quarta-feira, março 04, 2009

VOLTOU A DISCUSSÃO


Voltou a discussão sobre a blogoesfera ... sobre as fontes... a credibilidade... o anonimato...a participação cívica dos cidadãos.

Este fim de semana um conhecido "blogger" José Pacheco Pereira , personagem com acesso privilegiado a outros meios, nomeadamante rádio...jornais...televisão lá zurzia, na sua crónica semanal do Publico , sobre a "bloguização dos jornais" , não sem lá pelo meio deixar as suas farpas à blogoesfera.

Mesmo aqui, alguns posts atrás, me "desafiavam" de novo a assumir uma posição pública e a "revelar-me" como se essa fosse a verdadeira questão do presente e do problema que os politicos enfrentam, primeiro, da sua própria credibilidade , depois do divórcio que se vem acentuando há muito, dos cidadãos com a coisa pública e a participação cívica e politica...e em terceiro, da realidade e credibilidade dos factos aqui descritos.

Agora vem uma série de questões que mereciam discussão e levantadas no blogue Pensar o Seixal e assinada por Aredes Nunes sobre a blogoesfera local e a participaçâo aberta na blogoesfera de eleitos ou candidatos a tal , ainda pouco explorada por cá mas que nos Estados Unidos contribuíu de maneira determinante para a vitória de Obama.

O Mundo mudou, somos agora , para o melhor e para o pior uma sociedade em rede, a credibilidade dos seus intervenientes, não é determinada pelo anonimato , nem a sua credibilidade é afectada por isso embora esse facto continue a incomodar muito boa gente e a fazer que outros tantos enfiem a cabeça na areia, agora afirmar que a blogoesfera não é, per si uma forma de participação cívica o "suficiente" ... é manifestamente exagerado...

9 comentários:

AV disse...

A Blogosfera livre vai acabar com os media actuais, por isso querem que os Blogues fiquem a mesma coisa dos outros media, limpinhos por fora e cheios de interesses (económico/políticos), por dentro.
Estes seres abjectos, pretendem que a internet seja a versão Magalhães dos computadores.
Todos os partidos e todas as actuais vertentes "ideológicas", querem que o povo seja um mero veículo para se perpetuarem no poder e enriquecer, agora que as máquinas fazem todo o trabalho realmente porque tinha de haver um sistema que desse voz a todos, foi azar...para os poderes.
Se não existisse a internet, mais de um bilião de seres humanos já teriam sido exterminados por não serem necessários e tudo isso em nome da modernidade e da democracia.

AVP

Pensar o Seixal no Século XXI disse...

Temos, ou deviamos pelo menos, compreender a aproveitar as vantagens que a Internet pode proporcionar. A informação, através deste meio, corre a uma velocidade impressionante e quase todos os conteúdos podem ser disponibilizados em tempo real.

Acho que a política não pode viver à margem desta realidade, sobretudo porque quem ocupa cargos publico deve prestar contas pelo que faz e aproveitar os conselhos de quem os elege.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

PS: Uma nota para referir que o meu nome se escreve Arede e não Aredes!

Anónimo disse...

Parece que se incomodou com os comentários feitos sobre o seu anonimato.
Compreendo-o bem. É que em certos "blogs por cá na terra..." certos comentários assinados pelos autores não são publicados, mas se o dono do blog não souber quem comenta... até publica o comentário.
Claro que não podemos duvidar da idoneidade do Ponto Verde... exactamente porque as informações que aqui trás são muito credíveis. No entanto, segundo o nosso primeiro-ministro, quem faz denúncias anónimas não merece qualquer valor... e também já vi em vários blogs da margem sul, nomeadamente do Seixal, autores de blogs a condenar o anonimato... nem de propósito, que o senhor Arede, quando escriba do blog da JSD, muitas vezes criticou o anonimato, bem como o candidato o senhor Paulo Cunha também o fez.

