domingo, agosto 28, 2005

URBANISMO E CORRUPÇÃO - 2



















Paris - Porque não temos nós portugueses direito a esta qualidade de vida? A Corrupção , e, o "Urbanismo" que dela resulta são verdadeiros carrascos do ambiente, do nosso futuro e do das proximas gerações. Estas não só vão ter que pagar as dividas da ostentação dos autarcas contraídas no presente, como viver com um ambiente degradado e sem qualidade como causa das suas decisões.


Já percebemos a ideia do PCP sobre as revelações do vereador do Urbanismo do Porto, desvalorizar... tanto a personagem como o facto em si... afinal todos sabiamos já! Tanto alarido para quê? - Senão então , citando Ruben de Carvalho (DN 27 Ago) destacado elemento Comunista:

"O até agora responsável pelo Urbanismo portuense declara pomposamente factos tão surpreendentes quanto anunciasse que a Torre dos Clérigos fica no Porto e a Basilica da Estrela em Lisboa : a saber, os grandes negócios que envolvem autarquias, favores politicos e interesses privados fazem-se em torno do urbanismo.

Não há um português que ignore esta verdade e, os que são sérios, gostariam era - para usar adequada terminologia de ver chamar os bois pelos nomes" ... e depois continua (recomendo a leitura da totalidade do artigo para uma interpertação isenta) referindo grosso modo, que Paulo Morais fala por despeito...que só menciona um nome com o qual tem contas a ajustar, Rui Rio, e que no fim vai tudo cair no mesmo saco... mas "já se sabe pois que estes sacos não têm fundo"...

A final é preciso vir um destacado elemento do PCP vir-nos a dar razão, aqui onde humildemente clamamos e alertamos para a destruição do nosso ambiente, por grandes grupos e por meio de direitos difusos e adquiridos para "os grandes negócios que envolvem autarquias, favores politicos e interesses privados"... feitos... "em torno do urbanismo"... também e certamente na Margem Sul (ou não Dr.Ruben Carvalho?) e que destróem diáriamente a nossa qualidade de vida e comprometem o nosso futuro.

Também aqui no a-sul, não temos então dado, novidade nenhuma, nada mais do que "qualquer português sabe" como sabiamente diz Ruben de Carvalho que é candidato a Presidente da Câmara de Lisboa , já agora, não lemos nada no seu programa (apesar de reconhecer conhecer este flagelo) que o reconheça formalmente , mencione as formas de o combater ou "chame os bois pelos nomes" . Aqui no a-sul têmos de certa forma insistido em chamar "os bois pelos nomes", basta ver alguns dos comentários a posts anteriores, para ver que eles por aí andam...

Agora outra perspectiva a de Maria José Morgado (alguém de que não se pode dizer que não se tenha cansado de chamar "os bois pelos nomes") que sobre o mesmo tema e personagem refere no Publico de (26 Agosto) , em artigo porventura lido pelo candidato autárquico Ruben da Carvalho:

"Há uma viscosidade cada vez maior em certas zonas da vida politica-partidária portuguesa que se torna cada vez mais dificil de aceitar por quem é honesto e não se resigna com certos esquemas. Além disso, devemos gratidão a todos os que fazem denuncias sérias num país tantas vezes vocacionado para o conformismo " (...)

Uma denúncia publica não pode ser confundida com a instrução de um processo crime.O que é importante é a revelação pública dos mecanismos da fraude (...) Em declarações publicas o que se impõe a quem não se conforme é a caracterização politica, sociológica, económica e partidária dos fenómenos patológicos e corrosivos. É isso que acontece em qualquer país civilizado (...)

Os denunciantes tendem a ser desacreditados ou isolados e desse isolamento fazem parte as exigências de esclarecimento de nomes e de factos concretos que as autoridades têm obrigação de averiguar se forem capazes (...)

