terça-feira, março 07, 2006

PERIGO PARA A SAÚDE PÚBLICA












Palavras para quê? É a Câmara do Seixal que assume, a àgua da sua zona ribeirinha é um perigo para a saúde pública, resultado
da maioria dos esgotos de 160.000 habitantes não terem tratamento e serem despejados directamente no Rio Judeu, Rio Coina, Baía do Seixal, na prática em pleno estuàrio do Tejo.

O a-sul pelos seus leitores


Como já tive oportunidade e dizer em outros Post's concordo na maioria das vezes consigo, mas desta vez acho que exagera nas responsabilidades á autarquia. Se é verdade que um dos responsáveis pela poluição são os esgotos, não menos verdade é que o principal responsável foram os anos de poluição provocados pelas indústrias pesadas do Barreiro e Seixal... basta pensar em todo o mercúrio q existe no Tejo! Mas com isto não quero ilibar as autarquias, o estado e principalmente a população do desleixo e irresponsabilidade durante o ultimo século...esta população que não pressiona o poder politico a fazer algo para mudar o desastre ambiental que reina neste “paraíso” à beira mar plantado!!! Esta população que não recicla, ou que coloca nos contentores do lixo reciclado lixo normal, que vê destruir zonas naturais magníficas e não faz rigorosamente nada, que nas coisas básicas como não deitar lixo para o chão não cumpre o seu dever (basta ver as estações de comboios e metro)...

No final a culpa é nossa do cidadão comum que em vez de procurar tentar mudar o estado das coisas não faz rigorosamente nada... estamos sempre á espera q alguém q está no poder o faça por nós!! É que assim podemos continuar a criticar e a dizer... devia-se fazer assim, os tipos não fazem nada bla bla bla... Para concluir quero prestar a minha homenagem aos poucos cidadãos que fazem alguma coisa! Obrigado a esses corajosos! (António)
_____________________________________________________

É verdade que apenas existem duas ETARs no Concelho do Seixal e é importante referir que ambas funcionam mal, mas mais vele duas que funcionam mal do que nenhuma. Como referiu o “Anónimo do post anterior”, a poluição presente na Baia do Seixal, Rio Coina e Rio Judeu não é só a carga orgânica e afins despejados pelos esgotos urbanos, não nos podemos esquecer que toda a zona foi e é composta pelas mais diversas industrias poluidoras que descarregam e descarregaram materiais bastante prejudiciais à saúde publica e ao ecossistema.

Podemos falar da quimiparque que é uma das responsáveis pelos teores de mercúrio e cádmio (dois metais pesados), pelo TBT que era utilizado na Lisnave e que foi responsável pelo desaparecimento da ostra portuguesa, que outrora foi sustento para muitas das famílias do concelho do Seixal, da Siderurgia Nacional que não se tem a certeza que materiais foram lançados para o rio de Coina e podíamos falar das pequenas e médias empresas que laboram (algumas na clandestinidade) e que lançam os seus resíduos nas nossas ribeiras e rios. Grande parte da responsabilidade é do Poder Local/Central que permitiram que estas indústrias emitissem os seus efluentes para os rios sem nenhuma espécie de controlo, mas como referiu o primeiro comentador, parte da culpa também é dos cidadãos, sim, porque parte da população se a sua pessoa não for incomodada, ficam à espera que os outros resolvam os problemas. Não existe consciência cívica na nossa população, a educação ambiental é escassa, e a informação também não está ao acesso de todos, mas na minha opinião, se existir força de vontade as coisas podem mudar, e se cada um de nós fizer um pouco para melhorar a situação, talvez daqui a uns anos as coisas estejam num nível um pouco mais aceitável.


Mas é apenas a minha opinião
Ana S.

6 comentários:

Anónimo disse...

Como já tive oportunidade e dizer em outros Post's concordo na maioria das vezes consigo, mas desta vez acho que exagera nas responsabilidades á autarquia. Se é verdade que um dos responsáveis pela poluição são os esgotos, não menos verdade é que o principal responsável foram os anos de poluição provocados pelas indústrias pesadas do Barreiro e Seixal... basta pensar em todo o mercúrio q existe no Tejo! Mas com isto não quero ilibar as autarquias, o estado e principalmente a população do desleixo e irresponsabilidade durante o ultimo século...esta população que n pressiona o poder politico a fazer algo para mudar o desastre ambiental q reina neste “paraíso” à beira mar plantado!!! Esta população que n recicla, ou que coloca nos contentores do lixo reciclado lixo normal, que vê destruir zonas naturais magníficas e n faz rigorosamente nada, q nas coisas básicas como n deitar lixo para o chão n cumpre o seu dever (basta ver as estações de comboios e metro)... No final a culpa é nossa do cidadão comum que em vez de procurar tentar mudar o estado das coisas n faz rigorosamente nada... estamos sempre á espera q alguém q está no poder o faça por nós!! É q assim podemos continuar a criticar e a dizer... devia-se fazer assim, os tipos n fazem nada bla bla bla... Para concluir quero prestar a minha homenagem aos poucos cidadãos q faem alguma coisa! Obrigado a esses corajosos!

Anónimo disse...

