da Assembleia Constituinte, que se tornou visível com a redacção da Primeira Constituição verdadeiramente democrática: a Constituição da República de 1976

E depois veja lá se se entende que o que deve estar conta é o que se passa no seio do seu partido,pois o post é 90% citações do próprio PCP e do seu secretário geral, o caro anónimo veja lá se leva o caminho de Luisa Mesquita, do falecido João Amaral do Carlos Brito...

O caro anónimo pode estar contra o a-sul, mas pelos vistos está também equivocado com o PCP.

Anónimo disse...

Oh Ponto Verde, não se faça mais ingénuo do que é, porque de ingénuo você não tem rigorosamente nada.

O que eu escrevi foi isto: "Investe agora numa de política. Contra o PCP, está bem de ver. E investe mal, porque truncando a realidade, truncando o que é dito de facto, para depois servir os seus interesses pessoais, não se cria nada de construtivo. Apenas se destrói.[...]" - continua, mas para o efeito não interessa.

Pois é, Ponto Verde! O que você faz é TRUNCAR a realidade. O que você faz, usando 90% de citações do próprio PCP, é usar essas citações truncadas para fazer demagogia e impor a mentira. Porque o que é importante no seu texto não são os 90%, são os 10% da sua autoria. Porque você TRUNCA a realidade, percebe? Claro que não percebe.

Quanto ao 25 de Novembro, sinceramente estava à espera que você reagisse de outra forma, afinal saiu-se com aquela. Não, Ponto Verde, essa mania de tudo truncar e tudo usar na parte e não no seu contexto, tão próprio de demagogos profissionais como você, leva-o a tentar enganar o pagode com essa do "... parágrafo de ódio ao PCP". Não, não é isso, leia como deve ser o que escrevi. Porque eu também não lhe explico; porque não respondo, naturalmente, a provocações reles (já estou a responder, mas paciência...).

E depois o que me interessa a mim o que escrevem num site do CITI sobre o 25 de Novembro, pode explicar-me? O facto daquilo que reproduz estar escrito ali, transforma aquilo que é dito em alguma verdade absoluta? Para além de que o exemplo é mau: confirma o que eu escrevi - o 25 de Novembro foi um golpe contra-revolucionário!

Depois está redondamente enganado: não estou contra o a-sul (Ponto Verde). Apenas discordo, profundamente, da generalidade das ideias que são expressas pelo Ponto Verde (a-sul). O que é uma coisa substancialmente diferente. Que você, naturalmente, não entende, dado que a sua mentalidade é a de que "se não és por mim és contra mim". Discordar, para si, é ser contra. Para mim não. Discordar faz parte da vida, é construção e não destruição. O pensamento único, que pelos vistos é do seu agrado, é que destrói.

Desengane-se, pois. Não estou nada contra si. Não concordo é consigo, o que é muito, muito diferente.

m disse...

Golpes Contra-revolucionários, para o PCP, são todos os que lhes impedem de implementar uma república socialista ao estilo Estalinista, está bem de vêr.

Se não tivesse havido 25 de Novembro hoje seríamos mais um estado ex-soviético ou romeno (com as suas Numenklaturazinhas e economias de fantochada e de fachada) ou teríamos sido ocupados pelos espanhois... o que, vendo bem as coisas, até teria sido melhor.

Estavamos bem melhor, económica e socialmente, e sempre podíamos reclamar contra os sacanas dos espanhóis castelhanos como fazem os galegos e outros estados ocupados por Castela.

ex-militante disse...

Para os indeflectiveis do PCP, as suas teorias só se aplicam onde o PCP não manda, ou seja no governo dito central e nas autarquias não CDU.
Em todos os outros lados as palavras do PCP apresentadas como contradição à prática CDU e demostrando quanto longe está a teoria da prática é "Truncagem" , fantástico!

Grupo dos Nove disse...

32 anos depois do 25 Novembro os comunistas continuam a não entender porque não conseguiram conduzir Portugal para uma guerra civil e nos tenhamos "acomodado" à Europa e tornado num país desenvolvido. As contradições aqui apontadas mostram que cegamente o sistema democrático abandonou a margem sul à sua sorte e despotismo desta gente que nos trata como hospedes da sua coutada.

