sábado, fevereiro 28, 2009

A CRISE VISTA DESTA BANDA

O a-sul pelos seus leitores . Hoje um texto deixado nos comentários e que merece uma reflexão:

De momento corremos atrás da crise, das consequências, num árduo , frenético e titânico esforço para salvar os empregos, remendar a economia, , etc, etc.

Todo o esforço nacional e mundial centrado nas consequências, tapando buracos e procurando investir os últimos recursos existentes ( os dos estados) a tentar evitar o que é inevitável, a evidente convulsão mundial.

O sistema que gerou a actual situação, o ultraliberalismo que nos conduziu a esta situação, esse continua intacto, e se destruiu sucessiva e paulatinamente todo o sistema económico, se o sugou até à última, continua pronto a sugar os últimos recursos, ou seja os de todos nós contribuintes, os dos estados.

Revertendo para a história do cavalo do inglês que morreu quando já se tinha habituado a não comer, os balões de soro que lhe possam estar a ser aplicados para o aguentar mais um bocado, para esses também o dito inglês(ou inglês ou o que quer que seja, o dinheiro não tem pátria) arranjou maneira de o subtrair.

Não! Não há tempo para olharmos para as causas, o que é urgente não nos dá folga para pensarmos naquilo que é importante- não nos afundarmos amanhã... talvez para a semana...talvez nos aguentemos mais um mês! Mas quando tivermos do esgotado todos os recursos, depauperados teremos de parar à beira do precipício e talvez consigamos ver que sem resolver as causas, aquilo que é importante, de nada nos serve acudir aos sintomas.

Até quando isto se irá prolongar, até quando estes balões de oxigénio vai aguentar o moribundo?

Está bem! É o sistema financeiro internacional do liberalismo selvagem, a desregulamentação, os dos princípios...sim pode ser que seja, mas as pequenas coisas , todos os impecáveis normativos anulados por dezenas de regulamentos e portariasazecas á medida, aquilo que nos está próximo e é quotidiano, favorecendo uns ...e quero lá saber dos outros!

Está bem!Berramos contra os offshores, mas negociamos com eles e não perdemos pitada das migalhas que nos possam cair nos bolsos.

Bom, esperemos que a globalização que nos trouxe essa rapidez incrível de construir castelos no ar, nos traga com a mesma velocidade à realidade de que tratar com urgência os sintomas, não vai a lado nenhum se não resolvermos aquilo que é importante.

Por Antónimo

6 comentários:

EMALMADA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
EMALMADA disse...

Na tentativa de corrigir uma gralha, o comentário anterior foi removido, sem ter feito cópia.
Peço desculpa.

A ideia expressa era:

Os representantes do sistema capitalista mundial nos Governos das nações (ainda há?)do 1º Mundo, tudo têm feito e farão para que "os leões" continuem a comer-nos a carne com mais requinte e sofistificação,enquanto eles continuam a comerem-se entre si no circo que montaram.

Paulo Edson Cunha disse...

Boa noite:

Quer participar com ideias e/ou sugestões no Programa Eleitoral Autárquico do PSD para o Munícipio do Seixal?

Pode fazê-lo no Blogue "A Revolta das Laranjas". Aqui:

http://pauloedsonc.blogspot.com/2009/03/programa-eleitoral-para-camara.html

Obrigado.

Paulo Edson Cunha

Anónimo disse...

"Os donos do capital vão estimular a classe trabalhadora a comprar bens caros, casas e tecnologia, fazendo-os dever cada vez mais, até que se torne insuportável. O débito não pago levará os bancos à falência, que terão que ser nacionalizados pelo Estado"

Karl Marx, in Das Kapital, 1867

Portaria ILEGAL disse...

Convido o autor deste blog assim como os seus leitores a verem o anúncio que coloquei no blog: http://portaria-59.blogspot.com/
que levanta sérias duvidas acerca do caso BPN.
Cumprimentos e obrigado

Anónimo disse...

È urgente que cada um tome consciência do que faz o estado com o dinheiro do produto do seu trabalho e dos seus impostos. Os últimos anos têm sido uma festa para muitos políticos, gestores públicos, assessores, empresários pouco escrupulosos. Salvo uma pequena percentagem de população desempregada, a população em geral trabalhou todos os dias e passados todos estes anos a viver em democracia- poder do povo - que país temos? Um país pobre gente triste e deprimida, muita ansiedade insegurança e incerteza. Está na hora de exigir que quem nos governa no país ou nas autarquias seja honesto e competente. Se a democracia é o poder do povo então devemos querer saber mais do que fazem os nossos políticos e exercer o legítimo direito de cada cidadão tem de questionar, criticar, e de intervir. Vivemos num país que por mais que os seus cidadãos se levantem cedo vão trabalhar todos os dias continuamos a ser os mais pobres mas temos desde o 25 de Abril um Poder Local abastado onde se tem esbanjado muito dinheiro que não é senão o suor de muita população traduzido em impostos. A exemplo do que se passa no Seixal gastam-se fortunas mal gastas em eventos que não trazem nenhum benefício à população são apenas fonte de receita para quem neles participa e propaganda para a CDU. Os gastos fabulosos do boletim municipal que é um gasto superfluo. A população não precisa de fotografias para ver o que a Câmara faz, se se destina aos munícipes onde melhor senão nos locais para ver que as obras se fizeram? Se a Câmara fizer as obras não precisa de as mostrar em boletim podem ser vistas ao vivo. E as geminações com cidades de outros países que apenas servem para os autarcas se pavonearem? Não é também um gasto superfluo? Quando há poucos recursos tem de haver prioridades. Não é aceitável que o país seja pobre os seus cidadãos na sua maioria também, com as devidas excepções de gente muito bem paga neste país, e autarquias como a do Seixal não tenham a decência de conter os gastos inúteis e danosos. É preciso acabar com a festa destes senhores que desrespeitam quem lhes paga, que não são honestos, que não são competentes,mas que vivem faustosamente pagos pelo dinheiro de todos sem qualquer competência e com toda a arrogância. O poder local não pode continuar a servir para o uso que a CDU faz dele na Câmara do Seixal.