terça-feira, novembro 08, 2005

MARGEM SUL NA FEIRA!















Quinta da Trindade


Na Feira do Imobiliàrio que decorreu no passado fim de semana dna FIL, para além do Brasil e do Algarve, a Margem Sul era uma das zonas geográficas "melhor" representadas, demonstrando que as Câmaras a Sul do Tejo são uma mina para os investidores, especuladores e promotores imobiliàrios. Temos assim uma triologia formada pela Quinta da Trindade (imagem acima e post de ontem), pela Baía do Seixal e pela Arriba Fóssil da Costa, tudo zonas delicadas do ponto de vista biofisico e que mereciam uma protecção ecologica séria!













Aldeia dos Capuchos

Sobre a construção em massa em plena arriba fóssil da Costa da Caparica denominado Aldeia dos Capuchos - Village temos a maqueta acima que é esclarecedora da dimensão e impacto na zona de tal empreendimento.














Quinta do Outeiro (Margens da Baía do Seixal)

Outro mega projecto para o Seixal (Quinta do Outeiro) , desta feita levado a cabo pelo Grupo A.Silva e Silva para junto da Baía do Seixal dá pelo nome de Seixal Baía, como o proprio nome indica a implantar em plena Baía do Seixal por detrás e em parte no lugar das instalações da ASS junto à Quinta da Fidalga e que explica o investimento pré eleitoral no "passeio ribeirinho".













Quinta dos Franceses

Projecto já apresentado em Boletim Municipal para a zona à entrada do seixal, Forum do Seixal/Mundet , uma verdadeira cortina de Betão

Lembra-se ainda que o Seixal está em todas e ao mesmo tempo, há em andamento a construção de duas grandes superficies e a transformação de outra num mega-centrocomercial, há a reconversão dos terrenos da Siderurgia, o Parque Industrial do Seixal e outro para a Quinta dos Franceses, mais um para as margens da Baía, certamente a aguardar a instalação da Universidade Aberta junto à qual se construirá... isto só para falar em alguns...

E Os VERDES ? Nada têm a dizer sobre isto? É que na foto abaixo temos o lema da CDU para Lisboa... Quem nos dera!!! Quanto aos VERDES... O Betão é VERDE?


13 comentários:

Uther II disse...

Quanto ao Seixal, os Verdes, ou o Verde??? Quantos Verdes participavam na lista PCP-PEV no Seixal?
Em Almada também não sei, mas acredito que não deve de estar muito longe disso.
já agora pergunto a quem queira reflectir: Se existe tanto interesse a nível imobiliário e especulativo na Margem Sul, também o negócio é uma mina para a gestão autárquica. Como pode a CM Seixal ser uma das Câmaras mais endividadas do País?

Anónimo disse...

Verdes, lista para a Câmara = ZERO

NP disse...

Às tantas uma pessoa já não sabe o que dizer. Tudo bem que os PDM's podem definir a área x como área de expansão urbana, ou coisa que o valha, mas será preciso tanto ?

Centro-me essencialmente no projecto da Quinta dos Franceses. Aquela zona tem espaço para respirar, uma zona verde pequena, mas suficiente para passar alguns bons momentos com a família, tem o Fórum, que mesmo precisando de obras de manutenção exteriores, cumpre o seu papel..... e querem fazer aquilo que se vê no projecto ?
Está tudo parvo ! É a única conclusão que se pode daqui tirar. O seixal está a entrar num processo de "Amadorização", lá já se viu no que deu, aqui a coisa caminha para termos várias Buracas e Damaias.

Será que quem manda nestas coisas só vê prédios e construção ?
Caramba !

Quanto aos verdes já nem se liga. É o Partido Comunista e ponto final, os verdes são só para esconder a foice. Aqui, e no resto do país, não há verdes nenhuns.

LB disse...

Cada dia que passa mais um tiro no melro (se ainda houver algum no concelho)...
Começa a ser doentia esta questão da construção na margem sul... começo a questionar-me se não valerá a pena tentar ajudar os executivos camarários a fazerem frente à especulação imobiliária, porque pelos vistos, os coitados estão de tal modo pressionados que tudo permitem (devem estar de pés e mãos atadas!).
Como sugeri ontem, não seria descabido de todo promover um evento em que as pessoas saíssem para a rua para tirar fotografias aos cada vez mais escassos espaços verdes ainda existentes no concelho para que fiquemos com um arquivo fotográfico para as próximas gerações... sim porque pelo andar da carruagem, verde só o vão ver nos parques urbanos, construídos a preços astronómicos para colmatar o que vão destruindo!

