sexta-feira, outubro 28, 2005

MOITA AVANÇA PARA O RIO













Urbanizar em zonas junto ao rio, em terreno agricola que deveria ser preservado não é na Margem sul exclusivo deste ou daquele concelho, mas pior que isso, uma politica que parece concertada entre todos.

Veja-se na imagem o que está a acontecer na Fonte da Prata a Oeste da Moita, mais betão sem mais nada... mais palavras para quê? A imagem é elucidativa , clique (na imagem) para ver todo o explendor desta mega urbanização em que é já visivel para onde vai crescer!!!

7 comentários:

Maria disse...

... sem mais nada? Atão num tá lá uma rotunda verde (lado dir)? Tá tão gira... foram os "verdes" da CDU que se manifestaram e conseguiram! eheheheheheheh

Que Deus nos acuda!

João Afonso disse...

Que Deus nos acuda das Marias deste mundo, que não sabem dizer mais nada a não ser "Que Deus nos acuda!"

Solariso disse...

é por isso que não passamos de ser um país de empreiteiros labregos

Maria disse...

Este joão afonso é o que dizem que é o Dr.Paulo Silva da Amora, né?

Oiça lá, não se esqueça que a grande maioria das mulheres portuguesas são Marias. É um nome lindo! O que tem contra as mulheres? Tou a ver, tou, este "PCP", se pudesse, também exilava as mulheres, que ousam falar, para a Sibéria.

Que Deus nos acuda destes "democratas" de meia tijela.

AV disse...

E se foram dando mais uma atençãozita, irão ver o que irá passar em outras zonas do concelho da Moita que deixarão de ser REN para passar directamente a zonas urbanizáveis.

Anónimo disse...

isto aqui do Deus tem alguma coisa a ver com o SINO?

João Afonso disse...

O D. Maria não confunda "o cu com as calças"!
Só lhe chamei a atenção para não ser tão repetitiva, será que não sabe dizer mais nada a não ser "Que Deus nos acuda"...
Quanto à Sibéria não tenho dúvidas que se pudessem era o ponto verde e comparsas que me enviavam para lá, para ver se eu não participava neste forum, tantos tem sido os apelos ao meu afastamento...
PS: gosto que me continuem a confundir com alguém que não sou, o meu pai, se fosse vivo, ia gostar de ter um filho licenciado.