- 25 de Novembro para a margem sul JÁ!

m disse...

Deixei um comentário na secção local do PCP da Moita sobre o tema.

Até mais.

Anónimo disse...

AQUI

Anónimo disse...

que abocanharam o orçamento geral do estado durante estes 30 ANOS dixit jeronimo.

e quem abocanha os 20 milhoes de contos por ano do orçamento da camara do seixal ?

residente disse...

Pelo que se vai vendo no concelho de Almada estavamos bem tramados com a "nova política" do PCP.
Que significado atribuem à palavra democracia?

Filipe de Arede Nunes disse...

O que aqui alguns comentadores por vezes dizem só se justifica por uma crónica cegueira e um seguidismo militante que envergonha o livre arbitrio.
O que diz o camarada Jerónimo é: Olha para o que digo, mas não para o que faço. O brocardo é velho e estas políticas também.
Excelente análise mais uma vez.
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

nunocavaco disse...

"Olha para o que digo, mas não para o que faço." Filipe de Arede Nunes

Bem quando um homem do PSD repara e critica outros, como Jerónimo de Sousa com esta máxima tão usada pelo seu partido, estamos bem!

Reparem:

- O PSD aumentou o IVA de 17 para 19%, agora critica o PS por o fazer. Qual é a posição do Arede Nunes? Ou melhor o que é que acha desta medida agora que é oposição? Ou melhor o que achava quando era governo?

- O PSD só falava no déficit das contas públicas e agora critica o PS por fazer o mesmo.Qual é a posição do Arede Nunes? Ou melhor o que é que acha desta medida agora que é oposição? Ou melhor o que achava quando era governo?

Não podemos ser tão incrivelmente tendenciosos para não perceber isto. O PSD critica o PS porque este partido tem a coragem politica de fazer o que o PSD queria fazer, mas falta-lhe a coragem. São iguais, só muda o D.

Filipe de Arede Nunes elogia o post do ponto verde. Mas Arede Nunes sabe que o PSD nunca conseguiria fazer uma conferência como o PCP fez. Não o conseguia porque todo o partido foi envolvido. Todo o partido discutiu e trabalhou documentos e portanto as conclusões são de um colectivo e não de meia dúzia de inteligentes que depois transmitem sapiência a um colectivo pouco interventivo. Esta é a principal diferença entre PCP e os outros. Arede Nunes não percebe, não está habituado a trabalhar assim.

Arede Nunes não sabe, nem vai saber que o PCP não vive de grandes líderes mas sim de causas. O que Arede Nunes sabe é que os comunistas falham, não sabe é que a justeza das suas posições assume a falha porque no dia seguinte cá estamos para corrigir.

O ponto verde não sabe nada.

Quanto à Conferência só tenho uma questão e uma observação:

Porque é que não foi coberta pelos media?

Os documentos que sairam do PCP deveriam ser lidos por todos os portugueses.

nunocavaco disse...

Já agora um pequeno alerta ao Arede Nunes: tomem cuidado porque estão tão na sombra e com uma erosão tão grande de militantes que qualquer dia têm a dimensão do CDS/PP.

Ponto Verde disse...

O Senhor Cavaco é um pequeno Goebels á moda da margem sul , como a conversa não lhe agrada pôs aqui , na íntegra, á laia de comentário e para bloquear todos os outros, a tese de Álvaro Cunhal sobre o 25 de Novembro que acabei , não de retirar, mas de recolocar no blogue do Senhor Cavaco www.banheirense.blogspot.com , para quem tiver curiosidade de consultar ou aqui : http://www.rebelion.org/brasil/030713cunhal.htm

hkt disse...

