sábado, dezembro 30, 2006

OUTRA BANDA, À MARGEM DO DESENVOLVIMENTO

Helóisa Apolónia, deputada da "coligação" do PCP denominada CDU, mesma força politica que há trinta anos domina em maioria a Margem Sul, vem desresponsabilizar as autarquias da pressão urbana das últimas décadas, promovida por elas próprias , e um dos principais factores da aceleração da degradação costeira na Costa de Caparica , olhe-se para o mapa acima (1757) e veja-se o perfil dessa zona então, e sobretudo a dimensão do Bujio. A Deputada Helóisa vai ter que culpar muitos "governos centrais" no passado para desculpar a degradação normal , lenta, natural da erosão mas acelerada , e promovida localmente , nas últimas décadas pela pressão humana e construções junto à orla costeira.

O Texto da deputada Helóisa Apolónia, a suposta líder de um hipotético partido "VERDE", que
pode aqui ler (clique) , no Setúbal na Rede é uma autêntica cascata de desresponsabilização na responsabilidade TOTAL que a força plitica a que pertence em "coligação" , a CDU, tem nos últimos trinta anos no não desenvolvimento e degradação ambiental da Margem Sul.

Aparece agora esta líder da CDU, também eleita por uma das autarquias desta banda e além disso , deputada da Nação, a defender que, a propósito do avanço do mar na Costa da Caparica, que "O que aconteceu na Costa de Caparica é o resultado das sucessivas intervenções de emergência que, ano após ano, desde 2001, o Instituto Nacional da Água (INAG) tem vindo a fazer naquele cordão dunar, com a deposição de areia aqui e ali, com a deposição de brita e pedra ali e acolá – e o resultado da falta de uma intervenção estratégica e sustentada está à vista e, uns metros mais à frente, uma outra parte da duna ameaça já degradar-se com uma maré mais alta e agressiva – terá eventualmente que esperar pela destruição para ser objecto de intervenção!!!"

Assentam depois os parágrafos seguintes, na explicação que a senhora deputada quer por parte do INAG e Ministério do Ambiente seja dada à Câmara de Almada , no tradicional folclore das comissões de acompanhamento, unidades de missão ou grupos de crise ...

Mas logo a seguir vem o mais rizivel do texto asinado pela senhora Deputada , passo a citar:

"
Na Costa de Caparica há uma evidência conhecida: nos últimos 60 anos o mar retirou quase meio quilómetro de areal. Os estudos do SIAM, a propósito das consequências das alterações climáticas na nossa costa, revelam também o perigo que advém da hiper-concentração populacional no litoral, bem como da pressão que é feita sobre a nossa costa, com todos os riscos de erosão e de degradação acentuados. Não é pois por desconhecimento, ou ausência de diagnóstico, que as falhas se têm verificado. A insustentabilidade a que a nossa costa está votada deve-se à falta de vontade política de intervir e financiar o que é preciso fazer e à absoluta secundarização a que estas matérias têm sido votadas pelos sucessivos governos."

Ou seja, agora atribuí ao Governo "
o perigo que advém da hiper-concentração populacional no litoral, bem como da pressão que é feita sobre a nossa costa, com todos os riscos de erosão e de degradação acentuados" , surgindo a Câmara Muncipal de Almada (desde sempre nas mãos da CDU) como uma vitima de um modelo de desenvolvimento - por si promovido e pelas restantes autarquias da Margem Sul - que reconhece agora como insustentável , e ao mesmo tempo , que reconhecendo os estudos do SIAM sobre alterações climáticas e suas consequências, desacredita o folclore que facções do seu partido de coligação (PCP) fazem nesta região (clique) (ao ridicularizarem as alterações climáticas e suas causas directas)
, mas assumida ,ao que parece, oficialmente, por via da líder de "Os Verdes" .

Terminando o artigo pela mesma via da desresponsabilização das autarquias, da seguinte forma, novamente dando ênfase à neccesidade da criação burocrática de mais uma "entidade coordenadora":

"
Um país com mais de 900 Km de litoral, e que caminhou ininterruptamente, e continua a caminhar, na pressão sobre o litoral, exige medidas corajosas para pôr termo à sua degradação (designadamente na área da construção e das causas que promovem a erosão da costa), exige uma gestão adequada (que passa necessariamente por uma entidade coordenadora a nível nacional) e exige um financiamento adequado às intervenções de prevenção que a realidade da nossa costa requer."

O que diz a senhora deputada de projectos actualmente a serem promovidos por autarquias PCP/VERDES e que vão ao encontro do que a senhora deputada enumera como "causas de degradação costeira" , nomeadamente o projecto Almada Cidade da Água, Urbanização da Siderurgia, Urbanização da Quimigal, Urbanização da Quinta da Trindade, Urbanização da Baía do Seixal, alterações do PDM da Moita ???

O mais caricato é que a página onde a iustre deputada "verde" tem o seu artigo tem a publicidade a um destes projectos. Como a hipocrisia se desmonta a ela mesmo!

15 comentários:

João Caramalho disse...

