sábado, setembro 19, 2009

ALMADA NA TV - NO DESERTO DE ALMADA


O Dr. Garcia Pereira , candidato pelo MRPP, reforçou anteontem em Almada que a critica e a avaliação negativa feita às opções da CDU para Almada abarcam todo o espectro politico nacional.

Trata-se de uma questão únicamente defendida pela CDU em que a sua teimosia e autismo deixam esta força politica cada vez mais isolada e distante da população, das forças vivas do concelho e de todos os outros partidos.

Os inúmeros protestos populares de que é corolário a manifestação de ontem frente à CMA (Ver aqui reportagem do blogue EmAlmada-link ) são reveladores de um descontentamento que se torna a cada dia que passa, mais avassalador e num movimento crescente pela « ruptura e mudança » .

Sublinhado também por este candidato de extrema-esquerda , as consequências que o fecho ao trânsito do principal eixo da cidade tiveram para os comerciantes, representantes da outrora
burguesia tão detestada pelo Partido Comunista, mas que hoje fazem parte , hipocritamente , das suas muito eleitoralmente estimadas pequenas-mini-micro-nano empresas ...

10 comentários:

Anónimo disse...

Os comerciantes de Almada que se acautelem.
Qualquer dia começam a ter de pagar uma comissão ao Partido se quiserem fazer negócio.

É na realidade gritante a falta de respeito que o partido do colectivo de uma autarquia. Na oposição são bons sem duvida.

Gabam-se eles de ouvir a população e é uma realidade, ouvem, mas só os amigos e militantes.

Velas do Tejo disse...

Comerciantes de Almada, desde a crise da Lisnave até ao MST andam a levar abanões mas têm sobrevivido.

Será que sobrevivem a mais quatro anos de Maria Emilia e o seu bando de comunistas amestrados?

SOLIDARIEDADE COM O COMERCIO DE ALMADA

João Freire disse...

Mensagem para os comunistas almadenses

Convenhamos que não é grande proeza convencer quem já está convencido. Por isso, é para os comunistas almadenses que falo. Porque estou convencido de que, se forem coerentes com o ideário em que acreditam, não votarão na CDU nas próximas autárquicas. Se não o fizerem pela qualidade da cidade, pela qualidade da democracia, façam-no pela qualidade do “comunismo” que a Câmara de Almada tem demonstrado. Declaração de interesses: não sou comunista, nem tenho qualquer filiação ou lealdade partidária, trabalho em Lisboa e não devo nada a ninguém de Almada.
1.º Que comunista tira aos pobres para dar aos ricos? Que comunista prevê no PDM uma grande superfície comercial (Almada Fórum) e, para ajudar à festa, asfixia os pequenos comerciantes de Almada com o desvio de trânsito? Se a Maria Emília estivesse a soldo das cadeias do Almada Fórum, não poderia ter sido mais diligente no seu serviço, não acham?
2.º Que comunista usa os dinheiros públicos, que são de todo o povo, em proveito próprio? E que tal este acréscimo propagandístico uns meses antes das eleições? “Almada, terra amada, terra-sei-lá-o-quê, capazes de mais futuro” (quão mais óbvios querem ser?). Desvio de receitas públicas para prossecução de interesses privados (de um partido e de um conjunto de pessoas), de receitas provenientes do trabalho dos cidadãos, quando a CDU tem as suas receitas próprias para fins de campanha. Os comunistas coerentemente criticam quem o faz em câmaras doutras cores. Não me recordo que o velho Marx tenha feito alguma nota de rodapé (ah, mas nada disto se aplica na margem sul).
3.º Que comunista permite a sistemática destruição do ambiente e qualidade urbanística do concelho? Programa Eleitoral da CDU, legislativas 2009: “Eixos centrais: (…) A defesa do meio ambiente, do ordenamento do território e a promoção de um efectivo desenvolvimento regional, assente no aproveitamento racional dos recursos”. Como explicar que estes “comunistas” deixem o cais do ginjal a cair de podre? Assumam a Fonte da Telha como faroeste e zona de desastre ambiental, sem nada fazerem (e sim, isso é da competência da Câmara)? Que tenham licenciado um hotel por cima da falésia da arriba fóssil (Melià Capuchos) e um mamarracho de mais de 10 andares na primeira linha de costa, em frente à zona dunar onde antes ficava a Carolina do Aires? Aliás, que comunista licencia metade da Costa, um freak show urbanístico numa das paisagens costeiras mais belas do país?
Para todos os comunistas, os verdadeiros, os coerentes, vai o meu genuíno respeito. A ideologia separa-nos, mas une-nos uma genuína vontade de melhorar a nossa cidade, o nosso país, o nosso mundo. Para os “comunistas de beberete”, os dos tachos, os hipócritas, os sedentos de poder, assim como para os de qualquer outro partido que padeçam desses males, nada tenho a dizer. Pensem um pouco qual é a estirpe a que pertencem os “camaradas” que nos governam…

mugabe disse...

