quinta-feira, novembro 24, 2005

NO MILLENIUM DAS MEGALOMANIAS













Cinemas Millenium do Freeport de Alcochete , 23 salas - FECHAM!


As megalomanias provincianas e serôdias dão nisto, e isto são mais umas dezenas de desempregados em vésperas de Quadra Natalicia.

A situação resulta de a administração do Freeport de Alcochete ("o maior outlet da Europa") ter fechado os cinemas Millenium, o maior Multiplex do país com 21 salas. O facto era algo de anunciado e esperado, embora não se esperasse por uma posição de força tão declarada, com seguranças em todas as entradas e portas fechadas com correntes.

A gestão dos cinemas Millenium tem outra versão para a não viabilidade do espaço, acusando a administração do Freeport, mas o que é facto é que os espectadores escasseavam para tanta sala e lugar disponível . Verdade verdade é que estão hoje mais 30 cidadãos no desemprego, talvez consigam colocação nas Grandes Superficies+ Multiplexes, que vão nascendo na Margem Sul e que pelos vistos já se começam a canabalizar a si próprias depois de terem destruido o comércio tradicional da região e as tradicionais salas de cinema das sociedades recreativas.

Podemos pois atribuir a este fenómeno (o "centro-comercialismo") - a par da criação de novos hábitos sociais assentes no consumo, e a movimentos pendulares criados pela criação de cidades dormitório-suburbanas - a destruição do movimento associativo, fomentada afinal pela força politica dominante na região , que sempre o disse defender, pelo menos enquanto o pôde dominar

17 comentários:

Anónimo disse...

TEMOS MAIS OLHOS QUE BARRIGA, É O QUE É.

Anónimo disse...

O Ponto Verde não tem cura, de tanto querer atacar o PC cai no ridiculo! Senhor Ponto Verde, como grande lider devia saber que o Freeport de Alcochete foi licenciado por uma Câmara PS, com um despacho do amigo Sócrates a levatar uma servidão que permitiu a aprovação.
De certeza que o "grande lider" tem conhecimento desta caldeirada socialista, mas com a sua conhecida "isenção" aproveitou para atacar o PC.
O meu Deus perdoa-lhe que ele não sabe o que quer dizer...

Solariso disse...

Estive nessa aberração de sitio ainda quando o Freeport se encontrava em construção e já na altura uma lista interminável de interrogações me surgiu.

Esta é a primeira resposta a uma dessas interrogações.

Portugal sempre em grande, na construção civil principalmente. Como o betão não boia o barco há-de encalhar.

Solariso disse...

Desculpem mas tenho que voltar por um momento.

O comentário do Sr. Anónimo antes dos meus comentários fez-me rir...

"O meu Deus perdoa-lhe que ele não sabe o que quer dizer..." não me parece coisa do PC...Deus!!!

Solariso disse...

Voltando mais uma vez, queria aproveitar ao sr. Anónimo para fazer o favor de indicar em que linha deste Post o autor deste Blog mencionou o PC.

Talvez o meu computador tenha algum filtro que não deixe passar essas duas letras juntas...não vi.

Anónimo disse...

O Grande Lider Ponto Verde disse:
"Podemos pois atribuir a este fenómeno (o "centro-comercialismo") (...) - a destruição do movimento associativo, fomentada afinal pela força politica dominante na região."
Meu caro pequeno lider solariso, não é preciso as duas letras estarem juntas, para estarem lá, pois a menção à força politica dominante é elucidativa, pelo menos para um bom entendedor...

Bernardino Cunhal disse...

O fenómeno de "Centro comercialismo" que o Ponto-Verde alega como elemento desconstrutor da vida tradicional é estensivo sim senhor aos concelhos CDU da Margem Sul! O que são então o Forum Almada (destruiu o comercio tradicional de Almada e salas de cinema como a SFUAF, o CIRL, O CRP, A Incivel, a Academia...que lá vai vivendo ainda...) E o Forum Montijo? E o Seixal com o Continente e o facto destes concelhos se terem tornado meros dormitórios? Não é Culpa do PSP ? Ah pois, É culpa da CDU!!!

Palhaços!

Quando competiam pelo poder nas sociedades recreativas e menos pelo controlo da Construção Civil não se enxofravam tanto. Boa Ponto-Verde!

Anónimo disse...

O Bernardino a SFUAF, o CIRL, O CRP, A Incivel acabaram com cinema quando ainda não se falava no Forum Almada... Vê lá se aprendes a não dizer asneiras. A continuares assim fazes uma boa dupla com o Ponto Verde, isot se não forem a mesma pessoa!

Bernardino Cunhal disse...

O Ponto tocou nalguma ferida por aqui que vou tentar descobrir, mas é curioso...

Eu Almadense me confesso, Bernardino de minha graça e Cunhal que herdei de meu pai senhor anónimo.Nome que mui prezo salvo as graçolas de que sou alvo senhor, mas ao menos tenho nome e incógnito ou filho de tal o não sou.Pois as mentiras que atrás contais e tais virtudes que atribueis au Forum, não são de gente de cá certamente, que esses não defendem aberrações tais com tantas ganas e interesse.

