sexta-feira, junho 11, 2010

O CAÇA NÍQUEIS DA EMILIA

A actual propaganda do PCP diz literalmente « Não ao roubo dos salários» ... Não podia estar mais de acordo, pois é roubado no meu salário que me sinto cada vez que vou a Almada, cada vez que estaciono e sou perseguido ou multado ilegalmente pela ECALMA em Almada, pela salteadora Câmara Comunista de Almada.

Mas há dias, senti-me de novo roubado pela Câmara de Almada, mas desta vez a sensação foi de um roubo de esticão, ou mesmo à mão armada...

É que pagar um euro para usar o elevador da Boca do Vento é um verdadeiro roubo !!!

Multiplique isso por o número de elementos de uma família e veja o roubo a aumentar descaradamente e a olhos vistos.É assim que querem dar vida aquela zona de Almada ?


As escadas interditadas de um lado, o cais do Ginjal degradado por outro e na única alternativa restante, um enfadado ascensorista que nos esfola a carteira em cada percurso.


Moral da história, o PCP sabe do que fala quando fala de roubar os salários dos portugueses...

___________________________________________


O PCP não mexe uma palha para dignificar a democracia nas suas autarquia, mas agora acha-se no direito de ingerir noutros estados soberanos e democráticos. É o delírio ! Cito :

«O PCP, perante a anunciada implementação na Polónia da lei que proíbe a utilização de “símbolos comunistas”, entregou hoje na Embaixada da República da Polónia em Lisboa uma carta de protesto e anuncia a sua participação amanhã, em Varsóvia, num comício internacional contra as estas medidas anti-democráticas.»

13 comentários:

EMALMADA disse...

É o ridiculo de contradições que os cidadãos já conhecem no PCP e nos seus autarcas, a que os políticos da democracia portuguesa e local fecham os olhos e tapam ouvidos, por conveniências.

João Freire disse...

Sinceramente, eu não ando naquilo. É um mamarracho horrendo e descontextualizado e que está sempre às moscas porque como muito bem diz o ponto ver - "Turismo? lol".

De resto, é um elevador que vai de nenhures para parte nenhuma: entre um cais devoluto e em risco de ruína e uma cidade feia, deprimida e sem vida, onde o mais colorido neste momento são mesmo os cartazes de propaganda da câmara e os muitos letreiros da remax um pouco por todo o lado.

Anónimo disse...

Pois, parece que na Polónia gostaram tanto do comunismo que agora querem fazer o mesmo que aqui fazemos à extrema direita.

Anónimo disse...

Mas porque é que o PCP tá preocupado?
então cá, com base numa suposta coligção, também não deixaram de usar o simbolo da foice e do martelo? no inicio ainda punham dois simbolos, mas depois lá caiu a foice...

Marlene Pires disse...

Seguindo o comentário do anónimo das 10h40, queria acrescentar que por cá quem defende Salazar é logo o fascio, etc., no entanto nessa altura não se passava fome como na ex-urss. Hoje em dia passa mais fome quem trabalha e recebe o seu ordenado do que quem não trabalha e recebe o rendimento minimo. O 25 de Abril serviu alguns, aqueles que usurparam terras e fábricas..

Anónimo disse...

Rendimento minimo ou complemento para gatunagem e afins?
Chamem-me racista, mas quando á minha mae com uma pensão de velhice de 240 euros passam a ser descontados por mês 23 euros!!!, e depois vejo brasucas que vêm para portugal engravidar e receber subsídios, fico revoltado!
Ou quando vejo uma velhota na farmácia recusar levar um medicamento porque não tem dinheiro para o pagar e vejo os pulhas da droga a andarem em mercedes e a receber o subsídio.
Mas que raio de país é este?!!!!
Não me venham falar de comunismo e socialismo.
O que precisamos é de um bom bocado de fascismo que corra com estes parasitas todos daqui para fora!

Verdades disse...

