terça-feira, abril 12, 2011

COMO CHEGÁMOS AO FUNDO (4)


Pedro Almeida Vieira teve enquanto jornalista e durante anos um contributo activo en publicações sobre ambiente .

Hoje vê-mo-lo mais virado para outro tipo de escrita . Mas a sua obra publicada sobre temáticas ambientais continua a ser incontornável e também ela um contributo para que se tivessem evitado os caminhos que insensatamente trilhámos.

Gostava de destacar aqui o livro o
Estrago na Nação , também título do blogue que a espaços continua a actualizar. Sobre esse livro escreveu Viriato Sorumenho Marques no Jornal de Letras :

"O Estrago da Nação deve ler-se como um imperativo de cidadania. Não é um diagnóstico do Portugal ambiental, é, acima de tudo um retrato socio-económico e cultural onde, por tabela, a Natureza grita a plenos pulmões.", Jornal de Notícias "Obra fundamental e contundente, indispensável para quem não queira passar ao lado das verdadeiras questões onde se arrisca, hoje e amanhã, o futuro de Portugal."Link

4 comentários:

Anónimo disse...

Tribunal de contas chumba contas da C. M. Seixal.

Veja a noticia completa aqui:

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/tc-chumba-obras-de-146-milhoes

Anónimo disse...

http://ecosfera.publico.pt/noticia.aspx?id=1489234


Ambientalistas querem um observatório de aves em frente à baía do Seixal
11.04.2011

O grupo ambientalista Flamingo quer construir um observatório de aves no sapal de Corroios, inserido num circuito interpretativo entre o moinho de maré e a Ponta dos Corvos, em frente à baía do Seixal, e já tem o financiamento do projecto assegurado.

Em declarações à agência Lusa, Paulo Gomes, do Grupo Flamingo – Associação de Defesa do Ambiente, explicou que em causa está uma “zona de interesse ornitológico e de excepcional valor natural, que ultrapassa o âmbito do concelho”.

A zona onde os ambientalistas pretendem realizar o seu projecto, uma língua de terra com quase 10 quilómetros, “está referenciada como sítio para a observação de aves no roteiro editado pela Sociedade Portuguesa para o Estudo de Aves (SPEA)”. E está “incluída nas visitas que o programa Ciência Viva, do Ministério da Ciência, organiza para a observação de aves e flora”.

No documento descritivo do projecto, disponível no sítio do Grupo Flamingo na Internet, afirma-se que “no Inverno passam pelo sapal cerca de 10 mil indivíduos de várias espécies” e que “para as aves migratórias, sobretudo as limícolas, este é um local para a recuperação de forças depois das longas viagens”.

O projecto prevê a construção de estruturas de observação, informação e lazer com materiais que se integrem na vegetação. Paulo Gomes afirmou ainda que “o financiamento já está assegurado quase na totalidade” e que estão apenas pendentes “questões burocráticas”. O gabinete de comunicação da Câmara do Seixal afirmou que a autarquia “desconhece a proposta do Grupo Flamingo”, mas está disponível para apreciá-la, embora tenha um projecto semelhante para a zona.

Anónimo disse...

por falar em flamingo ... coitadinho ficou ofendido quando o patrão o chamou de mentiroso ...
é que o crime com os kamaradas/mafiosos nunca compensou ...

Anónimo disse...

Os flamingos cairam no engodo do poder e já se esqueceram da piscicultura ilehgal. É pena-