terça-feira, janeiro 06, 2009

A CRISE DO DESPERDICIO




Todos nós estamos ao corrente daquilo que despoletou a chamada "Crise" em que acabámos por mergulhar, com totas as conseqência presentes e futuras.

No entanto é redutor , embora desculpabilizante , que se atribuam essas causas só a factores externos e macroeconómicos produzidos bem longe das nossas casas , da nossa comarca , ou do nosso país , localizando a causa do problema na crise do sub-prime americano.

A negra realidade é que todos nós, contribuímos , uns mais , outros menos para isso.

"Todos nós" que temos consumido recursos financeiros e materiais para além das necessidades , todos os que têm alimentado o mercado imobiliário com fins especulativos , a indústria automóvel por razões unicamente de vaidade pessoal, ou todos os que têm mantido no poder governos, locais e nacionais que insistem em investimento propagandistico e de fachada, mas não produtivos e muito menos sustentável... Todos temos culpa !

Se algum mérito esta crise pode ter é o de nos obrigar a pensar de forma mais sustentável , mais simples , com menos desperdicio e obrigatóriamente com menos luxo (o que não quer dizer , com menor qualidade de vida) .

Ao nível do poder , e 2009 é um bom ano para isso (eleitoralmente falando) , há que penalizar quem ao longo de décadas tem hipotecado o nosso futuro, o nosso ambiente autorizando construção a esmo, permitindo ireversívelmente a destruição de redutos e recursos naturais , alguns que até afirmam e juraram defender , ou comprometem as futuras gerações com a pesada herança, não só de uma passivo ambiental que não provocaram, mas também de um endividamento para o qual não foram questionadas e que terão obrigatóriamente que pagar.

Por exemplo o Seixal, um municipio governado em maioria pela CDU desde as primeiras eleições para as autarquias locais. Cresceu exponencialmente em área construída e em população (de 30000 para 180000 em trinta anos) e cresceu também os valores passíveis de serem colectados pela autarquia em termos de impostos.

No entanto esse valor pago pelos contribuintes não se tem traduzido por melhorias na sua qualidade de vida local, antes pelo contrário . O dinheiro retirado aos contribuintes tem servido sim para engordar uma máquina de propaganda partidária (a coberto de informação municipal) e também para funcionar como uma central de emprego , o que os próprios chamam "jobs for the boys" ...

Como se isso não bastasse, a CDU está a hipotecar o futuro das próximas gerações em negócios com o "Grande Capital" como o caso da situação denunciada pelo Dr.Samuel Cruz no blogue Rumo a Bombordo , que passo a citar :

« (...) Novo edifício camarário que irá surgir.

Pois bem, a propriedade deste é da empresa A. Silva & Silva, a quem a Câmara Municipal ficará a pagar uma renda mensal inicial de 154.000€ (sim leu bem são mais de trinta mil contos/mês em moeda antiga a juntar a outro arrendamento das oficinas municipais celebrado com o mesmo senhorio e com uma renda na ordem dos 100.000€/mês, ou seja, só em duas rendas a Câmara paga cerca de 50 mil contos/mês ou 250.000 Euros mensais como se preferir mas o dinheiro é sempre muito)!


Este é um negócio de muitos milhões, no qual a Câmara do Seixal decidiu não abrir concurso público. Em estilo unilateral negociaram só com uma entidade, não ficando desse modo salvaguardado o direito de concorrência e por maioria de razão, não sendo salvaguardado o interesse municipal, saiba mais
aqui

O tempo não está mais para este desvario de opulência e ostentação no melhor estilo da herança de Niculae Ceusescu .

Há que penalizar nas urnas estes que assim hipotecam o nosso futuro !

Aprendamos com o que esta crise nos
trouxe !

_____________________________________________

ANO NOVO , NOVOS BLOGUES!

Nasceram neste início de 2009 , dois novos blogues no Seixal aos autores desejamos um excelente ano Blogoesférico.

São eles, e por ordem alfabética : o acordaseixal e o pensarseixal

18 comentários:

Joana disse...

