sexta-feira, novembro 25, 2005

BOLETIM MUNICIPAL DO SEIXAL PROMOVE IMOBILIÀRIO E PROJECTOS PRIVADOS










Do Boletim Municipal do Seixal sobre o Salão Imobiliàrio de Lisboa :

"AUrbindustria, A Silva e Silva Imobiliària e o consórcio da Quinta da Trindade foram os representantes do Seixal neste Salão Imobiliàrio"

Repete outra vez..

"A Urbindustria, A.Silva e Silva Imobiliària e o consórcio da quinta da Trindade foram os representantes do Seixal neste Salão Imobiliàrio"

Ah! Espera... repete devagar, como se eu fosse muitooo burro!!!:

"A Urbindustria , A.Silva e Silva Imobiliària e o consórcio da Quinta da Trindade foram os representantes do Seixal neste Salão Imobiliàrio"

Ora isto ainda é melhor que o anúncio do telefone com banda larga e internet incluida...

Realmente, ver um "artigo" de página inteira do Boletim Municipal do Seixal, a fazer promoção de "Projectos privados do Concelho no Salão Imobiliário de Lisboa 2005" é no minimo surreal, uma vez que considera-se que uma autarquia deveria estar equidistante ou pelo menos mais imparcial sobre projectos privados, que tem, supostamente, que supervisionar e fiscalizar, até como garante do que é de todos (o Património Construido e Natural - mesmo sendo propriedade privada) e não vir agora promover - num meio oficial, pago pelos munícipes, gratuitamente e tecendo as suas maravilhas - projectos que põem em causa o ambiente e a qualidade de vida da população da Margem Sul, pois que pela sua dimensão vão ter um enorme impacto em termos populacionais em toda a Margem Esquerda do Tejo.

Sobre o projecto da "Quinta da Trindade" com direito a destaque em "caixa vermelha" , "A Quinta da Trindade é o primeiro projecto conjunto do grupo português Libertas e do grupo espanhol Nozar, representando um investimento total de cerca de 200 milhões de euros.Rodeado de grandes zonas verdes (? - Quinta do Àlamo?), o empreendimento compreende 1516 fogos...e 92 unidades comerciais repartidas por 11 quarteirões, com edificios que não ultrapassam em média os seis pisos..." - Relembro os desmentidos e os epítetos de mentirosos que aqui grangeàmos quando pela primeira vez apresentámos aqui no a-sul este projecto ("Top secret", à altura!!!)

Esclarecedoras as seguntes linhas citando declarações do Presidente do C.A. da Libertas que sublinha acreditar "...muito neste empreendimento. Tem existido grande entendimento entre as entidades envolvidas - SL. Benfica, Câmara do Seixal e Empresa - o que tem permitido que o processo avance calmamente, com segurança, para que seja possível atingir o nosso objectivo..." .

Continuando, agora sobre o projecto para cima da Baía (Mais uma "Quinta") a Quinta do Outeiro, do Grupo A.Silva e Silva - que relembro é o construtor, proprietário e senhorio, do edificio onde com pompa e circunstância se instalou as "oficinas" da Câmara - "O Grupo A.Silva e Silva tem realizado diversos investimentos um pouco por todo o país, que o colocam como uma das maiores empresas do Seixal. E é no Seixal que vão lançar brevemente o Seixal Baía, um empreendimento de edificios de habitação e comércio na Quinta do Outeiro".

Mas esta pérola de "jornalismo" promocional encapotado ( ainda mais pornográfico que a publicidade subliminar nos "morangos com açucar") não se fica por aqui, e continua com a àrea da Siderurgia "...o PIS e o estudo de ordenamento da àrea da siderurgia...O estudo de ordenamento tem as duas primeiras fases concluidas e até ao fim do ano será apresentada proposta preliminar, que tem merecido por parte da Câmara Municipal todo o apoio, pelo que contamos com a aprovação e inclusão no PDM..."

Para quem já achou que viu de tudo na vida, este designio capitalista de promotor imobiliàrio da CMS (quando devia ser garante do património , do bem publico e do ambiente) vindo de uma câmara Comunista com cariz ecologista surpreende ou não? Ou é preciso repetir a transcrição inicial ... é que não somos Burros senhores autarcas!!! O Senhor vereador Silva também ficou bem na fotografia ao lado dos outros "Silvas" e restantes promotores.

Este artigo incluido no número do Boletim Municipal do Seixal dedicado à "Tomada de posse dos orgãos das autarquias locais para 2005-2009" parece premonitório do que aí vem... Outra conclusão é que no Boletim Municipal do Seixal o cidadão comum não tem voz, mas o mesmo não se passa com os Administradores das Grandes empresas que têm negócios com a autarquia.
__________________________________________________

Sexta Feira 26 Novembro 14.00

Reitero o que ontem aqui se escreveu, que este modelo de "desenvolvimento adoptado" - com o gigantismo das superficies comerciais que se multiplicaram anárquicamente- traçou a sentença de morte do comércio tradicional e das salas de cinema das sociedades recreativas (muitas delas sustentáculo das outras actividades associativas) e da própria maneira como era organizada a vida social em Almada, Seixal, Moita,Montijo, Alcochete.

Este modelo não tem paralelo nem na Europa nem nos Estados Unidos! (por alguma razão os nossos centros comerciais são sempre "os maiores..." , e é verdade!).

