segunda-feira, maio 30, 2005

MAIS DEZ HECTARES DE SOBREIROS ABATIDOS NA MARGEM SUL - NO SEIXAL...


Mais um abate indiscriminado de sobreiros no Seixal o terceiro só este ano!

A jornalista e socióloga Luisa Shmidt intitulava um seu artigo no Expresso (21 Maio 2005) sobre a construção desregrada com que se pretende avançar para a Costa Vicentina como "Bulimia imobiliària" nesta perspectiva diremos que no Seixal reina a "Obesidade mórbida" já só curável através de cirurgia e aplicação de banda gástrica.

Realmente são mutliplas as frentes de nova construção para os agora novos limites do concelho, se considerarmos que esses limites eram a periferia verde, e que esse espaço era ocupado por pinhal, montado de sobro, charneca e campos agricolas, logo estão a ocupar com betão o que é pinhal, oque é montado, o que são campos agricolas, não é assim de estranhar as constantes denuncias de abate de sobreiros, uma àrvore protegida.

Esta ultima noticia resulta de um e-mail de denuncia recebido durante o fim de semana que mencionava um abate massivo de sobreiros no sitio conhecido como Vale da Torre, Quinta do Cabral na Torre da Marinha, Seixal, um vale lindissimo (era) considerado no PDM (Plano Director Municipal) como, parte "Mata e Maciço Arbóreo" parte "Àrea de protecção paisagistica" deslocados ao local não queriamos acreditar no que víamos um montado de sobro totalmente arrazado! Desconhecem-se as razões que terão levado os autarcas a fazer tábua raza do PDM em vigor e autorizado a destruição de mais de uma dezena de hectares de uma árvore protegida.

Depois do corte de 1000 sobreiros na Quinta da Princesa, do corte de 80 hectares de floresta também protegida no PDM (como Mata e Maciço arboreo) na Flor da Mata no ultimo ano, floresta essa também composta por sobreiros e pinheiros, e do incêndio que dizimou mais de uma centena de sobreiros no inicio do mês junto a Pinhal dos Frades são razões suficientes para se reclamarem acções urgentes por parte do IGAT e dos Ministérios da Agricultura e do Ambiente pois parece ter havido neste periodo que foi da queda do governo Barroso até este inicio de governo Sócrates uma verdadeira "Bulimia Construtiva" no Seixal (parafraseando Luisa Shmidt) sendo urgente a aplicação da "Banda gástrica"! E de outros curativos juridicos!

Porquê este comportamento das autarquias que permitem estes desmandos? Cliquem em ambio
e leiam o artigo de Pedro Bingre, está tudo dito!

A noticia segundo e-mail recebido hoje foi já difundida pela Rádio Baía a quem saudamos pela colaboração no sentido de corroborar a informação.


Posted by Hello

3 comentários:

pisco disse...

Trocaram o que podia ser um parque aberto à população da Torre da Marinha por por um pavilhão Gimno Desportivo inaugurado com pompa e circunstância, isto por uma Câmara sem cheta, agora parece ser obvio quem pagou! Certamente aqueles que vão construir mais uma vez no que era uma zona verde protegida

pisco disse...

Não foi nesta Quinta do Cabral que a Câmara comprou por 59000 contos em 1999 , 7295 mrtros quadrados de terreno destinado a construção com fins sociais? E que nunca foi utilizado? O que vão ali fazer agora quando o caso de Vale de Chicharos continua para resolver como acabo de ter conhecimento?

Anónimo disse...

Numa zona onde cada vez há mais betão cortaram 1000 árvores para construir um hiper-mercado!?!?!? Isto sim, é gerir um concelho em função do bem estar da população! Será que ainda ng percebeu que as obras que começaram à poucos meses estão a ser pagas quer pelo novo hiper-mercado que se vai situar na quinta da princesa e pelo continente? Já viagei muito por este mundo fora e digo-vos, nunca vi nada como o q se passa neste pais e em especial no concelho do seixal. Aqui continua-se a pensar que o betão é sinonimo de desenvolvimento! Não existe ordenamento, espaços de lazer, preocupação com o bem estar da população... apenas negocio com os construtores! Os jardins que temos comparado com o q se faz noutros paises da Europa n passam de quintais com relva...