sábado, dezembro 17, 2005

A ÀRVORE DE NATAL DA MARGEM SUL





imagem Feijó- Almada

Esta imagem é significativa do que foi este ano e a ultima década na Margem Sul onde milhares de sobreiros foram abandonados ou arrazados em função do lucro imediato e da especulação imobiliària.

Têm sobretudo culpa, as autarquias, em decisões que estão próximas da corrupção , abuso de autoridade e tráfico de influências, os beneficiàrios dessas decisões, construtores e especuladores imobiliàrios ou promotores, mas também o cidadão comum que não se insurge contra estas decisões e ajuda até à "festa" transformando espaços verdes e selvagens em vazadouros de entulho e lixo, quando o contentor do lixo por vezes está a escassos metros dalí.

O que é facto é que imagens destas são frequentes por aí e mostram um déficit cultural e ambiental muito grande, para além duma falta de civismo gritante.

Por isso cada um tem a "Àrvore de Natal" à medida da sua exigência!

4 comentários:

Anónimo disse...

é patente que a luta contra o betão nunca terá qualquer efeito enquanto não ultrapassarmos coisas muito mais simples e básicas que tem em primeiro lugar que ver com cada pessoa individualmente e só depois com os políticos, os lobbies, etc...
refiro-me ao o nosso baixo nivel civilizacional, a nossa falta de educação, a javardice do cidadão comum que faz com que estes "presentes" de natal que aqui retratas se encontrem distribuidos ao longo dos milhares de quilómetros de bermas das estradas do país, e fora das bermas um pouco por todo o lado mesmo nos lugares que se pensaria serem mais inacessíveis.
rui.david@gmail.com

nuno disse...

Não podia estar mais de acordo com o Rui. Aqui o problema não está nas autarquias. Está sim com a enorme falta de civismo das pessoas. Eu moro na Charneca da Caparica e a autarquia disponibiliza um serviço GRÁTIS de recolha de monos, bastando para isso telefonar e marcar o dia da recolha e infelizmente as pessoas continuam a deitar os seus sofás, as suas máquinas e outros volumes grandes para o meio da rua. Na charneca temos um espaço verde que é constantemente brindado com monos e detritos de obras. O que vale é a junta ou a câmara constantemente limparem o local.
Mas se fosse só isto...as pessoas apesar de alertadas continuam a mandar pelo vidro fora a sua beata, continuam a abandonar animais, etc, etc...
Ainda temos que evoluir muito...
Nuno

lb disse...

Continuamos a ser o país em que todo o cidadão se acha credor de todos os direitos possíveis e imaginários e, esquece-se que a cidadania também se faz de deveres e obrigações, como por exemplo votar ou pagar os seus impostos, além de não estar à espera que sejam sempre os outros a "apanhar" o nosso lixo.

Anónimo disse...

concordo com o Rui. Vou dar um exemplo q acontece cmg todos os fds em Santa Marta do Pinhal. Existem dois caixotes do lixo lado a lado, mas quando o 1º fica cheio as pessoas simplesmente deixam no chão o lixo para n andar 1 metro, q é a distância a q fica o outro caixote do lixo! Então ao final do dia é sempre o mesmo espetaculo, "carradas" de lixo no chão com um caixote completamente vazio!! Como diz o rui "..refiro-me ao o nosso baixo nivel civilizacional, a nossa falta de educação, a javardice do cidadão comum que faz com que estes "presentes" de natal .."