quarta-feira, maio 09, 2007

O SEU A SEU DONO , O METRO E A BICICLETA














Acaba de ser posto em prática em Bruxelas mais um sistema de transportes utilizando a bicicleta em complementaridade, estas podem-se alugar recorrendo ao pagamento automático via "Multibanco", simples, barato, eficaz e...saudável!!! O sistema não tem custos para a autarquia, sendo explorado pela concessionária de mobiliário urbano JC Decaux.

Ponto prévio: Como é sabido pelo que aqui se tem esc
rito sobre o Metro Sul do Tejo, sabem que defendemos em tese, do projecto, não na sua prática e manipulações partidárias, não nos atrasos e suas razões, não na rede escolhida, não do que foi inaugurado...nem muito menos do que está em projecto numa segunda fase, que no Seixal privelegiará não as zonas mais densamente povoadas, mas sim, o grande investimento do PCP na Margem Sul, a Quinta da Atalaia!!!

Defendemos o projecto pela necessidade de rentabilizar o investimento já feito e por poder vir a ser a longo prazo e com outra linhas, um projecto estruturante para a margem sul como transporte não poluente.

A rede desenhada poderia tê-lo sido de uma outra forma maximizadora do serviço à população e minimizadora dos efeitos nefastos que também traz (os habitantes da Ramalha que o digam), acho que é um projecto que pode vir a servir os contribuintes residentes na Margem Sul...se não fôr decalcada a "lógica" do comboio Fertagus (Parques de estacionamento e urbanizações onde não vive - ainda - ninguém... ou seja uma estrutura de transportes geradora de mais urbanização)

Discordamos porém, das palavras do Licenciado em Engenharia e Primeiro Ministro José Sócrates quando afirmava que "este projecto vai servir para fixar pessoas", para esta lógica de servir a Construção Civil... porventura nos projectos "Rosa Vermelha" ; "Cidade da Lisnave" , "Siderurgia Urbana" e "Quimiparque Condomínio" , realmente não estou de acordo e face a estas opções do agora P.M. , tenho saudades de um então Engenheiro Sócrates com preocupações ambientais... que se opunha obstinadamente, por exemplo, contra o projecto de Urbanizar as dunas do Meco...se fosse hoje, outro PIN certamente...cantaria!!!

A obra do MST , se ainda não trouxe verdadeiramente o Metro , trouxe já e finalmente, uma "espécie" de rede de ciclovia para a margem sul o que é para já a parte realmente palpável e positiva do projecto, só que uma rede de ciclovia séria e pura que cobrisse Almada e Seixal , ficaria muito , mas muito mesmo, direi mesmo, infinitamente mais barata que o custo de 1 Km de Metro...

Olhando para o custo por Km do MST , 25 Milhões de Euros por Km reparo também que 25 Milhões de Euros permitiriam a compra de MUITAS bicicletas...e a construção de muitos mais quilómetros de ciclovia que complete aquela que é parte integrante do espaço canal do MST (o que estão à espera as autarquias para finalmente criarem canais para as bicicletas? Já se aperceberam do seu uso exponencial e da democratização do seu preço? Uma bicicleta compra-se numa grande superfície por 30 euros!).


O sistema dado como exemplo e em vigor em Bruxelas e Lyon nem traz custos para as autarquias , pois é concessionado a privados!!!

Vejo também assim que GRATUITAMENTE e não por 25 MILHÕES DE EUROS permitiriam também a implementação de um sistema de transporte alternativo e complementar do Metro com bicicletas que se pudessem alugar, gratuitamente (como em Copenhaga ou Aveiro) ou um sistema pago como em Lyon ou Bruxelas ...ou Paris...

Para terminar e justificar o título do Post, o seu a seu dono, acho que chamar Metro ao Metro, é um bocado pomposo demais...para não dizer que é mais um acto de pura propaganda...lá fora chamam aquele tipo de transporte TRAM , um aligeiramento de TRAIN, por utilizar carris, por cá, há tradição na matéria e em Lisboa sempre se chamou Eléctrico ....

Se é por o Porto (com um projecto idêntico) puder dizer que tem um Metro, não será por aí que o Porto perderá a legitimidade, pois o projecto do Porto é um verdadeiro Metro, primeiro, porque mete inveja à Máfia que em Lisboa impede que haja Metro no aeroporto , e depois porque não se inibe de ter zonas de passagem subterrânea para minimizar incómodos em determinados percursos...


Mas na Margem Sul o que continua a interessar será mesmo continuar indefinidamente... a "fixar pessoas" !!! É pena.

4 comentários:

MC disse...

"acaba de ser posto"?
A foto neste post é de janeiro...

;)

residente disse...

Este meio de transporte de que acaba de ser apresentado à população uma má amostra, poderia ser excelente para Almada se o traçado e inserção fosse outro e não desqualificasse a cidade com os inestéticos postes e espaço canal no meio das vias, e se constituisse um transporte alternativo.
Tal como está sendo implantado dentro da cidade, vai prejudicar residentes, deixando muitas dúvidas se algum dia será rentável.
Mas a rentabilidade não é importante uma vez que a concessionária terá sempre as devidas compensaçõe económicas por parte do Estado.
O contribuinte quer utilize ou não o MST, pagará sempre os prejuízos.
É mais um "negócio", feito por governantes, ruinoso para todos nós.

Mauro Santos disse...

Estive em Bruxelas no inicio de Dezembro e este sistema já existia.

Acerca deste sistema é preciso ter cuidado, tem algumas falhas a nível de pagamento electronico, embora para cidadãoes nacionais existia um cartão magnético recarregável em certos postos para tal efeito.

Na altura lembrei-me de como seria em Portugal...talvez resultasse na margem sul do tejo pois é uma região mais plana mas temos sempre o factor de vandalismo por estes lados.

Ponto Verde disse...

Caro Mauro e caro MC, o sistema foi posto a funcionar em Setembro, tendo-se generalizado a mais zonas da cidade nos ultimos meses. Quando refiro "acabou de entrar em funcionamento" significa recentemente e não hoje ou ontem. Cordialmente.