O comentário do Nuno Cavaco é ilustrativo do modo como o PC se sente incomodado com as justas observações do Ponto Verde. A discussão centrava-se no espelho de enganos em que se converteu a política autárquica do PC na margem sul. Vamos criar uma distracção. Qualquer pretexto serve para fugir à discussão. Porque é da discussão, do debate, da crítica que o Nuno Cavaco/PC quer fugir. Mais claro do que isto não se pode ser.
Voltando "à vaca fria", o PCP rendeu-se inquestionavelmente ao betão e aos seus encantos capitalistas. As escolhas foram feitas, ao longo de mais de trinta anos, estão patentes, os problemas estão bem à mostra, não há forma de os esconder. Em Almada, no Seixal, na Moita, em Setúbal... os problemas avolumaram-se... por outro lado, nestes e noutros municipios PC (os Verdes são ficção)o que está na moda são os condomínios fechados ao abrigo dos olhares da classe operária... mas os problemas estruturais esses continuam por resolver.

ex-militante disse...

O PCP é um poço de incongruências e contradições, basta ver o oportunismo que tomou conta da CDU para o comprovar.Veja-se por exemplo o percurso politico de determinados vereadores, conheço um que de operário da Sorefame passou para uma cooperativa com apoio camarário, daí para uma câmara desta margem onde ocupou cargo na vereação, daí salta para o cargo máximo de qualquer vereação, o betoneiro geral da companhia.
Agora é ver despachos de urbanizações atrás de urbanizações em seu nome, enquanto que urbanização social, só se fôr em área protegida , por alteração de uso do solo atribuída cirurgicamente a pato-bravo amigo com registo e conta off-shore.
Mas anda de híbrido porque é amigo do ambiente!

Anónimo disse...

A censura, como a calúnia e difamação, são coisas muito feias. O que o ex militante (ainda não percebi de que militância fala, nem de que ex é ex ...) é calúnia e difamação. Se assim é, diga claramente quem é que assim procede. Diga nomes, apresente provas, e depois retiraremos todos as consequências do que diz. Assim, não! Assim é calúnia e difamação, continuo a dizer!

Quanto à atitude do autor do blog relativamente ao comentário do Nuno Cavaco (que por acaso ainda fui a tempo de ler na íntegra) que palavras utilizar? Não é censura? ´
É o quê? Explique-me lá, Ponto Verde, é o quê a sua atitude? Recolocou o comentário noutro sítio? Mas ele foi aqui produzido, homem! O "seu" espaço é afinal um espaço de liberdade ou não? Pelos vistos não é! (facto que eu já tinha concluído). Pelos vistos aqui só é livre quem quer caluniar, deturpar e difamar! A começar pelo próprio autor do blog.

ex-militante disse...

Calúnia?

Então o JS não foi operário da Sorefame?

Então não se destacou no partido e não montou uma cooperativa?

Então não teve outra vereação antes da actual? O de Betoneiro mór do reino?

Então e o caso da Flôr da Mata e dos off-shores? Esta tudo aqui em www.pinhalfrades.blogspot.com

Então onde está a mentira e a difamação?

Anónimo disse...

Ó Nuno Cavaco, você continua o mesmo copy paste de sempre, agora pôs aqui como comentário um livro do Álvaro Cunhal ? Estava à espera que os outros fossem Tótós?

Anónimo disse...

É interessante ver a forma como os comunistas se defendem. Nunca dizem o que pensam sobre o assunto, seja ele qual for...atacam as pessoas, mudam de assunto ou usam a velha técnica de assobiar para o lado e afirmar que é tudo uma teoria de conspiração contra o PCP

Até há pouco tempo diziam que quem escrevia os comentários era o próprio ponto verde, depois passaram a dizer que eram os amiguinhos do ponto verde, mais tarde criaram blogs para propagandear que no Seixal era onde se encontrava o paraíso, ao estilo da Coreia do Norte (a tal democracia como afirma o deputado Bernardino do PCP!!!) agora acusam o ponto verde de não respeitar a liberdade. Meus senhores procurem na net e vejam em que lugar está este blog e o número de visitas diárias e vão perceber o alcance que ele já tomou... por muita estratégia estalinista de propaganda que utilizem o povo não é burro, tal como não foi no 25 de Novembro!