Já viram a mais mirabolante teoria sobre alterações climáticas no blogue banheirense? Ganda banhada!!

"Um factor a ter em conta no estudo das correntes oceânicas é a morfologia oceânica. Em Portugal, e como se pode constatar na figura a margem continental entre o Alentejo e o Algarve encontra-se bastante deformada. Isto deve-se a movimentação tectónica o que é evidente na figura pela distribuição da sismicidade. Poderemos estar e estamos com toda a certeza num processo de inicio de subducção (a placa oceânica a mergulhar sob a continental). Ou seja, o Oceânica Atlântico começou a fechar.


A Geodinâmica Interna influência a Externa. A movimentação das placas tectónicas induz mudanças climáticas e esta que estamos a presenciar irá de certo influênciar a circulação das águas e a circulação do ar."

Prémio Nobel para o Cavaco da Moita Já e em força.

Anónimo disse...

Triste este joão caramalho. Já agora do alto da sua sapiência o que é que são as alterações climáticas?

João Caramalho disse...

Resposta de Nuno Cavaco no Banhadense, perdão Banheirense ou será Bidésense?

Resposta de Nuno Cavaco que deve ser um Douto de Cátedra, por ele mesmo :

"Por último, o aquecimento global não existe. Como é que se utiliza o termo global quando regiões aquecem e outras arrefecem? Respondam-me a isto."

O AQUECIMENTO GLOBAL NÃO EXISTE .

Atenção G.W.Bush , venha buscar este homem, seu fiel seguidor.

João Afonso disse...

Este caramalho é uma invenção do c******... Só é pena é que a estupidez seja total... Não refuta qualquer das afirmações do Nuno Cavaco... limita-se a mandar "postas de pescada" sem qualquer conteudo... Ou seja o caramalho não passa de um sósia do ponto verde uma vez que o conteudo zero é igual.

Jardineira aprendiz disse...

Pois, é difícil assumir responsabilidades, principalmente quando são colectivas. Obrigada pela visita, e bom ano novo.

André Santos disse...

João Afonso disse: "Não refuta qualquer das afirmações do Nuno Cavaco... limita-se a mandar "postas de pescada" sem qualquer conteúdo...

"Poderemos estar e estamos com toda a certeza" numa situação muito comum neste blog, para a qual muito contribuem vossas excelências...
Não é bonito mandar "postas de pescada", pois não? Então aprendam a comentar um blog...

Cumprimentos e um feliz 2007 para todos.

Ponto Verde disse...

Brilhantes postas de pescada, o problema é a pescadinha de rabo ma boca do PCP...CDU...VERDES...
Como quem quer que seja pode refutar a idiotice da teoria única de Nuno Cavaco.

E estejam Vªs Exªas descansados, ou incomodados, porque sósias de copy-paste muito ao uso de alguns blogues da região, não são própriamente a prática deste. Agradeço as Sr.Caramalho a participação.

Mário Barros disse...

O interessante nisto tudo é como as pessoas em total ignorância aplicam ao dióxido de carbono as culpas de tudo qualquer dia até uma pessoa que tenha perda de cabelo é culpa do CO2 é incrível o CO2 tem culpa de tudo se à uma seca a culpa é do CO2 se chove de mais lá está o CO2 a fazer das suas por favor arranjem explicações plausíveis porque algo como o CO2 querem que explique tudo mas não explica nada esta alterações sempre se deram porque o clima é totalmente autónomo, só para dar um exemplo dos fenómenos extremos em 1570 houve cheias na Europa que mataram milhares de pessoas e o interessante é que no ano seguinte o rio Reno estava seco podia-se atravessa-lo a pé (se isto ocorre-se no século 21 as pessoas entravam em pânico) mas a maior prova de que o clima é totalmente autónomo é a colonização da Gronelândia, na própria, os Vikings durante os século 10 e 11 puderam praticar a AGRICULTURA E PASTORICIA mas o clima começou a arrefecer em meados século 12 e a colónia foi por fim abandonada no século 13 pois o frio estava a chegar em força e foi isso mesmo que aconteceu até 1850 o frio não deu tréguas ao Hemisfério Norte agora digam-me de quem é a culpa??Do CO2 claro os cavalos e barcos tinham brutos motores e libertavam imenso dióxido de carbono as pessoas até arrotavam dióxido de carbono...A culpa destas rápidas mudanças está a cargo dos AMP (Anti-Ciclones Móveis Polares) que controlam em conjunto com as correntes marítimas e massas de ar o clima mundial existem 3 no Hemisfério Norte e 3 no Hemisfério Sul. As temperaturas dos últimos anos (de 2000 para cá) demonstram (através dos modelos mais fiáveis) que tem estado a ocorrer um arrefecimento tem-se, é em contrapartida estado a haver um alinhamento para que o arrefecimento seje mais rápido logo estão a ocorrer fenómenos extremos como vagas de calor e vagas de frio grandes tempestades o clima não se encontra bem pois aqueceu muito rapidamente á pouco tempo mas ele já se está a preparar para um arrefecimento em grande escala o dióxido de carbono não tem culpa de nada alias é ele que nos mantêm vivos neste extraordinário planeta...Se culparem o sol tudo bem se culparem os vulcões tudo bem se culparem o CO2 é que é de uma atitude mesquinha pois se o dióxido de carbono estivesse realmente a aumentar o efeito de estufa seria catastrófico do céu choveria agua quente corrosiva. Nos últimos anos tem-se assistido ao fenómeno completamente oposto, ao arrefecimento da troposfera. Seria de uma atitude bastante inteligente da parte das pessoas conseguirem separar as duas coisas que são o clima e a poluição era algo que eu próprio já tenho distinguido e que acho que toda gente deveria fazer pois clima e poluição nunca mas nunca se misturam (excepto nas chuvas acidas e grandes erupções vulcânicas).