Não creio que precisemos de fascismo (até porque Salazar não era exactamente fascista, pelo menos no sentido integral do conceito).

Precisamos é de nos unir como Portugueses e acabar com os patifes e as atitudes comuns que nos prejudicam e isto aplica-se a muita gente:

- do mais inegrume mandrião subsidio-dependente (seja ele imigrante ou tuga*, de qualquer raça e feitio); na TVI há uns meses mostraram um casal que ficou desempregado, recebeu o subsidio para alimentar os filhos, arranjaram emprego e recusaram mais subsidio pois tem a consciência que há quem mais precise - oxalá todos fossem assim tão íntegros e com tão nobres valores e Portugal era de novo uma Nação valente e não estávamos assim

- Filhos de mandriões e amigos corrompidos por estes - o mitra, equivalente ao inglês chav - não estudam mesmo tendo apoios do ASE, não querem trabalhar, querem é garinas e dinheiro fácil, roubam, andam em "negócios" esquisitos e daqui a poucos anos vamos ter de os sustentar com subsídios...

- a classe média que não se revolta, entretida com novelas e futebol, enquanto gasta o dinheiro em merdices - grandes TVs, carros para passeios de domingo, telemóveis xpto que nem sabem usar e todo um rol de itens que não acrescentam nada ao seu carácter, vivem para o momento e estão "emburrecidos" a cada dia que passa - em particular as novas gerações que não têm sentido critico, aceitam toda a merda que se lhes mete à frente, acham que a politica é coisa de "cotas" e gostam do avante porque podem beber e fumar à vontade, se não acordarem para a vida, se não forem educados, vamos ter graves problemas, uma geração paga e não bufa, rendida a encantos estrangeiros (UE)...

- o autarca esbanjador em futilidades (como o PCP aqui no burgo, que não é capaz de levar velhotes com cataratas a serem operados a Cuba ou a Almada mas gasta 90 000 na feira do 25 de Abril ou 90 000 em tapetes de Cargaleiro...serve-lhes melhor - povo cego e pagador)

- o político com multiplas faces, que engana, corrompe e é corrompido, negócios por debaixo da mesa, ajustes directos, maus gestores. Portugal tem muito disto de todas as cores políticas, novos e velhos. É preciso levá-los à Justiça, destitui-los dos seus cargos porque, pelo menos para mim, corruptos não me representam. E é disto que as pessoas se esquecem - eles estão ali (a maioria) em representação das pessoas e se nós como povo não os queremos temos de os tirar do poleiro, a bem ou a mal.

Verdades disse...

- Juízes corruptos, iliterados, desligados da vida real, que fazem fretes, vitimas do politicamente correto; condenam um homem por sacar músicas da net mas libertam pedófilos e violadores, perdoam políticos, não aceitam provas concretas mas condenam quem não paga multas de transito...

- Patrões, poderosos ou não, que não têm escrúpulos - aproveitam-se da crise para pagar menos e destruir o já parco poder de compra dos Portugueses enquanto se banham em jacuzzis e passeiam em brutos carrões. Mas há de salientar que há ainda bons patrões, pessoas justas e com coração, vão é sendo uma espécie cada vez mais rara infelizmente...
As pessoas têm de perceber que eles não nos pagam para trabalhar, nós é que lhes vendemos a força de trabalho, daí eles terem medo de paralisações e greves (entretanto açambarcadas pelos interesseiros sindicados de esquerda), porque sem trabalhadores não há trabalho, não se produz; o melhor exemplo disso foi a greve dos camionistas que paralisou o País, aqueles sujeitos que apesar de poucos, são indispensáveis ao funcionamento da Nação.

