terça-feira, outubro 25, 2005

FONTE DA TELHA OU FONTE DA VERGONHA?













Fonte da Telha. A inércia de Almada ou Portugal no seu melhor?

É inacreditável, depois da demagogia que nos tem sido servida diáriamente, depois das célebres demolições ordenadas por Carlos Pimenta (Ministro do Ambiente 1985/87), que tudo esteja ainda assim, ou que pior, tenham sido feitas mais construções. Basta hoje um curto passeio pela Fonte da Telha para ver que se continua a construir!













O caricato é que estamos às portas de uma capital Europeia, numa zona com caracteristicas naturais unicas (por alguma razão é "Paisagem Protegida" ) e com possibilidades enormes em termos de turismo sustentável. Optou-se por manter o "favelamento" herdado do PREC e que se repete depois à entrada da Costa da Caparica, com os inenarráveis parques campismo e toda a construção clandestina envolvente.

Quem deixou de ali ir, e tendo acompanhado o caso há vinte anos atrás, com todo o folclore mediàtico associado pensará que as coisas melhoraram, como no Portinho da Arrábida onde havia um problema semelhante, quando afinal está tudo na mesma, não se requalificou, não se limpou convenientemente os escombros das demolições, não se construiu um bairro pera os pescadores tradicionais e permanentes que criassem um polo de atracção para aquela praia imensa e com um enquadramento paisagistico unico.

















Mas ter o desplante de manter ali (primeira imagem) paineis informativos de que aquela zona é uma zona de paisagem protegida, sublinha a vergonha que deviamos ter enquanto povo
, ao assim desbaratar um potencial que herdámos da história geológica e das anteriores gerações para a transformarmos no pior que se teria feito em África e na América Latina! E ser esta a herança que vamos passar aos vindouros ...

6 comentários:

Filipe de Arede Nunes disse...

Concordo em absoluto. Tem faltado coragem politica dos sucessivos governos e da CMA. Perde quem lá vai, perde quem lá poderia viver em condições dignas, perde o país, só ganhou quem ainda vendeu os terrenos a quem de boa fé pensava ser legal a construção. Haja vergonha!

fernando miguel disse...

Só um pequeno apontamento:
Em correspondência, de 20 de Setembro de 2005, a entidade subscrevente,identificava-se de PRESIDENTE DA COMISSÃO INSTALADORA DA PPAFCC.
Decorridos todos estes anos, após a publicação da legislação sobre a Arriba, legislação essa nunca regulamentada - deixando,por isso, espaço aberto a toda a sorte de atentados - à "frente" da PAISAGEM PROTEGIDA pontua um COMISSÃO INSTALADORA. De quê?..............................

Uma última nota. O assunto das ciclovias em Almada não caiu no esquecimento.
Quando começarem as sessões camarárias lá estarei a pedir explicações.

Fernando Miguel

Solariso disse...

Sem dúvida, demasiada telha

Anónimo disse...

Você pode reclamar à vontade dos desmandos perpretados por portugueses em seu próprio país, mas não deve de forma nenhuma fazer referências a outros continentes como se Portugal fosse muito melhor que eles.
Isso é ridículo...

hugo s disse...

Quem la
vive a mais de 30 anos! E comprou honestamente o seu espaco! E constroiu mesmo que clandestino tem com toda a certeza as mesmas necessidades e direitos que mais de 80% das pessoas que nessa epoca viviao em casas sem licenca de habitacao e que numa grande parte as constroiu...

Nuno Belo disse...

E passou-se 10 anos que isto foi escrito e continua tudo na mesma ou pior. Uma geração que podia ter desfrutado da F. da Telha que já não volta. Vergonha!