Essa estória do eixo central e a sua desertificação é uma falsa questão. Desde sempre que foi proíbido estacionar nessa faixa central. Desde quando esse facto prejudica os comerciantes ? isso é apenas um pretexto para os reaças almadenses atacarem o executivo camarário por estes serem comunistas. É uma questão ideológica.

Freire: cantas bem, mas não me alegras. Com que então diriges-te aos verdadeiros comunistas...boa ! diz-me lá aí para ti o que é sinónimo dum bom e verdadeiro comunista ?? ahahahahahah tem juízo meu puto, entretem-te com outro tipo de brincadeiras que fazes melhor figura.

Manuel Luiz disse...

Caros leitores.
Aproveito este meio de comunicação para confidenciar-vos a minha grande tristeza, o que me vai na alma.
Antes de mais, pretendo salientar, sublinhando que os meus princípios ideológicos convergem para a procura de uma “social equidade”.
A social equidade para quem não esteja familiarizado com termo, consiste comparticipar ao mais desfavorecidos a ajuda necessária para que estes possam ter acesso, numa sociedade global e de mercado livre, às ferramentas necessários para com autonomia e esforço próprio ajudarem a construir uma sociedade cada vez mais próspera, livre e solidária. Por outras palavras tentar ser o mais próximo possível do justo para todos os concidadãos da nossa sociedade.
Após esta breve introdução cabe fazer referência à grande tristeza que me atormenta neste momento. Vivo no concelho do Seixal, mais especificamente na freguesia de Fernão Ferro há onze anos e, fiquei profundamente revoltado com uma situação que se verificou na passada quinta-feira e que se continua a verificar até amanhã. Estou a referir-me aos acontecimentos decorrentes esta semana na FIL, em concreto na exposição SIL (Feira do Imobiliário).
A minha consternação e angústia reflectem o desrespeito que a Câmara Municipal do Seixal está a ter para com a nossa terra, para com Fernão Ferro. O pavilhão da CMS na SIL é de dimensões gigantescas, só comparável com o da CGD e fala do passado, presente e futuro do ordenamento do território do Concelho do Seixal. Fala única e exclusivamente dos aspectos turísticos de primeira linha, por outras palavras das zonas nobres.
Ora o Seixal, não é só o Seixal dos ricos, o Seixal também é dos pobres e nesse caso sobre Fernão Ferro não existe qualquer referência. Nada, absolutamente nada, nada de passado, nada de presente e nada de futuro. Será Fernão Ferro a ovelha negra do concelho ou terão os Paços do Concelho vergonha de filho deficiente?
Caros concidadãos de Fernão Ferro, a passado está para trás, foi o que foi. Quanto ao presente, com esse todos nós convivemos no dia-a-dia e ele está á nossa vista, quer se goste ou não, mas fica equacionado qual será o nosso futuro?
Sim qual será o nosso futuro?
Qual será o futuro próximo, o dos nossos filhos?

Manuel Luiz disse...

O que pensam os responsáveis deste concelho e desta freguesia?




