domingo, maio 20, 2007

COMO UMA DROGA!







E lá está o PontoVerde...

O dinheiro e o poder inebriam alguns como uma droga... outros têm quer de um quer de outro um distanciamento e um mundo interior que permite uma abordagem intelectual ao que consideram verdadeiramente importante como a qualidade de vida, o valor intrínseco de uma paisagem , o que vai ser passado às futuras gerações...ou num outro plano, a honestidade, a ética, a igualldade, a liberdade...

Algum deste antagonismo esteve presente na Conferência da Moita ( a partir de agora basta referenciar "Conferência da Moita" pois já tinhamos por exemplo "Tratado de Roma" , "Declaração de Lisboa", "Acordo te Shengen", "Tratado de Maastrich"...) ... outras analogias agitaram águas e consciência (será que também naquele pântano junto à Câmara?) . A uma dada altura, manhã do segundo dia, Paulo Morais fazia na sua intervenção a seguinte analogia "os lucros com as mais valias de terrenos são sómente comparéveis aos da droga" ... " os PDM são como uma bolsa, só que uma bolsa em que o lucro depende dos detentores dos terrenos..." e o mais curioso é que tudo dentro da "legalidade"...

Outros enquadramentos estiveram também em discussão, como as expropriações , como as alterações de uso do solo, como o poder dos vereadores do urbanismo, como o financiamento dos partidos, o pagamento de campanhas eleitorais... temas que ao longo destes três anos aqui no a-sul também têm sido tratados, o que demonstra que a realidade e os valores que aqui defendemos têm afinal uma inteligentzia que também os exortam e certamente a ter mais em consideração que um qualquer serralheiro nomeado pelo partido como vereador do urbanismo!!!

Apesar de omisso como convém, a blogosfera teve aqui neste acontecimento, mais uma vez um papel preponderante,quer de organização, quer de mobilização, no lado "oposto" estiveram autarcas eleitos , a autarquia que teve o desplante de ignorar as Personalidades que por ali passaram,outro facto curioso foi o de uma "espécie de imprensa livre" ter também ignorado este acontecimento (salvo sublinháveis excepções) ... fica-se assim a ver por omissão ou distracção,a quem afinal interessa este statusquo ... parece que aos coveiros do nosso ambiente, a fatídica triologia autarcas-empreiteiros-clubes de futebol , há que acrescentar agora os media não livres nem independentes - a partidocracia reinante - e o sistema bancário...

Melhor do que um copy paste , aconselho vivamente uma visita aos "blogues oficiais" da Conferência da Moita , o umportodostodosporum.blogspot.com/ e o www.moita19maio2007.blogspot.com/ , onde encontrarão alguns textos das intervenções feitas e uma descrição exaustiva dos participantes.

9 comentários:

Anónimo disse...

Grupelho de basbaques fáchizóides que só um blogue como este pode dar cobertura, queria que jornais sérios dessem atenção a esta pandilha que quer é desacreditar o poder local da CDU? A CDU é a escolha do povo há mais de trinta anos e que assim vai continuar no interesses do país e da região como trabalho, seriedade e dedicação.
Cambada de reaccionários proprietários de terra é o que vocês são todos e contra o direito a que o povo tenha habitação digna e seja proprietário da casa onde vive como está na Constituição.

Zé Bonito disse...

O silêncio da imprensa, diz bem dos objectivos dos tão apregoados "intereses editoriais". No entanto, a partir da Conferência da Moita foi possível ver que os problemas debatidos interessam a todo o País. Vimos a iniciativa ser divulgada por blogues de Norte a Sul, revelando que começa a haver uma consciência favorável a medidas de ordenamento do território e contra a apropriação privada de bens públicos (os partidários da CDU/PCP, deviam pensar duas vezes, antes de apoiarem o que se está a passar). Talvez fosse interessante, manter em contacto esta "rede" que esteve ao lado da iniciativa. Pela nossa parte, estamos disponiveis.

kid juris disse...

Aconselho o senhor que abriu esta caixa de comentários a informar-se da dimensão do património imobiliário do PCP.

Se tivesse ido À Conferência teria, decerto, descoberto alguns dos motivos do incumprimento do desiderato constitucional referido no segundo parágrafo do seu "amável" comentário.

O monstro das duas cabeças que se ponha à tabela disse...

Zé Bonito,

Se cada um dos presentes na Conferência difundir, por todos os meios ao seu alcance, as ideias chave lá debatidas, em breve os detentores dos poderes político e mediático estarão num beco sem saída e terão que dar "o braço a torcer".

