sexta-feira, outubro 21, 2005

MEGA-COMÉRCIO DESTRÒI CENTROS HISTÓRICOS













Em Almada avança a passos largos a construção de mais duas grandes superficies comerciais junto ao Almada Forum, um da Multinacional Leroy & Merlin na àrea da construção e bricolage e outro da àrea do vestuàrio.

A autarquia Almadense com a construção de mais duas mega superficies comerciais avança em duas vertentes que começam a ser a imagem de marca na Margem Sul, por um lado a betonização (veja-se pela imagem no que se está a transformar aquela zona junto ao Forum, já de si uma construção gigantesca)) e por outro lado a destruição do tecido humano ligado ao pequeno comércio , aquele que torna a malha urbana , vivência colectiva.

Almada cidade é hoje em dia uma cidade comercialmente esgotada e ocupada por "lojas Chinesas" e comercio de baixa qualidade que se tem degradado e não regenerado uma vez que o "Forum" tudo absorve. Almada tornou-se vazia decadente e até perigosa a algumas horas.

Tudo em prol de uma centralização nestes novos modelos comerciais desiquilibrantes e fazedores de novas centralidades desumanizadas, o mesmo modelo se tem repetido no Seixal, no Montijo, na Moita, Setubal, Alcochete... onde se cultivou a densificação urbana há um "FORUM" e por cada "FORUM" fora de portas temos um centro histórico morto e ao abandono.

É de estranhar é que o Grande capital que suporta estes tipo de comércio esteja tão bem relacionado com autarquias de filosofia comunista, sabendo-se como se sabe da precaridade do emprego que este tipo de estruturas gera e da estrutura altamente capitalista subjacente ao lado do investimento bem como aos grupos económicos que estão por detrás ou ao tipo de produções que os multiplexs de cinemas projectam...

Conseguiram acabar com o pequeno comércio , com a vivência de bairro e com o lado humano de cidades como Almada, essa é a realidade.

3 comentários:

Solariso disse...

Exactamente como em Matosinhos. O presidente da Câmara por um lado diz defender o comercio tradicional, por outro o IKEA vai para Matosinhos fazer companhia ao Continente e Norte Shopping

Anónimo disse...

Classe trabalhadora rica!!! de dividas claro e pobre de espirito, bamos lá ao shópping carago!!!

Geosapiens disse...

...isto não tem a ver com autarcas de uma cor ou outra...mas com interesses...os pequenos comerciantes perdem batalhas sucessivas pois não se unem...em Cascais a maioria votou no Capucho...e este lá vai construir mais umas duas ou três grandes superficies...é um desatino...mas pelo menos tem o remédio que escolheram...um abraço...