Insisto na necessidade de , mais cedo ou mais tarde, se adoptar uma politica nacional de combate à corrupção ou um dia estaremos a braços com um "mensalão" à portuguesa (...) a necessidade da politica nacional de combate à corrupção não é uma ideia lunática. "

Duas perspectivas de certa forma antagónicas sobre corrupção e tráfico de influências na nossa democracia . Preocupante no entanto a aparente ligeireza com que Ruben de Carvalho aborda o tema, tendo a responsabilidade acrescida de ser candidato a um alto cargo na maior autarquia do país.

Pergunta-se o que faria se fosse vereador do urbanismo da Câmara Municipal de Lisboa? Que exemplo daria aos seus pares da AML, nomeadamente aos da Margem Sul?



8 comentários:

Anónimo disse...

O prblema é que os politicos , nomeadamente, os autarcas se protegem mutuamente, os esquemas devem ser comuns, se um põe a boca no trombone é logo uma persona-non grata. HIPOCRITAS

Seixalense disse...

A currupção também é de consciências, e não há dúvida que este blog pretende corromper as consciências dos Seixaleiros, não sejas incauto, não acredites no que vem nos posts, e lê os comentários dos cidadãos que defendem a verdade e que demonstram as falsidades dos posts.
Não te esqueças, já a seguir ao 25 de Abrilse afirmava que o boato é a arma da reacção, face ao coneudo dos post, concluimos que essa afirmação se mantém actual, por isso Seixalense amigo está atento e não te deixes levar em cantigas.

Anónimo disse...

O comentário anterior é o MÁXIMO!!!

Anónimo disse...

Ligações perigosas há em quase todas as câmaras do país. Se a Pj tivesse vontade não seria dificil encontrá-las. Favorecimentos a empresas, quotas de certas empresas nas mãos de familiares de pessoasq ue decidem concursos, um rol de um sem número de irregulariedades. Acontecem a diversos níveis. Não podemos é cair que por ser tão generalizado que não façamos nada. Mas ainda existe muito medo, medo até que as pessoas votem, ou vão votar. Sinal disso é serem os únicos cartazes que apelam ao voto aqueles que se encontram vandalizados.

Anónimo disse...

Enquanto o PODER estiver nas mãos dos capitalistas, nada mais há a fazer. Quem tem dinheiro tem força, o resto é conversa! Bjks da Intemporal.blogs.sapo.pt

Moita Carrasco disse...

Os do Seixal têm tanto a perder com a perda do poder... que se dão ao trabalho de destacar funcionários a tempo inteiro para contrapôr opiniões legitimas de cidadãos numa Democracia, e pelos vistos até se dão ao trabalho de os tentarem calar por todos os meios quando faltam os argumentos, pena que ainda não tenhamos chegado à Moita no dominio das tecnologias.

Anónimo disse...

Este ultimo comentário é hilariante e demonstrativo do pânico que se instalou nas hostes do ponto verde, senão vejamos:
Quem ataca a Câmara e o PC profere "opiniões legitimas de cidadãos numa Democracia". Quem defende a Câmara não passa de "funcionários destacados a tempo inteiro". Isto é ridiculo, ou será que aqueles que proferem as suas opiniões em defesa da Câmara e da actual maioria também não serão "opiniões legitimas de cidadãos numa Democracia".
Pelos vistos há cidadãos de primeira, os que atacam, mentindo, e de segunda, os que defendem, repondo a verdade dos factos, e que não passam de meros funcionários.

Anónimo disse...

Selo certifica edifícios amigos do ambiente
O concelho do Seixal vai passar a contar com um Selo Verde para certificar edifícios amigos do ambiente. Este projecto pretende incentivar as empresas de construção a apostarem em energias renováveis nos edifícios
Mais uma iniciativa de louvar da Câmara Municipal do Seixal em matéria ambiental.
Fico à espera para ler as criticas do Ponto verde, para quem nada do que é feito pela Câmara têm valor.