quarta-feira, fevereiro 04, 2009

SEIXAL E O MITO TURISTICO


O Seixal, vá-se lá saber porquê , insiste em deitar dinheiro à rua , participando sistemáticamente em certames da Feira Internacional de Lisboa .

Se a promoção dos interesses imobiliários de privados ainda p
retendem explicar a promiscuidade da presença conjunta da CM.Seixal no Salão imobiliário de Lisboa , a promoção do Seixal como "Destino Turistico" é realmente, em termos promocionais , literalmente : - Deitar dinheiro à rua ... ou então, estão a dar dinheiro a ganhar a alguém ... mas sem que quer o Seixal Município ou os seixalenses , tirem algum partido disso.

Seixal não é destino turistico . O que tem de peculiar e que tinha potêncial para atrair turistas tem sido delapidado a uma v
elocidade estonteante.

Refiro-me quer à paisagem , quer aos espaços verdes e Quintas , quer ao património construído , tudo em prol de uma betonização e de uma suburbanização proletária e novo-rica de condomínio fechado e de arquitectura
copy-paste que, é o oposto de um destino turistico.

O que a Câmara do Seixal, faz na BTL é afinal o mesmo que faz na FIL Imobiliária, arranjar uma forma mais ou menos encapotada e paga pelos contribuíntes para promover mais urbanizações e mais b
etão privado.

Como não há almoços grátis as contas a pagar pela vaidade aqui estão (clique sobre a imagem) :
Como afinal o Seixal pouco tem na realidade para oferecer , foram atribuídas nâo estadias nos resorts do Seixal, mas ..."viagens e estadias em Portugal e no estrangeiro " como prémio atribuídos para ... "Promover ... o Seixal " ... palavras para quê ?

______________________________________________

ÚLTIMA HORA!
Zona Pedonal de Almada continua a meter água !
Mais obras de encantar, aqui no blogue EmAlmada (clique) .

Jerónimo de Sousa já tem sua "Emilocha" !

8 comentários:

EMALMADA disse...

Perfeito regabofe com os dinheiros públicos.
Oh da guarda!
Estamos a ser roubados!

Anónimo disse...

Há alguns autarcas seixalenses que se adoram pavonear pelos pavilhões da FIL a fingir que são alguém.

ex-militante disse...

Continuam a gozar com a cara dos cidadãos. Começa a não haver paciência. Já ouviram falar em revolta popular ? Em Pinhal dos Frades já estivemos mais longe. Disseram que iam fazer um Parque, mas o que vejo perto da minha rua é um Parque de Estacionamento. Cortaram pinheiros e vão pôr um pequeno lago com uma ponte , isto em vez de criarem o parque ambiental na zona protegida pelo PDM de Mata e Maciço arbóreo , agora propriedade de SILVASIMBRA. Algo nos diz que o tal parque é um presente envenenado para criarem de novo um bairro social no Pinhal. Mas vamos estar atentos pedimos também a atenção do A-Sul para o assunto. Cumprimentos

Anónimo disse...

No dia 30 de Janeiro realizou-se a 1ª reunião extraordinária da Assembleia Municipal do Seixal em que foram discutidos e votados diversos documentos, nomeadamente, o Plano de Pormenor de Vale dos Chicharos, a actualização anual de diversas taxas municipais, a alteração dos estatutos da Associação de Municípios da Região de Setúbal, a delegação de competências nas Juntas de Freguesia e a declaração de interesse público municipal do Sistema Integrado Multimunicipal de Águas Residuais da Península de Setúbal.

Como a Câmara Municipal teima em não colocar na internet as actas quer das sessões de Câmara, quer da Assembleia Municipal, falarei aqui de alguns destes assuntos que foram debatidos e votados na Assembleia Municipal.
Nos termos legais e sob proposta da Câmara compete à Assembleia Municipal aprovar os Regulamentos Municipais e a alteração das respectivas taxas.
A Câmara Municipal, no auge da arrogância da sua maioria absoluta, que tudo aprova e nada questiona, continua a fazer da lei letra morta.
Na verdade, contrariamente ao que está obrigada, continua a alterar e aplicar taxas municipais, sem a respectiva aprovação da Assembleia Municipal; entre elas estão as taxas indexadas ao valor da água e que por via da indexação, sempre que a Câmara resolve aumentar o valor da água, automaticamente aumenta o valor das taxas de tratamento de efluentes, de resíduos sólidos urbanos e de manutenção de infra-estruturas urbanísticas.
Os comunistas ao não levarem à discussão e aprovação da Assembleia Municipal as alterações destas taxas comportam-se de uma forma anti democrática e em total desrespeito pelo órgão deliberativo da autarquia.
Em nosso entender qualquer alteração das taxas municipais citadas, pela via da indexação, é nula e de nenhum efeito, nulidade invocável a todo o tempo pelos cidadãos lesados.

Anónimo disse...

REVOLTA POPULAR - DESOBEDIÊNCIA CIVIL NO SEIXAL JÁ !

Anónimo disse...

A imagem de abertura deste tema são do Barreiro e não do Seixal, devia ser substituida, a credibilidade de um espaço de discução passa pela veracidade da informação de quem o inicia. Hoje as cidasdes têm que vender a respectiva imagem aos investidores, porque não na FIL?

Anónimo disse...

O primeiro plano da imagem é o Seixal e não o Barreiro, não venha querer descredibilizar um trabalho bem feito e rigoroso. O Seixal aumentou de 30000 para 170000 habitantes em trinta anos. CHEGA!. Não precisa de ser ainda mais vendido, na Fil ou na Feira da Ladra.

David disse...

Eh lá! Esta é demais, agora até quando há problemas com a PSP a culpa é dos comunistas! É impressionante como este é o único concelho onde se lembram de fazer estas associações de factos!