“Tenham-nos no sítio” e comecem a falar a comentar e a dizer o que pensam sobre os assuntos... ou têm medo de cair na realidade?

João Afonso disse...

Neste blog apenas se pode escrever o que é autorizado pelo grande lider ponto verde... Tudo aquilo que o grande lider não autoriza é apagado e devolvido à procedência. Assim se vê o vosso conceito de democracia, assim se vê a democracia que o ponto verde quer impor na margem sul... Viva a ditadura pontista!

JUAN CARLOS disse...

É extraordinário:

a) o PV faz um post onde 90% são citações de dirigentes do PCP

b) faz links dessas declarações que conduzem ao site do PCP e do Avante

c) Tem um espaço aberto de comentários onde o João Afonso e o Nuno Cavaco podem botar palavra.

Agora o que mais querem? Que o a-sul, que tem mais audiência que qualquer um da margem sul, lhes dê espaço de antena e escreva o que eles entendem? Já agora os discursos do Fidel ou os monólogos do Hugo Chávez.

Kamaradas, POR QUÉ NO SE CALLAM?

E PORQUE NÃO COMENTAM AS CONTRADIÇÕES DA CDU,CORRUPTA, AMANTE DO GRANDE CAPITAL E DEPENDENTE DOS BANCOS NA MARGEM SUL?

Anónimo disse...

É verdade que o candidato à Distrital Bruno Vitorino é vereador a tempo inteiro, fazendo nesses termos parte de um executivo comunista??
Será engraçado o presidente da distrital do PSD ter de obedecer a um executivo comunista.

Anónimo disse...

O PSD MESMO COM VEREADORES A MEIO TEMPO OBEDECE NO SEIXAL Á CDU.

QUANTO MAIS A TEMPO INTEIRO ..

MAS O LUIS RODRIGUES , OUTRO CANDIDATO , TAMBEM FOI VEREADOR COM TEMPO NO SEIXAL.AQUILO É UMA ESCOLA ONDE APRENDEM PELA MESMA CARTILHA E A CDU FARTA-SE DE RIR

nunocavaco disse...

Todos sabemos que o ponto verde é um grande homem. Usa o seu bom nome para levantar as questões que estão na ordem do dia.

Respeita quem tem opiniões diferentes e no meu caso até resolve retirar os meus comentários, que como sempre estão fora do contexto por eu ter perturbações mentais (se não como poderia eu ser militante do PCP) e colocá-los num contexto mais correcto.

Isto tudo por humanidade.
Grande ponto.

Anónimo disse...

De facto, o Juan Carlos (será ele mesmo?) tem razão. Todos quantos por aqui se esforçam por exprimir opiniões diferentes da "oficial" do Ponto Verde, apenas conseguem duas coisas: primeiro, ser agredidos - como descaradamente o próprio Juan Carlos tenta fazer ao melhor estilo monárquico de quem se arroga a razão pura (sangue azul, com certeza); segundo, dar mais "voz" ao Ponto Verde - de facto, estamos a contribuir objectivamnete para que o Ponto Verde seja o "que tem mais audiência" do que qualquer um na margem sul (olhe que não, olhe que não. É mesmo no mundo inteiro!).

Cá por mim, não me importa nem uma nem outra destas consequências. Se o Ponto Verde é o mais lido ou não, é uma atoarda tão grande, um embuste tão monumental, que nem comentário especial merece. Agredido por agredido, a nossa história de resistência à injustiça, à brutalidade, a nossa luta pelas causas justas da humanidade, tantas e tantas vezes nas confdições mais difíceis, é tão grande e tão poderosa, que não é qualquer reles agressão de pontos verdes, sejam eles quem forem, que nos desmobilizarão.

Virão agora a seguir, certamente, pontos verdes ou outros pontos quaisquer, responder-me com os chavões da agressão do costume. Já estou mesmo à espera deles. Todos. Mas a verdade, como o Nuno Cavaco aqui escreveu e o Ponto Verde censurou, a verdade é que nenhuma organização partidária no nosso país conseguiria jamais realizar uma Conferência Nacional como a que o PCP realizou no passado fim de semana no Seixal. E é isso que dói a estes pseudo democratas pontos verdes e quejandos. É isso que dói, e muito. Caso contrário, não perderiam tempo a atacar da forma gratuita como fazem.

