sexta-feira, dezembro 01, 2006

UH! UH! UH!!!!


Os comentários fervorosos (abaixo publicados) de dois delfins do PCP da Margem Sul, deixam antever um figurino PREC (pós remodelação em curso) interno.

A defesa que por aqui têm feito à nossa avaliação de incompetência à actual figura proeminente do betão no Seixal leva-nos a conjecturar o pior.

Depois da remodelação feita em Setubal e na Assembleia da República crê-se estar na Margem Sul, perante novas "renovações" , face-lift partidário esse, que a crer no que se está a passar com a deputada Luísa Mesquita ( e também a dançarina do vídeo) não será pacífico, mas quanto a Jorge Silva parece poder dormir descansado, o mesmo não acontecerá com os Seixalenses que podem contar certamente com mais betão, o que parece agradar ao PCP!

Atirando o Barro à parede:


"Analisando este post, parece que aqui pelo a-sul a desorientação é total, tando dizem que o Jorge Silva está prestes a ser "corrido" da Câmara, como a seguir afirmam "parece afinal , haver quem queira dar-lhe mais um degrau para subir"... Ou seja, o ponto verde e os amiguinhos já não sabem o que dizem, caindo frequentemente em contradição. Contradição que é patente quando o ponto verde diz respeitar o serralheiro Jorge Silva, e depois ataca o Jorge Silva por ser serralheiro... Ou seja o ponto verde, apesar de ser doutor, não sabe o que diz, o que demonstra que há muitos doutores que tem de aprender com os serralheiros! " (Gonçalo André 28/11/06)

Criando um novo facto:

"Para o Ponto Verde quem não pôde estudar porque as adversidades da vida, não lho permitiram, deveria estar condenado a excluido. Os filhos dos trabalhadores teriam de ser trabalhadores, e os filhos dos doutores é que poderiam ser doutores. seria este o mundo ideal para o ponto verde.
Como não tem argumentos para atacar o Jorge Silva, ataca-o e ataca-o e ataca-o, unicamente por ser serralheiro..." (Paulo Silva 26/11/06)

iden...

"Há muitos sapateiros que tocam, e bem, rabecão... Aliás se conhecesse as histórias das bandas filarmónicas do concelho do Seixal, saberia que as mesmas foram criadas por operários que gostavam de musica e queriam aprender musica. Se o Brasil tem um Presidente metalurgico, porque razão o Seixal não pode ter um serralheiro como vereador! Ou será que o vereador do Urbanismo tem obrigatoriamente de ser arquitecto, e se assim for o vereador responsável pelos espaços verdes terá de ser jardineiro... E o responsável pelo lixo? Terá de ser Almeida? (11/24/2006 )

Mais um no rasto da desinformação e na fuga à discussão.

"O problema é que o ponto verde está no seculo passado e entende que as pessoas são em função dos estudos que puderam ter e não em função daquilo que são! O Jorge Silva é serralheiro, mas tem mais competência que muitos doutores ou arquitectos!" ( 11/25/06 João Afonso)

E mais outro:

"Falando de legitimidade. Qual é a legitimidade de um qualquer senhor afirmar coisas como esta ... "as urbanizações com patrocínio Camarário" e aqui refiro-me a 2 que o ponto verde indicou na Moita, o Vale da Amoreira, que não é uma urbanização e que foi um bairro, e agora uma freguesia, com uma génese complicada antes e depois do 25 de Abril e a Quinta da Fonte da Prata.
Ora se o Sr. não sabe e acusa, isto assume traços difamatórios. Fico-me por aqui porque já escrevi tantas e tantas vezes no mesmo sentido que já estou cansado mas deixo um desafio, explique lá qual foi o patrocínio camarário nestas urbanizações, uma resenha histórica era aconselhável.
Quanto ao vereador em questão, discutir a competência de um vereador sem ter conhecimento na matéria é uma demonstração de pura ignorância. Mas pegando no que diz, apenas podiam ser eleitos para vereadores de urbanismo aqueles que possuissem grau académico na área e aí meu amigo, quase nenhum eleito o podia ser. Não é?" - 11/27/2006 Nuno Cavaco ou melhor, - Nuno Miguel Fialho Cavaco , Membro da Comissão Concelhia da Moita do Partido Comunista Português.


6 comentários:

Rupert disse...

TANTO DESESPERO POR UM TACHO.

ZORRA disse...

UH!UH!UH!!!!
Deixa-os DESESPERADOS....
;-))) ZORRA

Paulo Silva disse...

Como não tem argumentos para contradizer os comentários ora expostos, o ponto verde pede ajuda!... Mas pelo menos parece que o homem aprendeu alguma coisa, e agora já não se refere ao Jorge Silva como "o serralheiro", se mais não fosse o meu comentário teve o condão de ensinar um pouco de educação ao ponto verde!

João Titta Maurício disse...

Só para eu perceber: estes senhores são do Partido (ou o seu "verde" aliado) que defenderam que um advogado e não membro dos movimentos ecologistas "da moda" não tinha "estofo" para ser ministro do Ambiente?

São os mesmos que defenderam a não nomeação de Santana Lopes porque nas eleições vota-se menos no partido e mais no candidato e que (nas autarquias e na AR), em menos tempo que dura um fósforo a arder, já substituíram 2 presidentes de CM e 2 (quase 3) deputados na AR? E o argumento não foi porque o colectivo se deve sobrepor ao individual, porque os eleitores votam num projecto e não no candidato!?!

Ai, ai... coerências!

nunocavaco disse...

O meu amigo banheirense não me venha dar lições de moral, até porque o seu partido nunca as deu. Quanto ao resto é pura ilusão na cabeça de um demente.

insider... disse...

Não acompanho esta história desde o início, mas parecem-me certas duas coisas: Por um lado a personagem segue a política da casa (leia-se: PCP & patos bravos que sustentam o partido e todos os corruptos dentro da CMS) e depois toda esta história dos degraus do serralheiro parece-me esconder quem realmente o PCP se prepara para pôr no Seixal como candidato à perpetuação das coisas: é jovem e fresquinho, e estalinista lavadinho . É uma adivinha...