terça-feira, abril 12, 2005


Seixal construiu Escola sob uma linha de Alta-Tensão (EB 2+3 Pinhal dos Frades)

Há mais de trinta anos que existem estudos sobre a influência dos campos electromagnéticos criados pelas linhas de alta tensão na saúde humana. Há estudos que estabelecem uma correlação não negligenciável entre esses campos electromagnéticos e casos de doenças do foro oncologico nomeadamente em crianças.

Há já alguns anos que Directivas Comunitárias estabeleceram regras e condutas na gestão destas linhas, nomeadamente no que se refere à ocupação humana dos sitios onde essas linhas passam, há também legislação nacional que regulamenta a construção nessas mesmas zonas o que de certa forma dá ênfase ou, no minimo, cautela e credibilidade aos estudos anteriormente mencionados.

Não se compreende pois que há nove anos, no Seixal em plena Àrea Metropolitana de Lisboa, capital de um país membro dessa Comunidade Europeia, se tenha construido uma escola (EB 2+3) sob uma dessas linhas de Alta Tensão, muito menos se compreende que quem cedeu esse terreno para tal construção tivesse sido a propria Câmara Municipal do Seixal, entidade encarregue para a respectiva àrea de jurisdição de fiscalizar e fazer cumprir todas as regras inscritas no Regulamento Geral de Edificações Urbanas.

As regras de construção e implantação da Escola face ao Cabo de Alta Tensão foram nenhumas, como se ele não existisse, e tão caricata é a situação que um dos postes (um daqueles que diz "Cuidado Alta Tensão") se encontra na própria vedação da escola e junto a uma zona de elevada concentração de crianças, a paragem do autocarro.

A incosciência foi muita e a incompetência dos projectistas só tem paralelo com a má-fé com que uma autarquia atribui a um terreno destes , caracteristicas para aí ser instalado um estabelecimento de ensino (era mais barato...) , ou da DREL que deu o aval por parte do Ministério da Educação fazendo a caracteristica assinatura de cruz por parte do Estado sempre que se tratem de iniciativas do "Poder Local", como se este fosse sempre formado por pessoas de bem.

Agora com a asneira feita, os mais de mil alunos rezam para que a exposição a que são sujeitos diáriamente não lhes traga problemas de saúde a longo prazo, que nenhum dos cabos se solte ou se parta o que poderia provocar um verdadeiro desastre numa hora de recreio cheio, e ainda mais esperam que em tempo de trovoada nenhuma descarga atinja a escola ou o poste junto à paragem de autocarro quando esta está apinhada de crianças (o que quando há chuva e trovoada redobra o numero de quem procura abrigo) o que seria uma verdadeira tragédia.

Também caricato é o facto de apesar de ter uma população de mais de mil alunos, de ser considerada uma escola modelo, inclusivamente a quem já foi por mais de uma vez entregue o titulo de "Eco escola", este estabelecimento não tem um pavilhão desportivo onde os estudantes e a comunidade local possam praticar desporto, ou até mesmo um mero campo de jogos com as condições minimas para a prática desportiva ... é que... não é possivel instalar recintos desportivos sob cabos de Alta Tensão...

Se algo acontecer, lá virá a autarquia limpar as mão como até aqui, a REN a dizer que era muito onerosa a passagem subterrânea daquelas linhas ,como até aqui, e a DREL a mostrar-se muito incomodada e a não compreender como foi possivel aquele projecto...mas uma coisa porém se garante não poderem ficar descansados: É que toda a comunidade educativa tem alertado para o problema, feito exposições e alertado a opinião publica e os Media.

Se algo de dramático acontecer teremos pois culpados, o que é bom saber, mas também vitimas que se poderiam ter evitado e que nada poderá substituir.

Este caso ocorre no mesmo municipio que promove a construção (embora na zona mais insalubre do Concelho) do futuro Centro de Estágio do Benfica ou a iniciativa "Seixal Saudável", e acabou de construir uma nova e luxuosa sede para os seus serviços técnicos ou um recente e ultramoderno (e dispendioso) pavilhão multiusos para um clube local...Posted by Hello

5 comentários:

Anónimo disse...

É como no caso da ponte de Entre os Rios, depois não há culpados como sempre em Portugal.

lobomau disse...

Então! Uma coisa são as obras de fachada que dão nome e publicidade ao partido maioritário da Câmara.
Outra, gastar dinheiro a enterrar cabos electricos e proteger os nossos filhos.
Enchem-nos os olhos e vendem-nos a alma ao diabo!

George Amaral disse...

Para que servem os tribunais ?

Anónimo disse...

Esta gente é criminosa nas decisões que toma e possivelmente corrupta, deviam responder na justiça como diz o anterior comentário

João disse...

Terreno barato... Decisão vergonhosa e criminosa, de oferecer um terreno com estas caracteristicas para construir uma escola. Isto só da cabeça de políticos terceiromundistas, que desprezam o sentido da vida, em detrimento do capital. Acho piada estes tipos autodenominarem-se de defensores do povo.