Estou convicto da capacidade da "rede" apertar a malha...basta que cada um de nós actue com 1% da energia que os organizadores demonstraram ter.

E, talvez, se sintam já os seus efeitos na campanha eleitoral lisboeta.

Zé Bonito disse...

De acordo. No entanto, penso que todos lucramos se houver uma maior divulgação de iniciativas deste género, posições defendidas, experiências. A grande força da Conferência da Moita, foi precisamente essa: conseguiu ultrapassar as fronteiras do Concelho. No entanto, reparem que o silêncio nos "media" foi quase total e significativo. Pela nossa parte, vamos tentar "linkar" e divulgar, todos os blogues que tomaram posição sobre a Conferência.

cityzen disse...

Acabei de ver Marcelo Rebello de Sousa a falar da iniciativa na sua crónica semanal, o que contrasta com o que se passou com a imprensa, com as televisões mais (só) interessadas no desaparecimento da criança na Praia da Luz ou com a final do campeonato.

Ponto Verde disse...

Gostaria só de acrescentar o seguinte e contestar também, sobretudo o primeiro comentário, para dizer que os autarcas e suas politicas aplicadas à margem sul, não precisam de conferências para os desacreditar, eles, o seu comportamento as suas politicas e ideias de desenvolvimento é que os desacreditam.

Quanto ao "reaccionário" ou "fascisóides" gostava que atentasse a abrangência de participações, do PPM, ao BE, passando pelo MRPP, pelo PT, ao PS, ao PSD... acho que este leque faz caír por terra esta tese redutora.

Quanto ao silêncio da generalidade imprensa, lembro duas situações, quem detém o poder sobre os media, sobretudo locais (a construção civil e os autarcas) através do seu financiamento quando não detêm mesmo a posse, nos meios nacionais, há que observar a titularidade da posse e os seus interesses e quem diligentemente nas redacções faz triagem do que é ou não noticia, e a imprensa é inexplicávelmente diligente e tolerante para o MITO do autarca modelo CDU...

O absurdo é tal que o Publico, que anteriormente deu algum destaque à questão do PDM da Moita que hoje publica um longo artigo sobre Urbanismo, mais valias, politica de solos, corrupção...mas em Espanha!!!

O que não podem escamotear é que há uma massa critica crescente que não pactua com este estado de coisas, e cidadãos decididos a intervir e fugir ao laissez faire dos partidos instalados, pelo que espero que Vitor Ramalho e Alberto Antunes tenham aprendido alguma coisa e transmitam...

Mais uma vez os parabéns aos organizadores da iniciativa e à forma simpática como receberam todos na Moita.Que Aquele Mural do "E Tudo o Vento Levou" não se aplique ao ambiente na Margem Sul.

Concelhia da Moita do PCP disse...

Conferência Nacional sobre a política de solos, as mais valias urbanísticas e ordenamento do território, para os dias 18 e 19 de Maio na Moita.
Dado que ao PCP têm chegado interrogações sobre esta iniciativa, o Secretariado da Comissão Concelhia entende divulgar a opinião do PCP sobre a mesma:

1) Os conteúdos avançados em blogues e email´s pelos organizadores, a forma como é anunciada, fazendo crer tratar-se de um problema nacional mas na prática incidindo sobre o concelho, numa manobra que visa denegrir esta terra, as suas gentes e os seus eleitos autárquicos, merece o desacordo do PCP.

2) A matéria anunciada é de facto um problema nacional e o PCP e os seus eleitos orgulham-se da contribuição que têm dado e que continuarão a dar com honestidade, trabalho e competência. É por isso, que não pondo em causa a legitimidade de quaisquer grupo de cidadãos organizar debates acerca do que entender, consideramos quem em relação à matéria em questão se enganaram no concelho e nos eleitos autárquicos, batendo na porta errada.


3) O modo como os convites para participar na referida iniciativa foram feitos e a sua divulgação, são no mínimo processos pouco sérios, pois recorrendo à utilização abusiva de nomes de pessoas e instituições que, mesmo após o desmentido das mesmas é omitido a divulgação do seu teor pelos mesmos meios em que são anunciados.

4) Quanto ao PDM da Moita, reafirmamos o conteúdo do comunicado do Executivo da Comissão Concelhia da Moita do PCP de 20 de Abril de 2007, designadamente no que se refere à forma pública e transparente com que foram tratados todos os processos para a sua execução e à necessidade da sua aprovação superior de molde a mantermos os objectivos de desenvolvimento económico e social do concelho da Moita.

Anónimo disse...

http://www.jornaldenegocios.pt/default.asp?Session=&CpContentId=296157