E não resisto a voltar aos 90%. De novo o argumento da "transparência" do Ponto Verde (agora não assina assim, mas é o mesmo ...) porque 90% do texto que publica são citações do próprio PCP e até põe cá links e tudo para os documentos originais. Nada mais falacioso. Goebels, na Alemanha Nazi, não faria melhor. Claro, transparente como a água. Mas como já aqui escrevi, o que Ponto Verde faz não é nem transparente nem honesto. Porque o importante são os outros 10%, e aí ...

Finalmente uma questão que não consigo mesmo compreender. Se a "transparência" do Ponto Verde vai a este ponto, se é tão significativo que o post seja 90% citações do próprio PCP, porque raio de carga de água terá sentido o Ponto Verde necessidade de truncar (de facto, truncar é o que o Ponto Verde mais gosta de fazer, e também o que melhor faz ...) o comentário que o Nuno Cavaco aqui deixou? Sim, porquê? Já questionei esta atitude antes, mas não obtive resposta. Como estou certo não obterei desta vez também.

Ponto Verde disse...

Pois é, caro João Afonso, caro Nuno Cavaco, redireccionei um comentário deste ultimo com 739 linhas (Setecentas e trinta e nove) para o seu blogue, sim, o senhor Cavaco tem um blogue, onde não consta nenhum post com esta dimensão, mas agora consta um comentário meu, ou melhor seu, com essa dimensão exacta , 739 limhas.

Não se trata de um texto de sua autoria, por isso não sei sequer se seria legítimo tê-lo publicado aqui no a-sul, trata-se , como é hábito do senhor Cavaco, de um mero copy paste "sacado da net", desta feita o texto de um livro na íntegra e da autoria de Álvaro Cunhal.

Estabeleci links para o original e para o site do senhor Cavaco, onde o texto que o senhor Cavaco e parece que o senhor Afonso e outro anónimo que possivelmente será um deles, consideram importante, pode aí ser lido.

Compreendo a intenção do senhor Cavaco de dar a conhecer tal texto. O a-sul é um dos blogues nacionais mais visitados, o que não acontece com o obscuro copy-paste banheirense.

Mas Caro Cavaco,agradeço, mas não faz parte da nossa linha editorial publicar textos com 739 linhas! Sei que é na net tão fácil copiar três ou três mil linhas, mas não se torna legível todo o resto , como muito bem sabe.


Isso, mesmo ignorando que a sua tentativa, foi a vã tentativa ,de fugir á discussão que propunha, a mentira que é o PCP actual e o quanto distante estão as suas propostas da sua prática na margem sul.
________________________

Como já depois de publicar as linhas acima apareceu o anterior "anónimo" anteriormente já referenciado, gostaria que ele referisse o que está truncado nas citações vindas das declarações do seu secretário geral, ou constantes e publicadas no site oficial do PCP ou Avante.

Ou o que o anónimo (cavaco ou Afonso ou Silva ) tanto faz se esqueceu de referir que essas ideias são só para consumo externo, onde o PCP não manda, pois na margem sul é a bandalheira que se sabe e que diáriamente nos dá pano para mangas par aqui continuar, perdendo entretanto, o ambiente, os cidadãos e o país.

Anónimo disse...

Os vereadores do PSD só tem meio tempo a dividir pelos dois??quer dizer que cada um ganha um quarto dos vereadores da CDu e do Bruno Vitorino na CM do Barreiro??

nunocavaco disse...

"...o obscuro copy-paste banheirense"- ponto verde

Na minha terra a quem não assume o que escreve chamamos cobardes. Eu sou da Baixa da Banheira.

