quinta-feira, agosto 18, 2005

BARCELONA , A MARGEM SUL (SÓ) GEOGRÁFICAMENTE MAIS PERTO


Cá estamos nós na ultima paragem antes do regresso à Margem Sul, Barcelona, cidade capital da Catalunha requalificada por altura dos Jogos Olimpicos de 1992 e hoje maiores cidades receptoras de turismo a nível Europeu.

As ruas e as "ramblas" estão cheias de gente, ensaiam-se novas formas de mobilidade na cidade, tal como em Paris é fácil alugar uma "SEGWAY" , mas mais fácil ainda é andar de bicicleta, e há bicicletas por toda a parte, pessoais ou de aluguer, e vias cicláveis.

E não só vias cicláveis, vias pedonais e de uma movimentação perfeitamente desconhecida para nós, uma verdadeira invasão de turistas, mas também ruas cheias de cidadãos locais, ruas vivas contrastando com o vazio das cidades portuguesas.


Criaram-se ciclovias , não por decreto, mas adaptando as vias existentes , ordenando e delimitando , instalando sinalética horizontal e luminosa, educando e motrivando o uso de transportes alternativos, inclusivamente abrindo o METRO á bicicleta, permitindo que sem um custo adicional se transporte a bicicleta no Metro alargando de uma forma inimaginável a mobilidade.

E em Portugal, continua-se a achar que tudo isto que já mostramos de Paris, Roma, Amsterdão, Copenhaga, Bruxelas ou Londres, é só um preciosismo? Uma mania "ambientalista" ? Um qualquer fetiche? Ou pelo contrário que afinal é por aqui que passa o futuro , a mobilidade e a qualidade de vida nas cidades (grandes ou pequenas) nas grandes àreas urbanas? ou em simples vilas?

Futuros candidatos ou politicos instalados espera-se que meditem sobre o assunto e o assimilem no futuro. Caminhamos para uma nova ordem mundial onde porventura o petróleo não mais será barato (o aumento da procura na China e o seu desmesurado crescimento a isso obrigará) , é pois desejável que nos preparemos com a maior brevidade para o que há-de aí vir , bem como no presente para a redução da dependencia dos combustiveis fósseis e redução da consequente poluição.

Estão os politicos do futuro (proxima legislatura) preparados para este desafio?
Não é nenhum perigoso visionário "anticomunista" que vos tráz estas questões, é a Comunidade Europeia.

5 comentários:

NP disse...

O meu caro anónimo autor falou de aspectos de circulação, mas sugiro-lhe um novo post sobre o urbanismo de Barcelona, como a cidade cresceu e a forma como se orghaniza em termos de tipo de construção, com áreas residenciais não demasiado altas, mas qualificadas e onde dá gosto viver. Sugiro-lhe que vá por ai, sem nenhum tipo de comparação com o que quer que seja, apenas mostrando o que se faz "lá por fora".

Ponto Verde disse...

Caro np.
Assim é Barcelona, excepção feita a uma torre tipo foguetão em fase final de construção que não faz o meu género de resto há uma harmonia geral na cidade, sem referências problemáticas, a integração faz-se na propria cidade com orientais e magrebinos em profusão pela cidade . Na "digital" registei questões de mobilidade, deixei a arquitectura para o 35mm, quando forem reveladas as imagems mostrarei. Já estou também de caminho para Portugal, a tecnologia faz parecer que se está perto mesmo longe, o que quer dizer aberto ao mundo como a internet nos permite.

Ambientalistas da Amadora disse...

Estive, pela primeira vez, em Barcelona no início de Agosto. Fiquei completamente fascinado pelo movimento da cidade, as ramblas onde imensa gente passeia, um metro funcional com imensas linhas, centenas de bicicletas e vias para as mesmas. Gente de todas as idades, bicicletas de todos os géneros e feitios. Fiquei com uma optima impressão desta cidade. Estive apenas um dia, mas senti que poderia ficar muito mais tempo.

AA disse...

Estaria em falta se não desse os parabéns por esta série de posts... os bons exemplos têm de ser constantemente recordados até fazer parte da nossa cultura e mentalidade.

Anónimo disse...

Excelente posta. Nem a propósito... por coincidência estive em também em Barcelona. Cidade fantástica, criativa que se farta, com pessoas que olham em frente, andam descontraídas, a pé, de bicicleta, de patins (cá anda-se com olhos para o chão por com medo de pôr o pé em cima da caca de cão), conversam (baixo, não aos berros, como às vezes acontece por cá). Uma cidade a revisitar. A bem da saúde mental. Abraço. Octávio Lima (ondas2.blogs.sapo.pt)