50 mil contos ou 250000 euros mensalmente a partir deste ano é um exagero e um desperdicio, estou chocada a Câmara abandonou as oficinas do Fogueteiro e vai abandonar as instalações do Seixal (sua propriedade) para alugar ao A.Silva e Silva estas luxousas e dispendiosas instalações.
É mesmo pôr nas futuras gerações o ónus da sua ambição.
É como se eu alugasse uma luxuoso palacete que serrá pago pelos meus filhos e netos num contrato com um construtor civil qualquer.
Isto tem que ser conhecido e denunciado aos seixalenses.
Excelente trabalho e Bom Ano.

Jorge Gomes disse...

Enfim prometeram aos seus municipes que este novo edificio iria fazer com que os custos fossem menos elevados como os gastas em energia, água, alugares entre outros bens de consumo. Enfim é verdade que todo o serviço será integrado num único edificio mas...um contratempo...Se construiram o edificio é para poupar dinheiro mas acerca da renda que têm a pagar acho que ficamos na mesma...Enfim pode ser que as vendas dos outros espaços da CMS façam algum lucro e a CMS gaste em coisas como a nossa pobre baia do Seixal. Enfim cá veremos o que se vai ver a nascer...e futuramente no espaço onde vai nascer este deslunbrante betunado vai ser traçada a linha do MTS. Então temos Forum Cultural do Seixal, Tribunal do Seixal, Edificio da CMS, Metro e a Mundet que está previsto construir (algo que não vou acreditar que o Seixal tenha) uma universidade. Bem veremos!
Parabéns Ponto Verde e há que dar voz ao POVO! PROTESTE JÁ!!
Bom Ano!

Paulo Edson Cunha disse...

Boa noite,

A propósito deste tema, deixo-vos com este link: http://pauloedsonc.blogspot.com/2007/05/diz-que-uma-espcie-de-contrato-de.html,
publicado no meu blogue em 04 de maio de 2007!!..,relativo a um artigo de opinião escrito por mim e publicado em Dezembro de 2006 no "Notícias do Seixal"

Esta semana, voltarei ao tema, republicando a posição oficial do PSD aquando da discussão da aprovação deste contrato em sede de Assembleia Municipal.

Agora, como então ( e na altura não se previa sequer a hecatombe provocada por esta crise global), o PSD opôe-se tenazmente contra esta obra faraónica,

Cumprimentos,

Anónimo disse...

Não faz sentido a camara ficar a pagar uma fortuna de rendas por dois edifícios gigantes. Se não tivessem tantos assessores inúteis não era preciso tão grandes e tão caros edificios. Para os funcionários que trabalham chegaria um modesto edifício, ou então poderiam estar onde estão que estão muito bem. Os serviços estão espalhados por 40 edifícios porque há gente a mais sem fazer nada. è só contratados a recibo verde para estarem em gabinetes a trabalhar para o partido.

Anónimo disse...

Não compreendo esta critica do vereador Samuel, o Governo do PS fez exactamente a mesma coisa o pior com o arrendamento de um edificio na expo onde concentrou grande parte dos serviços juridicos existentes em Lisboa. Pior, é que enquanto no Seixal ao fim de 25 anos os edificios são propriedade municipal, no caso do Governo os mesmos nunca serão propriedade do Estado.

Anónimo disse...

E já agora quanto é que a Câmara poupa em rendas? É que não nos podemos esquecer que muitos dos locais do Seixal onde estão instalados serviços camarários estão arrendados. Ao concentrar tudo num unico espaço a Câmara rescinde esses contratos de arrendamento e vai poupar dinheiro. Por isso não se pode mentir, como uma vez mais faz o ponto verde, pois ao valor a pagar há que deduzir o valor que se poupa em rendas. Acresce que os edificios actualmente arrendados nunca seriam propriedade da CÂmara e o novo edificio vai ser propriedade da CÂmara. Assim em vez de se gastar, possivelmente está-se a poupar e a Câmara fez um excelente negócio que vai aumentar o património camarário.

Samuel Cruz disse...