Oportunista sois certamente e Comunista por filiação, mas a ninguém já enganais senhor, na defesa que de vosso poiso fazeis. Sois patético, e hpocrita pois outras coisas defendeis no magister de vossos ideais, ver-vos agora defender Paulo Branco, Belmiros e Auchans é de tal forma irreal que me apetece rir num esgar se morrer fosse maior a minha vontade do que tornasteis estes concelhos do Sul do Tejo. Passai bem senhores, vossa nau naufragará de tanta cobiça e muito caruncho de que tresanda.

Anónimo disse...

Quanta gente ficou no desemprego com o fecho das salas das sociedades. e que funções socisis e de comunidade ficaram para trás. Na Amora os musicos levaram os instrumentos.

NP disse...

Bom... considerações comunistas ou anti-comunistas à parte de quem tem tempo para deitar fora....a verdade é que o Freeport é uma superficie enorme e que em certos aspectos é um elefante branco.

As muitas lojas fechadas e as salas de cinema em tão grande número são caso disso.

Num país onde nos últimos 4 anos há cada vez menos pessoas a irem ao cinema (só desde Janeiro a afluência baixou 20%) e em que a compra de DVD's aumentou cerca de 450% em 3 anos não era preciso fazer nenhum estudo para concluir que aquelas salas não iam funcionar. São longe de tudo, a população residente não é suficiente para as tornar viáveis e os visitantes querem é compras... cinema vêm em casa no DVD.

São políticas erradas e situações que sendo mal pensadas e planeadas dão nisto. Desconfio mesmo, que a história das salas de cinemaé só o 1ºcaso daquele espaço comercial, outros se seguirão.

Agora o que foi preciso alterar, destruir e modificar para que existisse um Freeport ? Foram árvores ? Foram campos ? Foram hábitos locais ? Tem valido a pena ? Viveriamos bem sem ele ? Eu creio que superficies comerciais já temos de sobra... mas quem decide acha que não. É pena pois vários Freeport se seguirão.

Anónimo disse...

e quando fechar o país o que dirão vossas excelencias ?

nuno disse...

Safa, estes anónimos ou são de compreensão lenta ou gostam mesmo de fazer os outros parvos.
O que interessa neste post e pelo que tenho visto nos outros posts é a denuncia de situações em que o poder económico e os interesses particulares se sobrepõem ao interesse comum. O que é que interessa se a autarquia é do partido x ou do y. No dia em que este site só denunciar situações tendo em primeira vista, atacar o partido x ou y, deixarei de cá vir.

Isto faz-me lembrar a recente polémica do SE da educação. O que é que interessa que ele tenha sido
afatado da camara municipal por faltas??? O que interessa neste caso é que os professores faltam em demasia. Bem mas isto já está a fugir ao tópico.

Voltando ao tópico sobre o freeport, a minha opinião não é de estar contra a sua construção, mas sim o local onde está construído e quanto à sua dimensão. A lengalenga da destruição do comércio local e dos cinemas das colectividades não me convence. Eu sou almadense e não ia à Academia ver filmes. Ia sim, ao Columbo por diversas razões, por exemplo, pelo conforto das salas, pela gama alargada de escolha, pelos horários dos filmes, etc, etc...

Nuno

Anónimo disse...

Bernardino, se és almadense de gema não sei, o que sei é que afirmaste algo que não era verdade, e que no teu comentário seguinte não desmentiste.
Se souberes ler verás que eu não defendi o Forum, nem as pessoas que referes no teu comentário. Isto é evidente, se souberes ler, pois parece-me que queres ler o que não está escrito e não sabes ler ou perceber aquilo que está escrito.
Quanto ao facto de não me identificar, deve ser por medo das represálias, pois isto de defender o PC neste site é preciso coragem!

cinéfilo disse...

Sabiam que no projecto inicial, os investidores queriam construir 40 salas de cinema no "freeport"?

A Cãmara não aprovou, reduzindo...

Solariso disse...

Se este sitio fosse conhecido pela contrainformação haveria de aparecer também o "Cassete Anónimo".

Incrivel como se pode ser cego. Aliás quando todos vêm o mal e so um continua a bater no ceginho talvez fosse bom considerar a possibilidade de ser ele que está errado.

Anónimo disse...

A ignorância é perigosa, mas não desculpa o conhecimento real da situação. Quando se diz que "... devia saber que o Freeport de Alcochete foi licenciado por uma Câmara PS,...", é verdade visto que as eleições democráticas, assim determinaram, porém,a memória é de facto bastante curta (quando convém), o inicío do processo é anterior culminando o seu desenlace em 2002. Já agora, aquando do lançamento da 1º pedra, cerimónia efectuada no Rossio em que estiveram cerca de 1000 convidados, entre os quais membros do executivo PC foi referido pelo presidente eleito democraticamente, do PS, que este projecto teve inicio no anterior executivo...
Um conselho, que se compõem de duas singelas mas poderosas verdades. Convém respeitar a ordem das frases:
Quem não sabe, pergunta.
Quem não sabe, não fala.

Assinado: Tira Dentes