Ou então, e agora sugerindo algo muito arrojado, delimitemos uma área onde tudo é para urbanizar, e quando eu digo tudo, é tudo mesmo! não há meias medidas, acabam-se as quintas no Seixal e em Almada e é tudo uma grande cidade como Lisboa, uma grande cidade de Lisboa... betoniza-se tudo, faz-se uns quantos jardinzecos e parques urbanos e, estanca-se o problema aqui... diz-se aos senhores construtores, aqui podem fazer o que quiserem, mas nos concelhos limitrofes daqui para a frente já não há construção para ninguém... acabam-se os Palmela Village, as casas de Azeitão e afins... se é para destruir é destruir o que já está nas últimas (era uma ideia revolucionária não era, ao menos era tudo feito às claras e podia ser que ainda se salvasse alguma coisa noutros concelhos)...

Ah não desculpem! estou em Portugal :), claro que isto durava o tempo de esgotar a área de construção no Seixal e em Almada e depois, em nome do desenvolvimento havia que avançar para os concelhos limitrofes :)

Anónimo disse...

é como o algodao . verde mais verde não há.

Luciana disse...

DNA: https://www5.nationalgeographic.com/genographic/

Mariana Belo disse...

Não estou surpreendida pois por razões profissionais estou ao corrente destes projectos, que claro acho individualmente serem aberrações, no seu conjunto, um verdadeiro desastre.

É triste . O que vai restar aos vindouros? Realidades como a que se vive hoje em Paris!

Anónimo disse...

existe no PDM uma zona denominada área de expansão suburbana?

Anónimo disse...

Quintas e Aldeias, é isso que o meu povo gosta, mas o que tem são urbanizações com esse nome, mais uma mentira, todo este país é uma mentira!
Àrea de expansão suburbana? Essa é muito bem apanhada!

Anónimo disse...

ruben de carvalho vereador do PCP na CMlX disse hoje na SIC notícias que o fenomeno de violencia em frança tem a ver com a soluçao urbanistica e de realojamento em que se encontram milhares de pessoas e que para alem da atribuiçao de uma casa é necessário que os equipamentos sociais infraestruturas de transportes e outros sejam realizados para o sucesso do realojamento . lembrei-me logo do PER no seixal e daquele espaço aprazivel e urbanisticamente recomendavel em Paio Pires no bairro de realojamento da cucena . Força Ruben . competencia , trabalho e , já agora, honestidade intelectual .

Anónimo disse...

e já agora a quinta da princesa como paradigma da integraçao social. pena que o carrefur nao se instale naquela zona . permitiria uma melhor integraçao no contacto entre autoctones e forasteiros , quem sabe á sombra de uns sobreiros , onde já ninguem sabia a idade.

ai ai. princesa vila morena terra da "tenra idade" jurei ter por companheira dentro de ti ó peri-cidade.

Anónimo disse...

Poi é Ruben, Integração em Zona aprazivel, acesso a transportes,barcos e interface TST, perto de instalações desportivas e do que resta de uma zona verde e até dá para ir a pé ao centro histórico. Já sei, 7 dos 70 prédios da Quinta da Trindade vão ser para habitação social?

Também mais meia duzia dos da urbanização da Quinta dos Franceses e da nova Urbanização do ASilva & Silva, ali serão tratados e enquadrados, têm equipamentos culturais, o passeio ribeirinho , acesso a transportes e a equipamentos desportivos e à Universidade aberta.

E Também dois ou trâs dos prédios da Torre da Marinha são destinados aos mais desfavorecidos, têm o Continente, transportes, uma zona urbana consolidada, o mercado...

Isto é integração, mas pergunte ao seu camarada Alfredo se não se prepara para avançar de novo com o PER da Flor da Mata? -Ah não é PER , é CDH... pergunte aos Franceses se essa terminologia importa!- Isso é que é a vossa integração tipo GULAG!

Anónimo disse...

O que é giro é que o PS e o PSD em vez de se preocuparem em rever as leis das finanças locais de forma a desanexar as receitas das mesmas da construção (algo que o Miguel Sousa Tavares já anda a referir aos anos) prefiram preocupar-se com o facto dos executivos camarários serem compostos por elementos dos diversos partidos... isso é que é giro..