quarta-feira, janeiro 19, 2005


Portugal condenado em Bruxelas - Rã na Flor da Mata

Portugal condemned by the EC to do not apply new regulations "Habitat's" and "water", South of Lisbon the pression over protected areas is very strong and show the weight of the build industrie over nature conservation politics.

Resistindo à seca e à destruição humana do seu habitat, os batráquios povoam ainda a floresta da Flor da Mata. A floresta é atravessada por inumeras linhas de àgua e o seu solo argiloso permite que a àgua da chuva se retenha em lagos durante vários meses , permitido a estes animais que o seu ciclo reprodutivo se complete.

Não são só as rãs e sapos que aqui estabeleceram habital, é também frequente a salamandra de pintas. A floresta é ainda para estes animais um habitat perfeito apesar do cerco do "desenvolvimento" se apertar e das àguas serem cada vez mais escassas pela continua impermeabilização de solos e alteração das linhas de àgua ambos motivados por uma urbanização selvagem que arraza tudo à sua passagem.

As zonas de encosta a terminarem em vales ferteis como a Flor da Mata são zonas de grande valia ecológica, no entanto no Seixal, tal não é impedimento para urbanizar em massa (veja-se o caso semelhante da encosta do Alto do Moinho rebaptizado de Parque Luso - completamente arrazada uma encosta de arvoredo variado para construir em massa como se pode ver da autoestrada, em troca o promotos criou um ridiculo "jardinzinho" à entrada para poderem dizer que "criaram uma zona verde" e não que destruiram toda uma encosta)de grande valor ecologico e paisagistico. Modelo idêntico se pretende de novo avançar para a Flor da Mata.

Pouco importa se é um habitat protegido no Plano Director Municipal, se os esgotos vão reforçar sem tratamento os já concentrados no tanque de Pinhal dos Frades, para depois serem despejados SEM TRATAMENTO no Rio Judeu, em àgua tratada proveniente da ETAR de Fernão Ferro (tornando todo o investimento feito na ETAR em dinheiro deitado ao lixo pois o esgoto vai a céu aberto desaguar na baía do Seixal)...e depois do outro desse vale onde hoje pasta gado temos uma zona de rede Natura 2000, tal o valor ecológico da zona, mas para a Câmara do Seixal nada disso importa, o que vale é construir , não importa sobre o quê , depois cria-se mais um jardinzinho.Com práticas destas não admira que o estado Português continue a ser condenado como foi esta semana pela não transposição e aplicação de Directivas Comunitárias que se prendem com a Conservação da Natureza e Recursos Hidricos. Posted by Hello

1 comentário:

lobomau disse...

Como é suave este articulista!
O tanque de dejectos e àguas domésticas de Pinhal de Frades é um tanque misturador (liquidifica o que ainda fôr sólido), melhor, liquidificaria, pois que me conste está avariado há muito tempo.
Segue por um tubo e umas centenas de metros mais abaixo é despejado no Rio Judeu, que se torna um esgoto a céu aberto até à Ponte da Fraternidade.
Sugiro a formação de um movimento popular para alterar o nome da ponte para "Ponte Seixal Saudável"