Esclareço o último anónimo que o que escreve não corresponde à realidade, os edifícios de que se fala NÃO serão propriedade do munícipio ao fim de 25 anos, se alguém lhe disse isso mentiu-lhe.
Atentamente,

Pensar o Seixal no Século XXI disse...

Pedindo antecipadamente desculpa ao bloguer pela intromissão, gostariamos de informar que existe um novo blogue sobre o Seixal que poderá visitar em:

www.pensarseixal.wordpress.com

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Anónimo disse...

Em ano de autarquicas o financiamento tem de vir de algum lado!!!

Daniel Geraldes disse...

Vergonhoso!!!

cidadao disse...

Querem desculpar o indesculpável, o abandono das oficinas, refeitírio e balneários do Fogueteiro em perfeito estado para uma negociata PP Torre da Marinha que veremos quem vai lucrar..

A desculpa que se vai poupar em rendas é pura mentira, os edificios ocupsdos no Seixal, ou são propriedade da CMS ou têm rendas baixas. o que vai acontecer é que vai ser retirada vida do centro do Seixal e o Seixal vai defenitivamente morrer.

Anónimo disse...

As autarquias têm que se deixar dedicar ao essencial e deixar por uma vez a época dos pavilhões multi-usod, das rotundas e da fontes monumentais ou dos Paços do concelho megalómanos.
Ainda mais , como é este caso, se são feitos a crédito , pondo o prejuizo sobre os vindouros.
isto não é gerir o bem comum, é sim desbaratar o presente e o futuro com megalomanias de gente saloia e atrasada.
Vão fazer estas cenas lá para Curral de Moinas que é de onde estes politicos vieram.

Anónimo disse...

O senhor vereador Samuel Cruz está a faltar à verdade, pois, peo menos em relação aos serviços operacionais o novo contrato prevê a aquisição da propriedade do edificio pela CMA.

Anónimo disse...

Entre ¨prever a aquisição¨ e ¨é da câmara passados 25 anos¨, vai uma enorme distância . Não é caro anónimo doutor anterior ?

Anónimo disse...

A Câmara vai continuar a pagar muitas rendas mesmo depois de ir para o edifício novo porque a maior parte das rendas que a camara paga não são serviços camararios são devaneios do PCP.

Samuel Cruz disse...

Grato ao penúltimo anónimo pelo esclarecimento, há aqui gente que parece que não sabe ler.
E o pior é que desconfio que não é limitação, é mesmo má-fé.

Ponto Verde disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ponto Verde disse...

Agradeço a participação dada por todos , particularmente ao Vereador Sanuel Cruz e ao Dr.Paulo Cunha.

Passo a citar comentário deixado no blogue Revolta das Laranjas no post incluído na Crónica semanadl para o Comércio do Seixal e Sesimbra:

«Penso, como cidadão , que mais do que qualquer ressalva juridica , há que distinguir três vertentes , são elas: A vertente ética, a vertente moral e a vertente económico/prática.

Quanto à primeira, não me parece ético que se façam ajustes directos (mesmo depois da lei recém criada e da qual discordo) de valores, que não só são exorbitantes e injustificáveis - para além da pura vaidade - como comprometem as futuras gerações com encargos brutais ou colocam instituições como uma Câmara Municipal , em subalternidade em relação a uma qualquer empresa sobre a qual, deveria sim,e perante o povo, ser o garante inquestionável e incondicional do bem público.

Quanto à vertente moral, parece-me imoral que se abandonem instalações perfeitamente viáveis e com capacidade de serem melhoradas , se deixem ao abandono e mandem mesmo demolir, como foi o caso das oficinas do Fogueteiro. Isto naquele que é um dos países menos desenvolvidos da Europa e num concelho onde há tanto por fazer e tantas carências.

E por último a vertente economico-prática . A mais valia ganha na construção de dois novos e faraónicos edifícios , seus custos funcionais e serviço da dívida (chame-se-lhe o que se quizer) é um peso que face à conjuntura de então era já desmesurada, quanto mais face à conjuntura actual onde se revela , não só desproporcionada , como verdadeiramente pornográfica .

Só estou curioso para ver, quem sem vergonha na cara, vá , daqui a poucos meses, participar no corte da fita.»