O texto que coloquei é um capítulo inteiro de um livro de Álvaro Cunhal: Capítulo 8 do livro "A verdade e a mentira na Revolução de Abril: A contra-revolução confessa-se", Edições Avante!, Lisboa, Setembro de 1999. Coloquei aqui o texto porque o corajoso e frontal ponto verde, o homem mais lido de portugal, referiu o 25 de Novembro e mais uma vez para mentir sobre o PCP. Achei que nenhuma frase construída por mim, que nenhum texto feito por mim se igualava a este de Álvaro Cunhal. Também o fiz porque este livro deveria ser lido por muitos mais portugueses. Como vê na minha opinião o copy/past justifica-se e é justificado pelas mentiras que você escreveu. Tudo o resto são apenas delírios e se calhar fraquezas de quem não consegue na cara dizer realmente aquilo que pensa (estou a falar de si caro ponto verde).

O Sr. Cavaco como você escreveu, é uma pessoa com amigos, com ideias, com vontades, com erros, com tudo o que quiser, mas assume aquilo que pensa e não precisa de arranjar um outro nome para escrever esses pensamentos.

Por tanto ou tanto pouco apelidar-me de obscuro só lhe fica bem, a si que se assume, que não tem rosto, que não é capaz de peito aberto referir e justificar aquilo que escreve e isso para mim não vale nada. Salazar tinha a PIDE e os bufos incógnitos...

Foi por isso que usei o texto de Álvaro Cunhal e sem bem penso, ele também iria achar que usar o que escreveu para combater as mentiras contra o seu partido de sempre, é sempre justificável, é sempre justo, porque naquele texto nada é falso.

nunocavaco disse...

Ah e eu assino sempre com o nome que me deram apesar de não gostar do Cavaco, não vale a pena tentar associar-me a anonimatos, o que neste caso tem uma certa graça, não é ponto verde? (o nome deve ser brasileiro)

Anónimo disse...

Viva a Mesquita!! Via a Democracia!!

07-20 disse...

O Sr. Cavaco tem sem dúvida uma língua mais rápida que o pensamento, porque diz por vezes coisas que não podem ser de forma alguma pensadas. Então achou que "este livro (do. Dr. Cunhal) deveria ser lido por muitos mais portugueses. Como vê na minha opinião o copy/past justifica-se (...)".

É a sua opinião, Sr. Cavaco. Veja bem, segundo o seu ponto de vista, se EU achar que é boa ideia, posso então começar a fazer copy-pastes do "Como se levanta um Estado" (ISBN: 9789899537705), só porque EU acho que "(...)este livro deveria ser lido por muitos mais portugueses." Se calhar até começo pelo Banheirense...

Enfim. Seja como fôr, ao fim de 34 comentários conseguiu-se mais uma vez não falar da questão levantada pelo post original... Desvio de conversas no seu melhor.

nunocavaco disse...

foi por isso mesmo, pela questão essêncial, que o PCP fez a conferência e que tal falar nela, e nas nossas propostas?

Filipe de Arede Nunes disse...

Este Nuno Cavaco e figuras afins, fazem-me lembrar o tempo em que o PCP (e não o PC sovietico ou o de qualquer outra ditadura comunista de leste) apoiava com lucidez o pacto germano-sovietico; ou as invasões dos tanques sovieticos em Praga; ou os conhecimentos massacres sazonais Estalinistas! De facto, o PCP é único na realidade política nacional, contra os factos supra mencionados, não há argumentos. Mas recordemos a actualidade. O apoio à "democracia" norte-coreana, e ao "novissimo" regime cubano!
Ora se tivessem vergonha! Se soubessem o que significa a palavra democracia, não ousariam certamente fazer a apologia da mentira - ver em www.juventudeseixal.blogspot.com - da falta de sentido democrático e da ditadura.
Quem é o PCP e os seu lacaios para darem lições de moral a quem quer que seja?
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

anónimo vivo , pensante e eleitor, ah, também contribuinte , disse...

Salazar tinha a PIDE e os bufos incógnitos... Nuno Cavaco dixit!

Acrescento agora eu:

E havia gente incompatível com esses bufos, eram Comunistas (verdadeiros) e por isso estavam na clandestinidade!