Aproveito para confidenciar aos leitores que não me irei resignar com esta diferenciações, não me resigno porque também tive acesso a conhecimentos, porque tenho olhos que me permitem ver, porque pago impostos e sou contribuinte líquido.
Como cidadão credor tenho todo o direito de exigir uma correcta aplicação dos dinheiros públicos. A titulo de exemplo a CMS fez um comes e bebes e beberete ao nível de um Município de Londres, Paris ou Nova Iorque, convidou os Toca a Rufar para actuarem na SIL para que todos os visitantes fiquem impressionados com a capa do nosso concelho.
Esta atitude é deveras condenável. Esta atitude é enganosa visando única e exclusivamente camuflar e encobrir a pobreza e desorganização urbanística, infelizmente existente no nosso Concelho e em particular na Freguesia de Fernão Ferro. Esta atitude visa induzir em erro os visitantes da feira, apresentando-lhes uma realidade distorcida.
Não sei o que se pretende, não sei qual a ideia que se pretende transmitir, mas certamente não é a verdade, não é nem a verdade presente, nem a verdade futura, nem a sensatez que supostamente deveria coordenar todos aqueles que exercem cargos públicos.
Por fim e para terminar espero que estas minhas palavras sirvam para se reflectir sobre o nosso Concelho em geral e Fernão Ferro em particular. Não tenho ideais partidários em concreto, voto segundo as minhas convicções, em projectos e ideias associadas a uma maior qualidade de vida, dentro da honestidade e dos princípios da ética e bons costumes.
Eu não voto em pessoas e nestas eleições autárquicas, no que respeita à Freguesia de Fernão Ferro, gostaria que os candidatos debatessem em todos os locais de diálogo (justo, claro, coerente e com direito ao contraditório) os projectos para o futuro próximo.
A quem estas palavras digam respeito e que as queiram receber dentro do legal contexto sem deturpações ou aproveitamento fora de contexto agradeço antecipadamente.
Cordialmente
Manuel Luiz

xuxa nagreta disse...

Tive uma empresa em Cacilhas no largo dos Edificio velho dos Bombeiros e desde que me conheço o probelema de estacionamento existe.

E só gostava que os xuxas me dissessem como evitá-lo.

E porque sempre adiaram ou recusaram os fundos do PIDDAC para os resolver.

Os comerciantes são prejudicados sempre que se realizam obras junto dos seus estabelecimentos, quer em Almada, quer em qualquer localidade.
A xuxaria moderna mais o Coelhone talvez tenham solução... apareciam logo as verbas.

Pois se até sobram para as festanças menores.

Al-Ma'dan disse...

Muito se tem falado de comunistas/comunismo e termos afins a propósito de MES y sus muchachos.
Parece-me, que MES como muitos outros é tão comunista como eu sou chinês. Talvez seja comodista mas comunista é que ela não é.
Isto se entendermos o comunismo como uma ideologia essencialmente defensora dos humilhados e ofendidos da sociedade, ideologia essa que foi deturpada e vilipendiada pelos que a puseram em prática nos países ditos socialistas onde morreram milhões seres humanos por se terem oposto a regimes totalitários que fizeram parecer a ditadura salazarista portuguesa uma festa.
Após a queda dos regimes comunistas, o PC português deveria ter feito o luto e seguido em frente, mais uma vez na defesa dos humilhados e ofendidos mas procurando novos caminhos para esse desiderato.
O PC português não fez esse luto e continua tão marxista-leninista-estalinista como antes.
E os métodos continuam exactamente os mesmos.
MES parece ter herdado todos os defeitos dos comunistas e, infelizmente, nenhuma das suas virtudes. Por isso, ela é exímia na manipulação e na propaganda.
Quanto aos humillhados e ofendidos de Almada, ela está-se nas tintas para eles, serve-se deles para obter votos e de vez em quando acena-lhes com algumas papas e bolos mas pouco mais.

Anónimo disse...

mugabebelo nick de um porco racista que condenou á morte o seu proprio povo á boa maneira comunista

Anónimo disse...

Ai, mugabe, teixeira, silva, afonso, viul
quando é que voltas lá pra tua terra (risos, risos) deixas de chatear, e te assumes ser um só?

Claro que nunca ninguem estacionou na zona central em Almada, mas eu, e muitas outras pessoas, chegaram a ir a Almada, ao Dragão, algo que tu se calhar nem conheces, a beber um café, dar uma vista de olhos na sapataria Guimarães (já era) e deixar o carro ali logo ao lado, nessa mesma avenida, que daqui a pouco vais dizer nunca ter existido.
Agora, tenho de ir deixar o carro ao cu de Judas... achas que eu e outros vamos lá beber esse café?
só tenho pena que não sejas tu proprietário de um desses negócios, para teres o cu a arder agora, mas quem tá a trabalhar na câmara já tem o tacho.
e não me venham com as patranhas do ambiente, basta ver as filas de carros que se fazem certos dias e horas para ir para o Almada Forum, esse mesmo contra o qual devias estar, por ser um marco da economia capitalista!