Por favor investiguei e procurem fundamentos inteligentes válidos para provar o aquecimento global pois eu por mais que tente não consigo encontrar.

Mário da Silva disse...

O mais caricato é que a página onde a iustre deputada "verde" tem o seu artigo tem a publicidade a um destes projectos. - pv

Caro PV,

O banner publicitário é rotativo. Você teve um "galo" desgraçado e apanhou logo um banner interessante... pena que não tivesse impresso logo a página que ia mesmo ser de chorar a rir.

É a incongruência total.

Tenho de descobrir onde raio coloquei o que ela disse na Assembleia Municipal da Moita por causa dumas coisitas ambientais cá pelo burgo. É que nem parecia a mesma coisa.

Até mais.

oikos disse...

Não posso falar pela(s) pessoas responsável(eis) pelo blog, mas não creio que o que esteja neste em causa seja a defesa intransigente da teoria do "aquecimento global". Poder-se-á dizer que são repetidamente mencionados relatórios de entidades que poderão dar mais ênfase a esse "modelo de consequências de alterações", que sublinham uma tendência para o aquecimento, mas pessoalmente devo dizer que sendo os relatórios emitidos por entidades como a NOAA e a ONU, creio que seria uma atitude de total imodéstia não lhes dar a devida atenção. Mas mais e muito para além disso, julgo que neste blog tem-se apontado o dedo para um grande número de actividades, situações e atitudes que vão para além de modelos e previsões sobre os sentidos (aquecimento/arrefecimento vs. global/regional) que as chamadas "alterações climáticas" poderão ter e que se prendem com o desrespeito pela Natureza e a mais primária inobservância dos princípios de existência sustentada e equilibrada com um meio físico e biológico que é um recurso finito e não tem uma capacidade ilimitada de regeneração. Daí que eu julgue que será sempre interessante a leitura dos temas aquí apresentados, e muito "educativa" a leitura das reacções que suscitam. Por isso agradeço ao "ponto verde" o serviço prestado durante este ano, ao efectuar a ilustração deste triste álbum de demonstrações de irresponsabilidade que nos tornam a todos mais pobres, menos felizes e certamente menos saudáveis.

Luis Eme disse...

A dona Heloisa mais não faz que defender o "tacho"... mesmo que para isso, seja pouco séria, nas observações que faz.
É uma política portuguesa, concerteza!

Ponto Verde disse...

Os factos hoje em dia apontam para causas e consequências.

Acima de tudo o que temos aqui querido despoletar é tão só o PRINCIPIO DA PRECAUÇÃO , quem tão acérrimamente nos ataca tem certamente outros fins e outros comprometimentos certamente os ligados à Construção Civil na Margem Sul, para quem os projectos à beira rio serão difíceis de vender na perspectiva de uma subida do nível das àguas do Mar.

De novo citando um post anterior:

"De uma forma ou de outra, "Disfunção Climática Global" ou "Aquecimento Global" apontando já aqui para uma consequência e não só a um fenómeno, isolado ou não, entrópico ou não, parece-me sobretudo que quer uma abordagem, quer outra, são perfeitamente compagináveis com o "Principio da Precaução" - David Gee - citando este autor na entrevista dada ontem a Ricardo Garcia do PUBLICO.

"(...) se em cinquenta anos concluírmos que não há aquecimento global, mas se tivermos tomado acções para reduzir o uso de combustíveis fósseis , então teremos um novo tipo de industria, gerando muitos empregos, com maior eficiência energética, o que será maravilhoso (...)"

Um Bom Ano para todos e que estes alertas não se verifiquem são os meus votos.

Anónimo disse...

Essa "senhora deputada" não estará ao serviço dos mesmos ?

Anónimo disse...

Este país é mesmo um carnaval político de 365/6 dias!

Caparicano disse...

Importa referir que se o Bugio desapareceu completamente neste último século, isso se deve à sucessão de barragens existente em todo o percurso do Tejo e seus afluentes. Tal e qual aconteceu com o Cabedelo na Foz do Douro, a quantidade de sedimentos chegados à Foz do Douro é cada vez menor.

Quanto ao aumento de temperatura no Globo, ele está documentado e é real. As consequências, essas sim são imprevisíveis e falar delas é um exercício de futurismo. O que sabemos é que não serão positivas.