No entanto, é minha opinião que tal não se aplica a esta nossa situação do Ponto Verde. O anonimato é secundarizado pelo valor intrínseco das informações. Claro que sempre fica a dúvida do porquê do anonimato?
Porque será?
O que tem a perder se der a cara? Não me diga que trabalha na CM do Seixal ou para a CM do Seixal? Será que perdia credibilidade se as pessoas soubessem que, eventualmente, é simpatizante socialista?
Não se preocupe mais com isso.
Escolheu o anonimato e siga-o.
Mas, acho que teríamos todos mais a ganhar com a sua assunção pública.
No entanto não pode nunca tirar de cima o anátema do anonimato e o facto pelo qual mantém tal estatuto.
O que acho estranho é ter feito um post sobre isso.
Tal como disse acima não se preocupe mais com isso.
Não era necessário um post sobre isto. Por mim já estava acabado.
Ok?
Ah desta vez vou ficar pelo anonimato...
É mais confortável.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Alguém viu o Nós por Cá na Sic, de ontem?! Viram aquilo do Sapal de Corroios?

Ah e tal como está já destruído vamos então dar um valor económico ao local... Fantochada... 4 postos de trabalho... vão ser os mesmos trabalhadores que já tinham... Ah então e os corvos marinhos que se afugentam com palmas e gritos...

Faltou foi mostrar a ETAR ao lado da piscicultura... que até tem um histórico ambiental lindo… aqueles robalos vão ser um pitéu...

E pronto a Reserva Ecológica Nacional já foi à vida... A Rede Natura 2000, Fernão Ferro-Lagoa de Albufeira... o lado do Seixal tem uns pinheiros bravos que vão abaixo mais dia menos dia pela Cooperativa da Apostiça... e pronto.

É a Conservação da Natureza no Seixal...

Vejam os concelhos à volta do Seixal… Almada tem a Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa de Caparica, Sesimbra tem a Lagoa de Albufeira e o Parque Natural da Arrábida, Setúbal e Palmela têm Parque Natural da Arrábida e a Reserva Natural do Estuário do Sado, o Barreiro, Moita e Montijo tem a Reserva Natural do Estuário do Tejo…. E o Seixal tem o quê ?!?!?!?

Não há memória...

Esta gente é burra... podiam pensar assim, ok, vá um aeroporto para Alcochete, as aves que iam lá nidificar, vão precisam de novo sítio, se conservamos o Sapal de Corroios, podemos criar um refúgio para elas, podemos desenvolver economicamente o Turismo de Natureza local, com observação de aves, educação ambiental, etc...

Mas não…

Vai uma empresa privada, explorar aquilo, a população local e nacional vai comprar os belos robalos produzidos ao lado da ETAR, destrói-se o local, os resíduos da produção dos peixes é deitados para o Sapal, como os medicamentos, proteínas de crescimento, peixes mortos, etc…

Que falta de visão que tem o Seixal…

Fica o link para quem não viu...

http://sic.aeiou.pt/online/video/informacao/Nos+Por+Ca/2009/3/sapalameacado.htm

Anónimo disse...

Estamos em crer que a blogosfera em particular e a Internet em geral podem representar a forma de fazer política no século XXI.”(Filipe de Arede Nunes, em Pensar o Seixal no Século XXI)
Aceito na visão do politico que a subscreve.
Já toda a gente notou, pois pela net passou o cidadão a dispor de um instrumento que lhe permitiu pronunciar-se, gerando meios para uma nova fase de consciencialização cívica, na medida em que as vozes se tornaram incontornáveis.