- Grevistas - tal como disse acima, a esquerda pensa que manda nas "greves" e nos "direitos" e na "cultura" - engana-se! As greves podem sortir bons efeitos, não podem é se lideradas por interesseiros e trapaceiros e tem de se fazer notar - vejamos o caso dos Gregos! Uma greve tem de ser continua ate que as exigências sejam conseguidas - não é cá greves à segunda ou sexta ou sábado que só serve para ir passear a Lisboa! Tem de ser de dias, semanas, o que for preciso, senão é inócua!

- os pescadores e agricultores que deviam ser o back bone da nossa economia e que estao dividiso em duas categorias:
-subsidio-dependentes
-superficio-dependentes
os primeiros não fazem nada sem a ajuda da UE que de resto só os limita com sanções e proibições e regras desajustas a realidade do pais;
os segundos que trabalham e são explorados pelas grandes superficies (Continente, Pingo Doce, etc) mas que sempre vai dando para subsistir.
O resto dos Portugueses em vez de comprar cebola egípcia, batata francesa, banana do Equador, cherne espanhol, deviam era comprar o que é nosso e dar um boost na economia! Devia haver uma lei que estipulasse que 95% dos produtos alimentícios fossem de origem nacional - só se importava o que não havia cá (frutos tropicais, por exemplo).


E isto é só um pequeno exemplo do que vai mal neste lado da Europa. Digam o que disserem, chamem o que quiserem mas ainda prefiro os valores de Deus Pátria e Família aos valores de Dinheiro, Compras e Individualismo*


*tuga - expressão brasileira pejorativa mas que foi aceite por cá desde o euro 2004...

*Indidualismo extremo - somos seres sociais mas cada um é único mas tem de saber viver em comunidade

Anónimo disse...

Nem mais, comentador anterior.
Só um reparo, quando fala em patrões.
O que a maioria das pessoas parece não se lembrar são as despesas que estes têm de suportar.
Falo dos pequenos, que pagam renda, luz, água, segurança social mesmo que não recebam ordenado, IVAs de tres em tres meses e ordenados, mesmo que o empregado não produza porque não se vende. Há ainda as despesas para stock, e seguros para a casa e para os empregados.
Mas aos estrangeiros como as casas chinesas nao lhes cobram IVA.
Isto é justiça?
Se eu for dono de empresa, se ficar desempregado não tenho direito a subsídio ou apoio, mesmo que tenha pago Segurança Social.
Isto é justo?
Mas se for estrangeira e engravidar, tem os mesmos direitos de uma mulher portuguesa trabalhadora que descontou por vários anos. E esta ainda se arrisca a ser despedida e não receber indemnizações, porque Tribunal de trabalho é para esquecer.
Afinal, e fugindo ao tema falado no post, esta é mesmo uma república de bananas!!

Verdades disse...

Sim há mais medidas que se deviam tomar rapidamente:

- Chineses, povo pacato e trabalhador, fechado em si mesmo, não se metem em confusões, têm vindo a melhor a sua forma de comércio nos últimos tempos.
Ok temos acordos de cooperação e e integração com a China, tudo bem, é bom para ambos.
O que é injusto em plena crise é eles não pagarem como os outros e sem contrapartidas de maior.
Devia ser assim: ok não pagam tal imposto por X tempo MAS OBRIGATORIAMENTE têm de empregar N nacionais nas vossas lojas e armazéns - Equilibrava-se assim a balança.
O que tenho visto é que contratam brasileiras e romenas apenas quando não têm quem lhes traduza as coisas, o que é errado.