E estar na clandestinidade era covardia? As suas palavras por não "darem a cara" eram menos válidas, as suas ideias eram "despreziveis" ?

Creio que não.

Na Margem Sul há hoje ,depois de três décadas de democracia um clima de perseguição, de ataque, e de defesa de um sistema que se tornou mafioso e que alastrou para as autarquias.

Veja o que têm feito a quem se tem oposto e exposto em nome individual accionando a cidadania como o António Ângelo.

O Senhor Cavaco, apaniguado do poder, tem sido um dos que lhe não deram tréguas.

Esta discussão do anonimato já fede, e o que também fede é o vosso corporativismo e a inépcia de aplicar na prática o que dizem fazer em teoria, a defesa do ambiente que este blogue tão bem tem feito é uma delas.

m disse...

Sobre o "dar a cara" tão querido dos nossos amigos "camaradas" deixo-lhes aqui um comentário sobre o tema feito por um Querido, de seu nome.

Enjoy!

citando paulo querido disse...

Na blogosfera o anonimato é vulgarmente uma defesa do autor, que deseja publicar sem que isso signifique expôr a sua privacidade. [Nem todos nós procuramos os cinco minutos de fama.] O tom intimista dos blogues ajuda a essa escolha. Muitos, uma vez conhecidos os cantos à casa, acabam por assumir a identidade nos seus blogues. Outros, uma minoria, não.

O anonimato não significa cobardia — embora alguns cobardes anónimos o usem para tentar insultar e denegrir terceiros.

O anonimato não significa irresponsabilidade ou inimputabilidade — apesar de alguns cobardes anónimos o usarem irresponsavelmente.

O anonimato merece respeito — sim, apesar de com isso termos de levar com as diatribes de alguns cobardes anónimos. Pensem nos outros, nos milhares de casos em que só em condições de anonimato puderam ser denunciados escândalos e tiranias e mortandades.

A credibilidade não tem uma relação directa com o anonimato ou a assinatura. A credibilidade é outra coisa

citando paulo querido disse...

A credibilidade constrói-se através da repetição, no tempo, de informações sérias e relevantes e de opiniões certeiras. Não se constrói com um feliz mas episódico tiro na mouche. E muito menos fornecendo regularmente informação falsa, deturpada ou inquinada (como é vezeiro na política e na economia, prosseguindo estratégias privadas).

A acabar: um nick, ou pseudónimo, tem o mesmo valor de um nome. É uma assinatura. Identifica aquela pessoa. Na Internet como na vida (quantos “jet-sets” são conhecidos pelos seus diminuitivos familiares? Quem sabe o verdadeira nome de Babá Pita?). José Pacheco Pereira é quase mais reconhecido na Internet (e pelos internautas nas conversas informais em ocasiões sociais) pelas iniciais JPP e até por Abrupto do que pelo seu nome — esteja ou não ele ciente disso, esteja ou não ele disposto a conceder à assinatura JPP foros de nick oficial.

Quem acha que se refugia atrás de um nick, esqueça. Mais tarde ou mais cedo confronta-se com a reputação desse mesmo nick.

in : http://pauloquerido.net/2004/10/credibilidade_e_anonimato

nunocavaco disse...

Filipe de Arede Nunes não responde às minhas questões e passa ao ataque. Fala no pacto germano-soviético mas não conhece a história. Sabe o que aconteceu antes. Onde estavam os americanos quando Hitler queria invandir a Rússia?

Ou onde interviram os democratas quando se formaram ditaduras em plena europa ocidental.

Não vá por aí.

Responda-me ao que perguntei. Porque é que o PSD é uma coisa na oposição e no poder é outra? Esta é umas das questões centrais da democracia e pode também servir para esclarecer o comportamento do partido socialista.

Arede Nunes sabe isto melhor que eu e por isso foge.

Filipe de Arede Nunes disse...

Oh Nuno Cavaco, então eu não conheço a história?
Sem comentários...
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

nunocavaco disse...

Boa resposta.

Gostei especialmente da argumentação.