A grande diferença com fases anteriores parece ser este novo meio de colocar no âmbito da apreciação pública casos concretos- com demonstrações inequívocas( quer por meio de fotografias, gravações de video, legislação acessível ao qualquer cidadão), que confrontam na substância as imagens e o culto da personalidade que falaciosos eleitos pretendem continuar a difundir.
Parece estar já ultrapassada a fase em que se poderiam difamar os “blogs anónimos”, por discredibilizarem a imagem das figuras públicas, e por conteúdos duvidosos.
Hoje já todos conseguem distinguir entre aqueles que mesmo anónimos, devotam o seu empenho á causa da cidadania, á defesa de interesses difusos, e mantêm há muito espaço cibernético com seriedade e credibilidade( ...e na sua generalidade são anteriores aos blogs dos políticos), ou numa formulação mais terra-a-terra” Quem faz e fará a diferença são e serão sempre as pessoas”. Como nos blogues!
As denúncias dos cidadãos através da net, extravasa para além dos púlpitos palacianos e dos estritos corredores da politica, dos sofismas, das argumentações falaciosas, dos enredos e teias dos interesses instalados, dos concluios, trazendo à luz do dia as verdades e sentimentos do anónimo cidadão.
Durante anos assistimos à concentração de esforços na acumulação de meios que garantam a sobrevivência das suas próximas gerações, pelo desenvolvimento do culto da personalidade de astutos autarcas, talvez cientes da quase irrevogabilidade da procuração passada pelo povo no acto eleitoral, utilizando os bens públicos no desenvolvimento de manobras de propaganda tendentes à recondução nos cargos que ocupam.
A net proporcionou meios de desmistificação e denúncia, nomeadamente desses actos admissíveis se feitos à custa de bens próprios, inadmissível se feitos à custa dos contribuintes.

A denúncia e a desmistificação comportam riscos, nalguns casos elevados tanto mais que feita por cidadão anónimos até porque ao contrário dos políticos não têm partidos que os defendam, mas determinaram que o seu direito e dever de cidadania, embora comportando riscos na defesa de interesses difusos, só na aparência seriam maiores do que os benefícios que a sociedade pode deles colher.

Provavelmente, é também uma questão geracional, os dinossauros da “freguesia” ainda não conseguem entender estes novos instrumentos cibernéticos.
É provável também e porventura aceitável, poder ainda ouvir por mais algum tempo argumentar“...Estamos em crer que a blogosfera em particular e a Internet em geral podem representar a forma de fazer política no século XXI.”, mas o que no fundamental e na substância se alterou foi um novo comportamento de alguns dos eleitos e das suas reais responsabilidades para com o eleitorado.
No quadro presente e concreto do Seixal ( com o poder local democrático,oriundo da “ditadura do proletariado e das conquistas de Abril” , sob o conceito da Democracia Avançada no Limiar do Século XXI), subsiste como elemento relevante do uso do mundo cibernáutico pelos políticos, ainda que em estado incipiente –a marca da DIFERENÇA.
PS:Estranhamente, no calor da luta(nomeadamente na da politica), tendemos e somos levados a comportamo-nos como o nossos contentores- manter uma guerra é gerir um equilíbrio- e se observarmos do exterior, às duas por três, muitas vezes não se distinguem uns dos outros.

Anónimo sem "fenótipo" disse...

O facto de não se conhecer nem o nome, nem a cara, nem a ocupação de um opinador obriga a que as atenções se centrem apenas sobre a sua opinião.

"São as dúvidas aquilo que nos aproxima uns dos outros e as certezas aquilo que nos afasta"

Ghandi(de memória...)

Anónimo disse...

Triste sociedade em que para opinar necessita-se do anonimato...
Falta coragem na nossa sociedade...

PS: isto hoje é só comentários anónimos

João Afonso disse...

Não entendo se a piscicultura foi aprovada pelo Governo do PS, porque razão é que o ponto verde não critica o PS pela aprovação e apenas critica a Câmara que nada ou muito pouco teve a ver com tal aprovação? Pois é... O ponto verde não passa de um lacaio do sócrates e daí não pode criticar o dono, é como o cão que não morde ao dono!!! E á agora quais são as diferenças entre o ponto verde e o em almada? Nenhumas, pois são a mesma pessoa que tem diversos blogs, com o unico objectivo de criticar o PCP, pois é para isso que lhe pagam!

Anónimo disse...

Coitadinho do PC...cercado de todos os lados...e por uma só pessoa.

É obra!