-Ciganos, ciganos pobres, entenda-se; os chamados ciganos ricos vivem pacatamente as suas vidas e tradições, só se dá por eles ao primeiro dia de cada mês, sendo conhecido no Almada Forum por "Dia do Cigano" (perguntem a quem lá trabalha), gastam centenas de euros em compras ajudando a economia! Os outros precisam de ser educados, do mais novo ao mais velho; auto-excluem-se da sociedade, fazem-se de vítimas, retiram os filhos das escolas muito cedo continuando um ciclo de preconceitos (que eles criaram e fazem questão de manter), as mulheres, com muitos filhos, vão para as filas finanças e para a segurança social alegar que os maridos não lhes dão rendimentos - pura mentira, é sabido - e recebem 2 ou 3 ordenados mínimos (crescendo exponencialmente com cada criança), todos sabem, todos comentam mas quem denuncia é racista...os homens com bom corpo para trabalhar é vê-los com brutos carros estacionados à porta das suas residencias sociais, basta passar ali no Bairro da Cucena (entretanto degradado pela selvajaria que lá reina) e ver os Mercedes, os BMW, os Audi - todos vêm, todos sabem, quem denuncia é racista.
Temos de dizer basta, não queremos mais isto; dar-lhes a mão, ensinando-os profissões - outra que feirante/comerciante - porque se eles são iguais aos outros, podem fazer o que os outros fazem, não há que haver vergonha.

Verdades disse...

- Brasileiros, podem ser dividos em diversas categorias:
Bregas, pega-galinha - gente sem educação, rude, sem valor pela vida humana, no Brasil roubavam na mercearia e cá assaltam supermercados; não sabem viver em sociedade, arranjam problemas com os próprios compatriotas que não os suportam nem gostam de se misturar com eles. Perguntem a brasileiros e vão ficar surpreendidos.
As moças mais brejeiras têm aquilo a que os ingleses chamam de bebes-âncora, arranjam um papalvo, geralmente de meia idade, naif e que gosta da brasuca tesuda e popozuda, é a mulher troféu, ela tem um filho, ganha a nacionalidade por isso [ou quando o filho entra na escola], separa-se e vive da pensão do pai da criança...
Normais, geralmente pessoas educadas com alguns estudos, vieram em busca do -falso- sonho europeu, são explorados por patrões melindrosos, muitos querem voltar outros nem por isso; Sofrem com as generalizações mas na verdade não têm culpa do mal que os outros pelintras fazem.



Questões como a da imigração são paus de dois bicos e devem ser debatidas com cautela e bom senso porque descambar para xenofobia e racismo cego é muito fácil. Há comunidade pacíficas outras mais propicias a conflitos, gente bom e má de todas as religioes e raças. O importante é saber viver EM sociedade e NA sociedade em que estão, é meio caminho andado:

Tal como não gosto que os meus vizinhos de origem estrangeira façam forrós e incomodem os outros residentes do prédio, porque não é assim que se celebram as coisas por cá, não gosto que lá forem os Portugueses façam as festas incomodando os nativos - exemplo: Irlanda, há uns anos atrás: a comunidade portuguesa, maioritariamente gente sem estudos e que nem inglês sabia falar, sofreu com ameaças e insultos porque se meteram em patuscadas estilo santos populares no meio da rua num país conservador - não respeitaram o local e suas tradições e foram castigados, é bem feito! Tinham feito entre eles com conta peso e medida para não incomodar os Irlandeses.

Há espaço para todos têm é de saber respeitar-se e respeitar a maioria, neste caso os costumes e tradições Portuguesas, os seus Valores e Cultura, não é assim tão complicado até porque somos um povo aberto e que gosta de mostrar o que de melhor se faz por cá e isso tem de se preservar

Anónimo disse...

Verdades:
Sobre os chineses, a 1000 porcento.
sobre os ciganos, é fácil de ver, basta dar um saltinho ali para a Cucena e ver os carros que lá estao á porta.
sobre os brasileiros,só lhe digo o que um brasileiro, de São Paulo, me disse: para cá não vêm os que prestam, só os que não prestam no brasil, e ainda me disse outra: brasileiro quando nasce ou é ladrão ou corrupto. Isto dito por um brasileiro...

oze disse...

Muito bons comentários, os de "Verdades". Lucidez e pragmatismo. É tão bom saber que anda por aí gente assim.

Obrigado A-Sul por ser um porto de abrigo onde podemos encontrar pessoas e ideias assim.