Com o conluio das autarquias e forças politicas maioritárias suas apoiantes, foi deixado campo livre à massificação urbana e cultural ,multiplicaram-se recentemente as salas de pipoco- multiplex com cinematografias de origem unica , tendo-lhes sido possibilitado mesmo a cartelização ao instituirem uma politica de preço unico muito mais elevado que o praticado pelas salas das colectividades e que permitiam a que um maior numero de pessoas tivesse acesso aquele bem cultural e inclusivamente a um outro leque de produção e distribuidores.

O movimento associativo foi abandonado à sua sorte pois deixou de interessar como arma de arremesso politico ou manipulação desde que as autarquias descobriram as parcerias económicas como as apresentadas no post de hoje, muito mais rentáveis para si e partidos seus apoiantes.

5 comentários:

Bernardino Cunhal disse...

Óh verde, lá tocastes novamente no ponto, não tarda estão aí a chama-te anti Comunista, mesmo que sejam os Comunistas a estarem aliados ao Grande Capital como o Boletim parece quepublicou. Onde é que posso ter um exemplar desse número? Gostava de ter um para guardar e mostrar a alguns camaradas meus amigos.

LB disse...

Caro Ponto Verde, relativamente à questão terrenos norte da SN, a coisa até nem tem sido muito escondida... é ir ver o site da JF de Paio Pires e que bem que "nós" ficamos na fotografia :)
http://www.jf-paiopires.pt/dossiers/sn/index.htm

Se forem ver o mapinha que lá está, não deixarão decerto V.Exas de notar que ao lado da "Área Industria Pesada" surge logo a área para "Habitação, Comércio e Serviços". Ora se isto não é uma tremenda estupidez eu já não sei o que é, em matéria de planeamento e ordenamento do território...
Industria pesada contígua a habitação??? só neste país!
Mas eles prevêem que os brasileiros de CSN ainda se possam instalar no parque industrial... relembro que o projecto da CSN passa pela instalação de uma fábrica de "laminagem" de grandes dimensões, capaz de fornecer chapa para grande parte das fábricas de automóveis europeias... Ao lado de habitação????
e até lá está no mesmo site, as propostas de estradas a construir na área. Facilmente se pode ver que uma destas novas estradas vai mesmo passar em cima da Quinta do Álamo e é mais uma que "vai à vida"!

Só mais esta notícia que normalmente não chega aos jornais mas que encontrei numa pesquisa na net:
http://www.portugalweb.net/seixal/NOTICIAS/05/160705.asp

Enfim, ao que parece isto vem sendo normal e não há como ir aguardando para verificar que o que por aqui vai sendo denunciado acaba por se tornar realidade.

Ponto Verde disse...

Obrigado pelas dicas e pelo comentários,recebidos no decorrer das ultimas semanas e que não tive ocaioão de comentar.

Em particular agradeço a np e lb pelas dicas, exemplos e até imagens. O moral desta história é que as coisas sobretudo pelo Seixal vão mal, muito mal mesmo, mas ainda vão piorar.

O que se augura para os terrenos da Siderurgia é mesmo muito mau, para não falar na destruição da Quinta do Àlamo que se recomenda conhecer enquanto é tempo e não é escentrada por mais uma estrada que trará certamente mais betão...

É bom que se vão denunciando estas coisas, pois pelos contactos que crescem dia a dia , e as visitas quer das páginas actuais , quer dos artigos em arquivo, há um crescendo de massa critica com desejos de participação civica que anseia por uma avaliação e punição de responsabilidades civeis e criminais que se têm cometido à sombra de um poder local dito democrático e progressista.

Há hoje mecanismos de monitorização e cartografia ao alcance de todos que são um excelente instrumento critico, recomendo também a leitura dos sites e blogues em margem que conduzem para outras leituras e perspectivas sempre no sentido de que um cidadão mais informado e meis exigente conduzirá a sociedade em direcção a um futuro melhor.

Temos tentado pela nossa parte ser imparciais, objectivos e fundamentados no que temos denunciado e repostando contra os que pretendem o nosso descrédito, com a comprovaçãp desses mesmos factos ou a sua revelação mesmo que meses depois.

OBRIGADO A TODOS! VAMOS CONTINUAR.

Maria disse...

Não esquecer, em Pinhal de Frades:

- o "gueto" na Flôr-da-Mata, ou melhor a destruição de uma mata protegida, para habitação dita social.

- uma bomba de gasolina entre 2 escolas e consequente destruição de um pinhal.

É a autarquia que temos, é a "democracia" comunista que temos, é a filosofia ambiental que temos, é a "consulta" ao povo que temos, é enfim o pesadelo político/capitalista que emerge debaixo do discurso de defesa das populações.

Que mais nos irá acontecer!

Que Deus lhes perdoe porque não sabem o que estão a fazer. Os Euros abafam-lhes os neurónios, tiram-do-lhes discernimento mental!

Não nos asfixiem em betão, deixem-nos respirar ar puro!

Bernardino Cunhal disse...

Diziam eles antes das eleições que não deviam votar PS porque o PS queria betonizar a Ponta dos Corvos com meia duzia de bungalows para turismo. O que temos agora? Betão Comunista/Capitalista em tudo o que ´q espaço livre. Sinceramente!