É verdade que apenas existem duas ETARs no Concelho do Seixal e é importante referir que ambas funcionam mal, mas mais vele duas que funcionam mal do que nenhuma. Como referiu o “Anónimo do post anterior”, a poluição presente na Baia do Seixal, Rio Coina e Rio Judeu não é só a carga orgânica e afins despejados pelos esgotos urbanos, não nos podemos esquecer que toda a zona foi e é composta pelas mais diversas industrias poluidoras que descarregam e descarregaram materiais bastante prejudiciais à saúde publica e ao ecossistema. Podemos falar da quimiparque que é uma das responsáveis pelos teores de mercúrio e cádmio (dois metais pesados), pelo TBT que era utilizado na Lisnave e que foi responsável pelo desaparecimento da ostra portuguesa, que outrora foi sustento para muitas das famílias do concelho do Seixal, da Siderurgia Nacional que não se tem a certeza que materiais foram lançados para o rio de Coina e podíamos falar das pequenas e médias empresas que laboram (algumas na clandestinidade) e que lançam os seus resíduos nas nossas ribeiras e rios. Grande parte da responsabilidade é do Poder Local/Central que permitiram que estas indústrias emitissem os seus efluentes para os rios sem nenhuma espécie de controlo, mas como referiu o primeiro comentador, parte da culpa também é dos cidadãos, sim, porque parte da população se a sua pessoa não for incomodada, ficam à espera que os outros resolvam os problemas. Não existe consciência cívica na nossa população, a educação ambiental é escassa, e a informação também não está ao acesso de todos, mas na minha opinião, se existir força de vontade as coisas podem mudar, e se cada um de nós fizer um pouco para melhorar a situação, talvez daqui a uns anos as coisas estejam num nível um pouco mais aceitável.

Mas é apenas a minha opinião
Ana S.

João Afonso disse...

E uma chatice quando os comentários anónimos não são escritos pelo Ponto Verde, já não há criticas à Câmara. Parabéns aos dois comentaristas anteriores que tiveram a coragem de vir aqui ensinar as verdades ao Ponto Verde e amigos!

António disse...

João Afonso,
eu sou o 1º comentador (inscreve-me agora!) e apenas gostava de dizer-lhe o seguinte: Para politiquice já chega as TV's, jornais, enfim os nossos políticos. Por isso em vez de comentários a defenderem a cor de cada um, proponho uma discussão séria de ideias q é para isso q este blog serve! Não temos todos de estar de acordo, nem nunca vamos estar... mas pelo menos vamos tentar discutir ideias nossas (e n do partido) já q a nossa classe politica n o quer fazer! Este assunto do ambiente é demasiado sério para politiquices!
Quanto ao responsável do blog n o conheço e por vezes n estou de acordo com ele mas há que reconhecer que o bloguista faz um esforço no sentido de fundamentar os seus textos!
Cumprimentos

Ana S. disse...

Só pela existência deste blog onde se pode dar a opinião, devemos felicitar o seu responsável ou responsáveis.
Quanto a cidadã dou o meu contributo para tornar este mundo onde vivemos um pouco melhor, mas como referi em anteriores comentários noutros posts, o Concelho do Seixal ainda tem muito que fazer e parece que os autarcas responsáveis por ele estão um pouco como o comum do cidadão, esquecidos da sua responsabilidade (que é acrescida pois são cidadão e autarcas!). É com desagrado que vejo na televisão que o Concelho do Seixal é o segundo concelho com o maior passivo ambiental. Acho, e volto a frisar que é apenas a minha opinião, que os responsáveis pelo nosso concelho deviam de ser um pouco mais cívicos e considerar o Ambiente como algo que o Ser Humano está dependente e não o contrário. Pouco ou nada é feito neste concelho para melhorar a qualidade de vida dos seus munícipes, e qualidade de vida não é apenas adquirir alguns equipamentos ou abrir alguns centros de apoio (que não deixam de ser muito importantes) ou fazer pequenos mas importantes projectos (como o da compostagem), porque isso não chega! È necessário fazer mais!
Não vou repetir o que escrevi em anteriores posts pois seria um pouco chato, mas Sr. Afonso, tem que concordar que no Seixal ainda existe muito por fazer para diminuir o Passivo Ambiental, porque se em tempos o nosso concelho recebeu m prémio pelo esforço que tem desenvolvido pelo tratamento dos seus resíduos, olhe que este “segundo prémio” que teve a honra de ser transmitido pela televisão é bastante vergonhoso!!

Pense Globalmente, Actue Localmente

Mas é apenas a minha opinião
Ana S.

http://sic.sapo.pt/online/video/

abstracto disse...

EXCELENTES comentários os do António e da Ana, já o mesmo não posso dizer do habitual "seguidista de partido" José Afonso, pois este senhor apenas aplaude o que não vai contra as câmaras PC. Este senhor infelizmente não tem capacidade de autocritica, de argumentação, ou de análise, apenas se limitando a fazer politiquice barata. Quando alguém faz reparo à gestão das câmaras controladas pelo PC, "salta" logo em defesa, conotando todos como os "amigos" do ponto verde. Embora me identifique com alguns dos pontos defendidos pelo ponto verde, não o conheço nem pretendo vir a conhecer, pois o que interessa realmente é discutir as ideias e não as pessoas, mas isso penso seria exigir demais de uma pessoa que se habituou a não pensar por si, mas sim defender as ideias de outros seja a que "preço" fôr.
Retomando o comentário do António, efectivamente vivemos num pais em que tudo criticamos mas nada fazemos, esperando sempre que alguém o faça por nós. Até poderemos ser a favor de co-incineração mas desde que não seja ao pé de casa, criticamos a proximidade dos aterros sanitários mas não nos da-mos ao trabalho de separar os residuos, criticamos o caos urbanistico, mas ficamos chateados se não nos deixam construir à vontade no nosso terrenozinho. Enfim somos um povo que inveja o tipo que se safa aos impostos e tem um "ganda carrão" e "uma bruta vivenda", não invejamos aquele que se esforça paga os seus impostos e tem um carro e casa médios.
Concluo afirmando que realmente a culpa é dos políticos, só que todos nós somos políticos e um povo tem os políticos que merece.